Repositório Digital

A- A A+

A contribuição da farmácia na adesão ao tratamento antirretroviral : revisão sistemática e meta-análise

.

A contribuição da farmácia na adesão ao tratamento antirretroviral : revisão sistemática e meta-análise

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A contribuição da farmácia na adesão ao tratamento antirretroviral : revisão sistemática e meta-análise
Autor Rocha, Bruno Simas da
Orientador Dal Pizzol, Tatiane da Silva
Co-orientador Kuchenbecker, Ricardo de Souza
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Adesão à medicação
Atenção farmacêutica
HIV
Terapia antirretroviral de alta atividade
[en] AIDS
[en] Antiretroviral therapy
[en] Highly active (HAART)
[en] Medication adherence
[en] Pharmaceutical care
[en] Pharmacy
Resumo Introdução: A infecção pelo HIV está sendo considerada de caráter crônico e potencialmente controlável desde a instituição da Terapia Antirretroviral (TARV) e disponibilidade de marcadores para acompanhamento da sua evolução. A adesão ao tratamento necessária para garantir a supressão virológica é elevada, necessitando de monitoramento adequado a fim de detectar potenciais pacientes não-aderentes e auxiliar nas intervenções. O uso dos registros de dispensação de medicamentos pode ser uma estratégia simples e factível para identificar potenciais pacientes não-aderentes. Intervenções do profissional farmacêutico podem contribuir para aumentar a adesão e obter desfechos clínicos favoráveis. Objetivos: O objetivo deste estudo é avaliar se os registros de dispensação de medicamentos e intervenções farmacêuticas podem contribuir na avaliação e melhora da adesão ao tratamento antirretroviral e outros desfechos clínicos relevantes, através de duas revisões sistemáticas. Métodos: Foram realizadas duas revisões sistemáticas, com busca nas bases de dados MEDLINE, Registro de ensaios clínicos da Cochrane, EMBASE, IBECS, CINAHL, IPA, SCOPUS, Web Of Science, LILACS, Scielo e Clinical Trials. Para avaliar os registros de dispensação na adesão ao tratamento foram selecionados estudos que estimaram a adesão ao tratamento pelos registros de dispensação de antirretrovirais e compararam com desfechos clínicos (carga viral, contagem de linfócitos CD4, resistência viral ou óbito) ou outro método para estimar a adesão. Para avaliar intervenções farmacêuticas na TARV foram selecionados ensaios clínicos randomizados em que havia a participação de farmacêutico na intervenção profissional, e as principais medidas de desfecho selecionadas foram a adesão ao tratamento, carga viral e CD4. Resultados: Foram encontrados 3551 estudos para a primeira revisão, dos quais 92 foram selecionados. Os estudos selecionados eram heterogêneos, sendo estudos de coorte os mais frequentes, o período mais utilizado para cálculo da adesão de seis meses e o ponto de corte mais utilizado para adesão de 95%. Os resultados dos estudos apontam para associação positiva entre adesão estimada pelos dados de farmácia e carga viral e outros métodos, com melhores resultados desta associação quando avaliada de forma temporal. Para a revisão sobre atenção farmacêutica na TARV foram encontrados 681 estudos, dos quais quatro atenderam aos critérios de inclusão. A adesão ao tratamento foi estimada em todos os estudos, e o odds ratio sumarizado foi de 1,47 (IC95% 0,81 – 2,65). A supressão virológica foi estimada em três estudos, obtendo odds ratio sumarizado de 1,95 (IC95% 0,61 – 6,25). Conclusões: Os resultados dos estudos indicam que os dados da farmácia podem ser úteis na avaliação da adesão ao tratamento, relacionando-se com desfechos clínicos como carga viral e CD4. Os resultados das meta-análises sugerem que a intervenção farmacêutica pode auxiliar na melhora da adesão ao tratamento antirreroviral e carga viral, no entanto, não houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos. Em populações com baixa adesão e maior vulnerabilidade, a intervenção farmacêutica pode ser mais eficaz.
Abstract Introduction: HIV infection is being considered chronic and potentially manageable since the introduction of Antiretroviral Therapy (ART) and availability of biogical markers for monitoring its evolution. