Repositório Digital

A- A A+

Transformações das relações de trabalho e sindicalismo no Brasil e no Peru 1990-2000

.

Transformações das relações de trabalho e sindicalismo no Brasil e no Peru 1990-2000

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Transformações das relações de trabalho e sindicalismo no Brasil e no Peru 1990-2000
Autor Catacora Vindagos, Edwin
Orientador Liedke, Elida Rubini
Data 2007
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia.
Assunto Brasil
Movimento sindical
Organização do trabalho
Peru
Relações de trabalho
Sindicalismo
Resumo A presente tese busca contribuir para a análise das modificações da organização do trabalho e do movimento sindical no Brasil e no Peru em sua inter-conexões com a ação estatal. As diferenças ocorridas no mundo do trabalho e as profundas mudanças do sindicalismo, no decorrer de finais da década de 1980 e ao longo da década de 1990, não são apenas resultantes de transformações tecnológicas e de mercado: elas também estão fortemente vinculadas a componentes do sistema político. A perda progressiva dos fundamentos econômicos e sociais que deram razão de ser à forma de organização dos trabalhadores então vigente é produto das mudanças econômicas, políticas e sociais que foram se implementando, em boa parte, a partir do Consenso de Washington. Nos países semi-periféricos (como o Brasil) e nos países periféricos (como o Peru) do sistema capitalista mundial, essas mudanças foram sendo implementadas pela iniciativa privada e pela atuação estatal, através dos ajustes estruturais. A tese está organizada em três partes: uma primeira que aborda questões referentes às principais mudanças da organização do trabalho, à abertura econômica e à mudança das orientações políticas e ideológicas do Estado em direção ao neoliberalismo. Discute-se, também, os aportes teóricos de Antonio Gramsci e de Max Weber quanto às relações de poder, em especial, no que respeita ao cesarismo e ao bonapartismo. A segunda parte desenvolve uma perspectiva histórica da organização do sindicalismo no Peru e no Brasil e suas relações com o Estado; e a terceira compreende a análise da implantação dos programas de ajuste estrutural, bem como suas repercussões sobre o movimento sindical. Constata-se a emergência de novas formas de atuação sindical: o neocorporativismo, no cenário político do Brasil, e o novo classismo, no caso do Peru.
Resumen Esta tesis busca contribuir al análisis de las modificaciones en la organización del trabajo y del movimiento sindical en Brasil y Perú en su inter-conexión con la acción estatal. Las diferencias ocurridas en el mundo del trabajo y las profundas transformaciones del sindicalismo, en el transcurso del final de la década de 1980 y durante la de 1990, no son apenas resultado de transformaciones tecnológicas y de mercado, sino también están fuertemente vinculadas a componentes del sistema político. La pérdida progresiva de los fundamentos económicos y sociales, que dieron razón de ser a la forma de organización de los trabajadores hasta entonces vigente, es producto de las transformaciones económicas, políticas y sociales implementadas, en buena parte, a partir del Consenso de Washington. En los países semi-periféricos (como el Brasil) y en los países periféricos (como el Perú) del sistema capitalista mundial, esas transformaciones fueron implementadas por la iniciativa privada y por la actuación estatal, a través de los ajustes estructurales. La tesis está organizada en tres partes: una primera que aborda las principales modificaciones de la organización del trabajo, la abertura económica y los cambios en las orientaciones políticas e ideológicas del Estado en dirección al neoliberalismo. Se discute, también, los aportes teóricos de Antonio Gramsci y de Max Weber respecto a las relaciones de poder, en especial, en el cesarismo y el bonapartismo. La segunda desarrolla una perspectiva histórica de la organización del sindicalismo en Perú y Brasil y sus relaciones con el Estado; y la tercera parte analiza la implantación de los programas de ajuste estructural, así como sus repercusiones sobre el movimiento sindical. Se constata la emergencia de nuevas formas de actuación sindical: el neocorporativismo, en el escenario político de Brasil, y el nuevo clasismo, en Perú.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/10324
Arquivos Descrição Formato
000595625.pdf (1.293Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.