Repositório Digital

A- A A+

Proletarização do trabalho docente : implicações na Educação Física escolar

.

Proletarização do trabalho docente : implicações na Educação Física escolar

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Proletarização do trabalho docente : implicações na Educação Física escolar
Autor Bernardi, Guilherme Bardemarker
Orientador Molina Neto, Vicente
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano.
Assunto Educação física : Professor
Educação física escolar
Professor
Proletariado
[en] Pedagogical work
[en] Physical education
[en] Teaching proletarianization
[es] Educación física escolar
[es] Proletarización docente
[es] Trabajo pedagógico
Resumo Esta dissertação de mestrado é um estudo sobre o processo de proletarização do trabalho docente na Educação Física escolar. O problema da pesquisa ficou delimitado da seguinte maneira: Como o professor de Educação Física organiza seu trabalho pedagógico frente ao processo de proletarização docente? Partindo da teoria marxista, consideramos o trabalho como categoria fundante do ser humano e também em sua forma histórica, assumida na sociedade capitalista. Dessa forma, foi possível relacionar trabalho e educação e compreender seus efeitos na instituição escolar. Assim, discutimos a questão da proletarização, compreendida como um processo que amplia as relações capitalistas dentro da escola e que subtrai dos professores diversas qualidades, além de precarizar e intensificar o trabalho do professor, retirando-lhes o controle e o sentido da docência. Para compreender como este processo interfere especificamente no âmbito da Educação Física, nossa abordagem metodológica baseou-se em elementos da pesquisa qualitativa, realizada em escolas da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre (RMEPOA). Colaboraram cinco professores de Educação Física escolhidos de forma intencional, dos quais observamos as aulas e com quem realizamos entrevistas, mais uma professora que atuava também como dirigente da Associação dos Trabalhadores em Educação de Porto Alegre ( ATEMPA ), com quem realizamos uma entrevista. Nossos achados indicam que a proletarização é um processo que ocorre no âmbito da escola, sem um confronto por parte dos professores, que buscam estratégias diversas para organizar seu trabalho. Após a realização das observações e das entrevistas, analisamos e organizamos o material em três categorias de análise. A primeira delas fala sobre o processo de ingresso na rede e como, desde o início, as implicações da proletarização afetam a organização do trabalho dos professores – diferentemente do trabalho fabril, a lógica escolar, em muitos casos, deixa o trabalho mais difícil para os professores iniciantes, que recebem pouco acompanhamento no início de sua carreira como docentes. A segunda categoria trata da autonomia frente ao processo de proletarização. Vimos que as questões estruturais e materiais são determinantes no planejamento dos professores. Outra questão importante é o fato de as políticas públicas isolarem o trabalho do professor de Educação Física em favor de uma série de projetos esportivos, dos quais os professores da escola não participam nem de sua concepção nem de sua execução. A terceira categoria trata da organização coletiva. Foi possível considerar que existe uma dificuldade de organização por parte dos próprios professores da área nos seus contextos escolares devido a um isolamento decorrente de uma estrutura fragmentada. No âmbito sindical, existe uma relação heterogênea com o movimento por parte dos professores. Muitos não creem na atual forma de representação, além de se sentirem desapontados após anos de luta que acreditam não ter surgido efeito. Outros mantêm acesa uma esperança de mudança por meio da participação coletiva no sindicato. Por fim, os professores têm seu trabalho cada vez mais intensificado, devido às enormes demandas sociais que as escolas municipais e suas comunidades têm apresentado. Isso acarreta uma dificuldade de planejamento tanto individual quanto coletivo e acaba interferindo no trabalho cotidiano dos professores, que recorrem a diversas estratégias de sobrevivência, culminando em dificuldades de organização para a própria escola. Ainda assim, é possível ver movimentos contraditórios, tanto pessoais quanto coletivos, que têm tentado contrapor essas dificuldades hoje existentes.
Resumen Esta disertación de mestrado es un estudio sobre el proceso de proletarización del trabajo docente en la Educación Física (EF) en la escuela. El problema de la investigación fue definido del siguiente modo: ¿Cómo el profesor de EF organiza su trabajo pedagógico frente al proceso de proletarización docente? Partiendo de la teoría marxista, consideramos el trabajo como categoría fundamental del ser humano y también en su forma histórica que asume en la sociedad capitalista. De esta manera, ha sido posible relacionar el trabajo y educación y así comprender sus efectos en la institución escolar. Así, hemos discutido la cuestión de la proletarización, entendida como un proceso que amplía las relaciones capitalistas dentro de la escuela y que sustrae de los profesores diversas calidades, que precariza e intensifica el trabajo del profesor, retirando de los mismos el control y el sentido de la docencia. Para comprender como este proceso interfiere específicamente en el ámbito de la EF, el abordaje metodológico ha sido basado en elementos de la investigación cualitativa, realizada en escuelas de la Red Municipal de Enseñanza de Porto Alegre. Han colaborado cinco profesores de EF escogidos de forma intencional, con los que hemos observado las clases y realizado entrevistas, también ha colaborado una profesora que actuaba como dirigente de la Asociación de los Trabajadores en Educación de Porto Alegre, con la que hemos realizado una entrevista. Nuestras investigaciones y descubiertas indican que la proletarización es un proceso que