Repositório Digital

A- A A+

Abordagens culturais na geografia brasileira : uma compreensão

.

Abordagens culturais na geografia brasileira : uma compreensão

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Abordagens culturais na geografia brasileira : uma compreensão
Autor Nabozny, Almir
Orientador Heidrich, Álvaro Luiz
Data 2014
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências. Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Assunto Espaço geográfico
Geografia : Brasil
Geografia cultural
[en] Cultural approaches
[en] Enunciations
[en] Geographical space
[en] Geography in Brazil
[en] Scientific field
Resumo A presente tese pretende compreender de que modo ocorreu o processo de autoidentificação das Geografias Culturais no âmbito político científico da Geografia acadêmica brasileira, relacionando um campo científico (BOURDIEU, 2004) a uma espacialidade empiríca. A operacionalização envolve a exploração de fontes secundárias, como Relatórios CAPES, de Projetos de Pesquisas, vinculados aos Programas de Pós- Graduação da Geografia Brasileira e leituras de teses de doutorado do Banco de Teses da CAPES (1987-2012). Os discursos, as ações e as representações dos agentes que integram, tensionam e também subvertem o campo são apreendidos em entrevistas qualitativas e entrevistas intermediadas por meio digital, realizadas com geógrafos e geógrafas de três grupos/redes de pesquisas escolhidos, sendo eles: o NEPEC, o NEER e o Grupo de Geografia Humanista e Cultural. Embora tenhamos menor acesso discursivo e oral por entrevista ao grupo NEPEC, tracejamos compreensões sobre o mesmo em leituras sistemáticas do Periódico Espaço e Cultura (UERJ, 1995-2011), o qual é capitaneado pelo Grupo. Essas ações metodológicas guardam estrita relação com as nominações culturais autoelencadas da literatura geográfica. Na construção do campo como um axioma, são relevantes os aspectos da posicionalidade e reflexibilidade do pesquisador, concomitante a reflexão balizada por uma narrativa arqueológica e com deslocamentos paraláticos, evitando-se as construções cronológicas e taxionômicas. Dentre a autocompreensão tracejada, destacam-se os autos posicionamentos de difusão de uma perspectiva importada e, por vezes, enredada numa ―territorialidade brasileira‖, conforme as discussões temáticas. De outro, o amalgamento de dispersos geógrafos (no espaço ôntico e institucional) com tendências temáticas, teóricas mais propensas para as abordagens não racionalistas anunciadas por Gomes (1996), indicando uma mudança epistêmica e de mundo (Modernidade). Nesse ínterim, um debate humanista cultural é angariado sob os auspícios das fenomenologias. Na reconfiguração de uma tradição crítica, sobressaem-se as questões de identidades e de espaço geográfico engendradas em uma luta pelo espaço e apoderamento das condições de existência, em oposição a um discurso privilegiado entre identidade e imagem de espaço em que a representação (científica) maximiza o efeito semiótico da venda do espetáculo. Dentre outros domínios, salientam-se os tensionamentos entre uma ideia/representação, real/materialidade, pesquisador/pesquisados, etc., em que os conceitos enunciados buscam configurar mediações, como partes das possibilidades, das transformações sociais e científicas desejadas. A racionalidade é pluralizada, resultando em linguagens compreensivas em oposição às preditivas, com propensão para uma ―epistemologia‖ em que as estruturas de poder trabalham na produção e valorização da diferença.
Abstract This thesis aims to understand how occurred the process of self-identification of Cultural Geographies in the political scientific context of the Brazilian academic Geography, relating a scientific field (Bourdieu, 2004) and to an empirical spatiality. The operalisation involves the exploitation of secondary sources such as CAPES Reports, Research Projects linked to the Post-Graduate Programs of the Brazilian Geography and readings doctoral theses of CAPES Bank thesis (1987-2012). The speeches, actions and representations of agents who form, confront and also subvert the field, are seized on qualitative interviews and mediated by digital media interviews with geographers of three groups/networks of research that were chosen, namely: the NEPEC, the NEER and the Group of Cultural and Humanistic Geography. Although we had less discursive and oral interview to access from NEPEC group, we showed understandings about the it in systematic readings of Space and Culture Journal (UERJ, 1995-2011), which is headed by the Group. These methodological actions keep close relationship with the nominations of cultural listed in geographical literature. In the construction field as an axiom, the aspects of positionality and reflexivity of the researcher are relevant, concomitant to the reflection imposed by an archaeological narrative and related to parallax displacements, avoiding the chronological and taxonomic constructions. Among the self-comprehension, we highlight the self-placements of diffusion of an imported perspective and, sometimes, entangled in a "Brazilian territoriality" along to the thematic discussions. In another perspective, the amalgamation of dispersed geographers (the ontic and institutional space) with thematic and theoretical trends, more likely for non-rationalist approaches announced by Gomes (1996), indicating an epistemic and world change (Modernity). Meanwhile, a humanist cultural debate is raised under the auspices of the phenomenologies. In the reconfiguration of a critical tradition, stand out the issues of identity and geographical space, engendered in a fight for space and empowerment of conditions of existence, in opposition to a privileged discourse between identity and image space in which the representation (scientific) maximizes the semiotic effect of the sale of the show. Among other areas, it is highlighted were the tensions between an idea/representation, real/materiality, researcher/researched, etc., in which the enunciated concepts seek to configure the mediations, as parts of the possibilities, of the desired social and scientific transformations. The rationality is pluralized, resulting in comprehensive languages in oppositon to predictives, with a propensity for an "epistemology" in which the power structures work in the production and appreciation of the difference.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/100295
Arquivos Descrição Formato
000930647.pdf (5.865Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.