Repositório Digital

A- A A+

Disgrace e a amoralidade do desejo

.

Disgrace e a amoralidade do desejo

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Disgrace e a amoralidade do desejo
Autor Klaudat, André Nilo
Resumo Frente ao pano de fundo de uma quase-oposição entre duas leituras de Disgrace – uma de A. Crary e outra de A. van Heerden – que defendem, respectivamente, que o propósito moral do romance é convencer sobre a natureza das limitações morais de David Lurie e trazer à tona o Puritanismo da África do Sul pós-Apartheid, vou argumentar que a visão de Coetzee, como um pensador moral, é questionável em função do tratamento tíbio dispensado pelo romance à parte de seu tema central: a natureza moral do desejo.
Abstract Against the background of a quasi-opposition between two readings of Disgrace – one by A. Crary and another by A. van Heerden – which hold, respectively, that the moral purpose of the novel is to convince about the nature of the moral limitations of David Lurie and to bring into view the Puritanism of the South Africa post-Apartheid, I am going to argue that the vision of Coetzee as a moral thinker is doubtful given the timorous treatment by the novel of part of its central theme: the moral nature of desire.
Contido em Philia&Filia. Porto Alegre, RS. Vol. 1, n. 2 (jul./dez. 2010), p. 160-175
Assunto Desejo
Moralidade
[en] Amorality of desire
[en] Disgrace
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/103944
Arquivos Descrição Formato
000836671.pdf (174.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.