ocurre en el ámbito de la escuela, no sin haber un confronto por parte de los profesores que buscan estrategias diversas para organizar su trabajo. A seguir a la realización de las observaciones, hemos analizado y organizado el material en tres categorías de análisis. La primera tratamos sobre el proceso de ingreso en la red y como desde el inicio, las implicaciones de la proletarización afectan la organización del trabajo de los profesores. Diferentemente del trabajo fabril, la lógica escolar, en muchos casos, deja el trabajo más difícil para los profesores iniciantes, además de que tienen muy poco seguimiento en el inicio de su carrera docente. La segunda categoría trata sobre el tema de la autonomía frente al proceso de la proletarización. Hemos visto que las cuestiones estructurales y materiales son determinantes en la estructuración de los profesores. Otro tema importante es el punto de que las políticas públicas apartaren el trabajo del profesor de EF en detrimento de una serie de proyectos deportivos, de los cuales los profesores de la escuela no han participado en su concepción o en su ejecución. La tercera categoría trata de la organización colectiva. Ha sido posible considerar que existe una dificultad de organización por parte de los propios profesores de esta área en sus contextos escolares debido a un aislamiento derivado de una estructura fragmentada. En el ámbito sindical, existe una relación heterogénea con el movimiento por parte de los profesores. Muchos de ellos no creen en la actual forma de representación, además de que están defraudados por la idea de que después de años de lucha, no hayan logrado el efecto esperado. Otros mantienen encendida una esperanza de cambio a través de la participación colectiva en el sindicato. Por fin, los profesores tienen su trabajo cada vez más intensificado debido a las grandes demandas sociales que las escuelas municipales y sus comunidades proponen. Resultando en una dificultad de planeamiento, tanto individual como colectivo. Esto interfiere en el trabajo cotidiano de los profesores, que recogen a las diversas estrategias de sobrevivencia, resultando en dificultades de organización de la propia escuela. Aun así, es posible ver movimientos contradictorios, tanto personales como colectivos, que intentan oponerse a estas dificultades existentes hoy día.
Abstract This dissertation is a study of the process of teacher's proletarianization in physical education. The research problem was defined as follows: How the physical education teachers organizes his pedagogical work against the teacher's proletarianization? Starting from the Marxist theory , we consider the work as foundational category of human beings and also in its historical form it takes in capitalist society. Thus, it was possible to relate work and education and understand its effects in schools. Thus, we discuss the issue of proletarianization , understood as a process that extends the capitalist relations within the school and teachers that subtracts the various qualities, which undermines and enhances the teacher's work, removing the control and teachers' sense of teaching. To understand how this process interferes specifically in the context of physical education, our methodological approach was based on elements of qualitative research conducted in schools in the municipal schools of Porto Alegre (RMEPOA). Collaborated 5 Physical Education teachers intentionally chosen, with which we observe lessons and interviews conducted, another professor who also served as head of Atempa (Workers' Educational Association of Porto Alegre), with which we conducted an interview. Our findings indicate that the proletarianization is a process that occurs within the school, not without a confrontation by teachers who seek different strategies to organize your work. After conducting observations and interviews , we analyze and organize the material into three categories of analysis . The first one talks about the process of joining the network, and how , from the beginning , the implications of proletarianization affects the organization of teachers' work. Unlike the factory work, the school logic, in many cases, makes them more difficult for beginning teachers work , and have little follow at the beginning of his career as teachers . The second category deals on the question of autonomy from the process of proletarianization . We have seen that the structural and material issues are important for teacher planning. Another important issue is the fact that public policies isolate the work of the Physical Education teacher at the expense of a number of sports projects , including school teachers do not participate nor its conception and its execution. The third category is the collective organization. It was possible to consider that there is a difficulty of organization by the own area teachers in their school contexts due to isolation caused by a fragmented structure. In the union context , there is a mixed relationship with the movement by teachers . Many do not believe in the current form of representation, and feel disappointed after years of struggle that believe not have arisen effect. Other accesses maintains a hope of change through collective participation in the union. Finally , teachers have their work increasingly intensified due to the enormous social demands that municipal schools and their communities has sued. This causes a difficulty in planning, both individual and collective. This interferes with the daily lives of teachers , who resort to various coping strategies , resulting in difficulties in organizing the school's own work. Still, you can see , both personal and collective contradictory movements that have tried to counter these difficulties today.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/101489
Arquivos Descrição Formato
000932209.pdf (1.514Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.