Repositório Digital

A- A A+

Comparação entre diferentes tipos de leites como diluentes para sêmen equino refrigerado

.

Comparação entre diferentes tipos de leites como diluentes para sêmen equino refrigerado

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Comparação entre diferentes tipos de leites como diluentes para sêmen equino refrigerado
Autor Castro, Fabiana Santos
Orientador Rechsteiner, Sandra Fiala
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Veterinária. Programa de Pós-Graduação em Medicina Animal: Equinos.
Assunto Leite UHT
Reproducao animal : Equinos
Semen : Equinos
Viabilidade espermática
[en] Cooling
[en] Extender
[en] Stallion
[en] UHT milk
Resumo Dois experimentos foram conduzidos para verificar a viabilidade do uso do leite UHT como diluente para sêmen equino refrigerado. O objetivo principal deste estudo foi avaliar o uso de leite UHT nas apresentações desnatado, semidesnatado e integral como diluente de sêmen e posteriormente foi avaliada a viabilidade espermática com o uso de leite como diluente comparado a outros dois diluentes industrializados. No experimento I foram utilizados 31 ejaculados de 3 garanhões, as amostras de cada ejaculado foram diluídas em leite UHT nas apresentações integral, semidesnatado e desnatado, numa proporção de 3:1 (3 ml de diluente e 1ml de sêmen). Foram realizadas análises de viabilidade espermática com testes de motilidade espermática, vigor espermático, integridade de membrana (CFDA/PI) e funcionalidade de membrana espermática (HOST) pós-diluição, os quais foram repetidos nas amostras refrigeradas a 4ºC após 24 e 48h. Neste experimento, não foram observadas diferenças significativas entre os 3 diluentes, quanto a motilidade espermática, vigor, CFDA/PI e HOST. No entanto, houve uma diminuição na qualidade do sêmen armazenado por 48h (P < 0,01), sendo mais acentuada entre 24 e 48h de refrigeração. No experimento II foram utilizados 30 ejaculados de 3 garanhões onde, logo após a coleta do sêmen, as amostras de cada ejaculado foram diluídas com leite UHT desnatado (LD), Botusemen® (BS) e Botusemen Special® (BSP). As amostras foram examinadas a fresco, após a diluição (0h) e em resfriamento de 24h e 48h a 4°C. Foram realizados os mesmos testes de análise espermática do primeiro experimento para avaliação comparativa dos diluentes. As amostras de sêmen refrigeradas com BSP obtiveram maior porcentagem de motilidade total (51,1%) após 24h de refrigeração quando comparado aos outros dois diluentes testados, LD (45,8%) e BS (47,3%). Com base nos resultados obtidos nos dois experimentos, o leite UHT, independente da apresentação, pode ser utilizado como diluente de sêmen para as primeiras 24h de refrigeração, mantendo a viabilidade espermática adequada, sendo também de fácil acesso e manuseio. Se for necessário a manutenção do sêmen por mais de 24h, o BSP se mostrou superior em manter a qualidade do sêmen até 48h.
Abstract Two experiments were conducted to verify the feasibility of the use of UHT milk as an extender for chilled equine semen. The main objective of this study was to evaluate the use of UHT milk in skimmed, semi-skimmed and whole milk as extender for semen and subsequently assess sperm viability using milk as a diluent compared to two other industrial extenders. In the first experiment were used 31 ejaculates from 3 stallions of known fertility, samples of each ejaculate were diluted in the whole UHT milk, semi-skimmed milk and skim milk shows a ratio of 3:1 (3ml diluent and 1ml of semen). Sperm viability analyzes were performed, including sperm motility, sperm vigor, membrane integrity (CFDA/PI) functionality and sperm membrane (HOST) post-dilution tests which were repeated in the samples cooled to 4°C after 24 and 48h. In this experiment, no significant differences in sperm motility, vigor, CFDA/IP and HOST were observed among the 3 extenders. However, there was a decrease in the quality of semen stored for 48h (P < 0.01), being more pronounced between 24 and 48h of cooling. In the second experiment, 30 ejaculates from 3 stallions were used soon after collection of semen samples, each ejaculate was diluted with UHT skim milk (LD), Botusemen® (BS) and Botusemen Special® (BSP). The samples were analyzed fresh, immediately after the dilution (0h) and after cooling for 24h and 48h at 4°C. The same tests of sperm analysis used in the first experiment for comparative evaluation of extenders were performed. Semen samples cooled with BSP obtained the highest percentage of total motility (51.1%) after 24h of cooling when compared to the two other extenders tested, LD (45.8%) and BS (47.3%). Based on the results from the two experiments, UHT milk, regardless of the presentation, can be used as a diluent of semen during the first 24h of cooling maintaining adequate sperm viability and is easy to access and handle. If maintenance of semen for more than 24h is required, the BSP was superior in maintaining the quality of semen until 48h.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/102626
Arquivos Descrição Formato
000935235.pdf (486.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.