Repositório Digital

A- A A+

The Appraisal of Self-Care Agency Scale - Revised (ASAS-R) : adaptation and construct validity in the Brazilian context

.

The Appraisal of Self-Care Agency Scale - Revised (ASAS-R) : adaptation and construct validity in the Brazilian context

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título The Appraisal of Self-Care Agency Scale - Revised (ASAS-R) : adaptation and construct validity in the Brazilian context
Outro título Escala de Avaliação de Agenciamento de Autocuidados – Revisada (ASAS-R) : adaptação e evidências de validade de construto para o contexto brasileiro
Outro título Escala de Valoración de la Agencia de Autocuidado – Revisada (ASAS-R) : adaptación y evidencias de validez de su constructo en el contexto brasileño
Autor Damásio, Bruno Figueiredo
Koller, Silvia Helena
Abstract This study presents the psychometric properties of the Brazilian version of the Appraisal of Self- Care Agency Scale – Revised (ASAS-R). The sample was made up of 627 subjects (69.8% women) aged between 18 and 88 years (mean = 38.3; SD = 13.26) from 17 Brazilian states. Exploratory factor analysis of part of the sample (n1 = 200) yielded a three-factor solution which showed adequate levels of reliability. Two confirmatory factor analyses of the other part of the sample (n2 = 427) tested both the exploratory and the original model. The analysis of convergent validity using the Subjective Happiness Scale, the Satisfaction with Life Scale, and the 36-item Short Form Health Survey Version 2 (SF-36v2) demonstrated adequate levels of validity. A significant correlation was found between levels of self-care agency and age, level of education and income. The analysis of sample members with chronic disease (n = 134) showed that higher levels of self-care agency indicated lower levels of negative impact of the chronic illness in the individual’s everyday life.
Resumo Este estudo apresenta as propriedades psicométricas da versão brasileira da Escala de Avaliação de Agenciamento de Autocuidados – Revisada (ASAS-R). Participaram 627 sujeitos (69,8 mulheres), com idades entre 18 e 88 anos (média = 38,3; DP = 13,26). Com uma primeira parte da amostra (n1 = 200), uma análise fatorial exploratória encontrou uma solução de três fatores com índices de confiabilidade adequados. Com uma segunda parte (n2 = 427), duas análises fatoriais confirmatórias testaram a solução exploratória e a solução original. A validade convergente foi avaliada utilizando-se a Escala de Felicidade Subjetiva, a Escala de Satisfação com a Vida, e o 36-item Short Form Health Survey Version 2 (SF-36v2). Todos os indicadores de validade se mostraram adequados. O nível de agenciamento de autocuidados apresentou correlações significativas com a idade, nível educacional e renda. Em uma parcela da amostra, composta por pacientes com doença crônica (n = 134), foi encontrado que quanto maior o nível de agenciamento de autocuidados menor o impacto negativo da doença crônica no cotidiano desses sujeitos.
Resumen Este estudio presenta las propiedades psicométricas de la versión brasileña de la Escala de Valoración de la Agencia de Autocuidado – Revisada (ASAS-R). Un total de 627 sujetos (69,8% mujeres) con edades entre 18 y 88 años (media = 38,3, SD = 13,26) participaron en el estudio. En una primera parte de la muestra (n1 = 200), mediante un análisis factorial exploratorio, se encontró una solución de tres factores con niveles apropiados de fiabilidad. En una segunda parte de la muestra (n2 = 427), dos análisis factoriales confirmatorios probaron la solución exploratoria y la solución original. La validez convergente se evaluó por medio de la Escala de Felicidad Subjetiva, la Escala de Satisfacción con la Vida, y el cuestionario de 36-ítems Short Form Health Survey Version 2 (SF-36v2). Todos los indicadores de validez fueron adecuados. El nivel de la agencia de autocuidado se correlacionó positivamente con la edad, el nivel educativo y la renta. En una parte de la muestra, compuesta por pacientes con enfermedad crónica (n = 134), se mostró que cuanto mayor es el nivel de la agencia de autocuidado, menor es el impacto de las enfermedades en sus vidas.
Contido em Cadernos de saúde pública = Reports in public health. Rio de Janeiro. Vol. 29, n.10 (out. 2013), p. 2071-2082
Assunto Escalas
Validade do teste
[en] Health behavior
[en] Scales
[en] Self care
[en] Validation studies
[es] Autocuidado
[es] Conductas saludables
[es] Estudios de validación
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/101982
Arquivos Descrição Formato
000922463.pdf (109.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.