Repositório Digital

A- A A+

Determinação de ácidos graxos trans e modulação da expressão de receptores ativadores da proliferação de peroxissomos (PPARs) em tecido adiposo de obesos e não obesos

.

Determinação de ácidos graxos trans e modulação da expressão de receptores ativadores da proliferação de peroxissomos (PPARs) em tecido adiposo de obesos e não obesos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Determinação de ácidos graxos trans e modulação da expressão de receptores ativadores da proliferação de peroxissomos (PPARs) em tecido adiposo de obesos e não obesos
Autor Bortolotto, Josiane Woutheres
Orientador Guaragna, Regina Maria Vieira da Costa
Co-orientador Margis, Rogerio
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica.
Assunto Ácidos graxos trans
Obesidade
Proliferadores de peroxissomos
Resumo A obesidade é uma síndrome metabólica complexa de etiologia multifatorial, que afeta um número progressivo de indivíduos. Estudos epidemiológicos confirmam que a síndrome metabólica está relacionada com obesidade abdominal, resistência à insulina, diabetes e outros fatores de risco metabólicos para doenças cardíacas. O tipo de alimentação, em especial os ácidos graxos (AG) consumidos, podem estar relacionados com os distúrbios da obesidade. Os ácidos graxos trans (AG trans) são obtidos pela dieta, em produtos contendo gorduras hidrogenadas e derivados dos animais ruminantes. Estes AG são bem absorvidos pelo organismo, e a composição destes no tecido adiposo (TA) reflete o consumo a longo prazo. Na obesidade, o metabolismo do TA é alterado e o restabelecimento da homeostase energética requer a identificação e regulação de genes envolvidos no metabolismo de lipídeos e carboidratos. Os receptores ativadores da proliferação de peroxissomos (PPARs) estão envolvidos na modulação do metabolismo e são ativados por AG. Os objetivos deste trabalho foram determinar o conteúdo total de AG trans no TA subcutâneo (TAS), retroperitoneal (TAR) e visceral (TAV) de obesos e não obesos submetidos à cirurgia bariátrica ou cirurgia abdominal; analisar o padrão de expressão do PPARb/d e PPARg1-3 nos diferentes depósitos destes TA; e comparar a expressão destes receptores em obesos e não obesos. Os TA foram obtidos por cirurgia. Para quantificar os AG trans, os lipídeos foram extraídos, saponificados e esterificados. Os níveis de AG trans foram medidos por FTIR-ATR. Para quantificar o mRNA, o RNA total foi extraído com TRIzol, foi reverso transcrito e determinado quantitativamente pela reação em cadeia da polimerase (qRT-PR). A média de AG trans em pacientes obesos foi de 6.3% no TAR e 8.7% no TAV. Nos pacientes não obesos, os resultados foram 6.9% no TAS e 9.3% no TAV. Não houve diferença estatística entre os grupos. No entanto, o depósito de AG trans no TAV foi maior nos pacientes obesos mórbidos (P<0.001) e nos não obesos (P<0.05). Por outro lado, a quantidade de mRNA do PPARb/d nos diferentes depósitos de TA de obesos mórbidos mostrou uma diminuição significativa no TAV (p<0.05). No grupo de não obesos, os níveis de PPARb/d foram mais altos no TAS (p<0.05). Os níveis de PPARg1-3 não diferiram estatisticamente entre os depósitos de TA tanto de obesos quanto não obesos. Quando obesos e não obesos foram comparados, os resultados revelaram uma diminuída expressão de PPARb/d no TAS (p=0.058) e TAV (p=0.094) de obesos mórbidos. A expressão de PPARg1-3 foi significantemente aumentada no TAS (p=0.022) e diminuída no TAR (p=0.034) nos obesos mórbidos. A expressão de PPARb/d no TAS e TAV correlacionou negativamente com a medida do quadril e com os níveis de insulina, respectivamente. Os níveis de mRNA PPARg1-3 no TAR correlacionaram negativamente com a medida da cintura e do quadril e no TAV correlacionou positivamente com a medida da cintura. Os valores encontrados de AG trans em todos os TA analisados são maiores do que os reportados em outros países. Nós encontramos maior depósito destes AG no TAV do que nos outros estoques. Os níveis elevados no TAV preocupam devido à alta taxa de lipólise deste tecido e sua forte associação com alterações metabólicas. Os altos níveis de AG trans encontrados refletem, ainda, o alto consumo destes na dieta dos brasileiros. Os resultados da expressão de PPARs demonstram que PPARb/d e PPARg1-3 são quantitativamente diferentes nos depósitos de TA de obesos mórbidos comparados a não obesos e que o padrão de expressão do PPARb/d é característico de cada depósito de TA. Os dados de correlação reforçam a relação destes receptores com a obesidade.
