Repositório Digital

A- A A+

Age, class and race discrimination : their interactions and associations with mental health among Brazilian university students

.

Age, class and race discrimination : their interactions and associations with mental health among Brazilian university students

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Age, class and race discrimination : their interactions and associations with mental health among Brazilian university students
Outro título Discriminação de idade, classe e raça : suas interações e associações com saúde mental em estudantes universitários brasileiros
Outro título La discriminación por edad, raza y clase social : sus interacciones y asociaciones con la salud mental en los estudiantes universitarios brasileños
Autor Bastos, João Luiz
Barros, Aluisio J.D.
Celeste, Roger Keller
Paradies, Yin
Faerstein, Eduardo
Abstract Although research on discrimination and health has progressed significantly, it has tended to focus on racial discrimination and US populations. This study explored different types of discrimination, their interactions and associations with common mental disorders among Brazilian university students, in Rio de Janeiro in 2010. Associations between discrimination and common mental disorders were examined using multiple logistic regression models, adjusted for confounders. Interactions between discrimination and socio-demographics were tested. Discrimination attributed to age, class and skin color/race were the most frequently reported. In a fully adjusted model, discrimination attributed to skin color/race and class were both independently associated with increased odds of common mental disorders. The simultaneous reporting of skin color/race, class and age discrimination was associated with the highest odds ratio. No significant interactions were found. Skin color/race and class discrimination were important, but their simultaneous reporting, in conjunction with age discrimination, were associated with the highest occurrence of common mental disorders.
Resumo Embora a pesquisa sobre discriminação e saúde tenha progredido expressivamente, ela tem enfatizado a discriminação racial em populações dos Estados Unidos. Este trabalho explorou diferentes tipos de discriminação, suas interações e associações com transtornos mentais comuns em universitários do Rio de Janeiro, Brasil, em 2010. Associações entre discriminação e transtornos mentais comuns foram examinadas com regressão logística, ajustando-se para confundidores. Interações entre discriminação e características sociodemográficas foram examinadas. Discriminação por idade, classe e cor/raça foram as mais frequentemente relatadas. No modelo totalmente ajustado, discriminação atribuída à cor/raça e classe foram ambas associadas com odds aumentadas de transtornos mentais comuns. O relato simultâneo de discriminação por raça/cor, classe e idade esteve associado com a maior razão de odds. Não foram observadas interações estatisticamente significativas. As discriminações de classe e raça/cor foram importantes, mas seu relato simultâneo, em conjunto com a discriminação por idade, esteve associado com a maior ocorrência de transtornos mentais comuns.
Resumen Pese a que la investigación sobre la discriminación y la salud ha progresado significativamente, se ha hecho más hincapié en la discriminación racial y la población de Estados Unidos. Este estudio investigó los diferentes tipos de discriminación, sus interacciones y asociaciones con trastornos mentales comunes en universitarios brasileños de Río de Janeiro, Brasil, 2010. Las asociaciones entre la discriminación y los trastornos mentales comunes fueron examinadas con modelos de regresión logística, ajustados por confundidores. Se examinaron las interacciones entre discriminación y factores sociodemográficos. La discriminación por edad, clase y raza fueron las más frecuentes. En el modelo totalmente ajustado, la discriminación por raza y clase se asociaron independientemente con el aumento de trastornos mentales comunes. El reporte simultáneo de discriminación por raza, clase y edad se asoció con la mayor razón de odds. No se encontraron interacciones significativas. Discriminación de clase y raza fueron importantes, pero sus reportes, junto con la discriminación por edad, se asociaron con la mayor ocurrencia de trastornos mentales comunes.
Contido em Cadernos de saúde pública = Reports in public health. São Paulo. Vol. 30, n. 1 (jan. 2014), p. 175-186
Assunto Preconceito
Saúde mental
[en] Epidemiologic studies
[en] Mental health
[es] Estudios epidemiológicos
[es] Salud mental
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/101636
Arquivos Descrição Formato
000913395.pdf (138.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.