Abstract Obesity is a complex metabolic syndrome of multifactorial etiology affecting a progressively increasing number of individuals globally. Epidemiological studies have confirmed that this metabolic syndrome is related to abdominal obesity and insulin resistance, diabetes and other metabolic risk factors for coronary heart disease. The dietary intake, in special intake of specific fatty acids, could be related with the disturbance of obesity. Trans fatty acids (TFAs) are present in solid fats produced by partial hydrogenation of oils, and are naturally found in products originating from ruminants. They are well-absorbed by the body, and long-term intake is reflected in the fatty acid composition of adipose tissue (AT). In obesity, the AT metabolism is altered in obese subjects and the reestablishment of energy homeostasis requires the identification and regulation of genes with altered in lipid and glucose metabolism. The peroxisome proliferator-activated receptors (PPARs), are involved in metabolism modulation and presented FA like ligand. The purpose of this study was to determine the total content of TFAs in subcutaneous (SAT), retroperitoneal (RAT) and visceral (VAT) adipose tissue of morbidly obese and non-obese patients submitted to bariatric surgery or abdominal surgery; analysed the expression pattern of PPARb/d and PPARg1-3 in different depots of AT; and, compare mRNA expression of these receptors in morbidly obese and non-obese patients. The Ats were obtained surgery. To quantify the TFAs, lipids were extracted, saponified and esterified. TFA were measured by FTIR-ATR spectroscopy. To measure the mRNA, total RNAs were extracted using TRIzol, and PPARs reverse transcripts were determined by quantitative polymerase chain reaction (qRT-PCR). The TFA average in obese patients was 6.3% for RAT and 8.7% for VAT. For non-obese patients, the figures were 6.9% SAT and 9.3% VAT. There was no difference between the groups. However, the TFA depot in VAT was higher than other fatty tissues for morbidly obese (P<0.001) and non-obese (P<0.05) patients. The amounts of PPARb/d mRNA in different depots of morbidly obese AT showed a significant decrease in VAT (p<0.05). In the non-obese group, the level of PPARb/d was higher in SAT (p<0.05). The levels of PPARg1-3 was not differentially expressed in obese and non-obese depots. When comparing obese and non-obese, the results revealed a decrease in PPARb/d expression in SAT (p=0.058) and VAT (p=0.094) of the morbidly obese. PPARg1-3 mRNA expression was increased significantly in SAT (p=0.022) and decreased in RAT (p=0.034) in morbidly obese subjects. PPARb/d expression in SAT and VAT correlated negatively with hip size and insulin serum respectively. PPARg1-3 expression in RAT correlated negatively with waist and hip size and in VAT correlated positively with waist size. Our values for TFA content in all adipose tissues analyzed are higher than reported in other countries. We showed more TFA in VAT than in other abdominal fat. The VAT level is worrisome because the higher rate of lipolysis in this tissue appears to be an important indicator of metabolic alterations. The levels of TFA found in AT presumably reflect the higher dietary intake of TFA by Brazilians. In PPARS expression the results demonstrates that PPARb/d and PPARg1-3 mRNAs are quantitatively different in AT of morbidly obese individuals compared to non-obese and that PPARb/d mRNA levels are characteristic for each AT depot. Correlation data stregthen the relationship with this receptors and obesity.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/10061
Arquivos Descrição Formato
000594188.pdf (1.981Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.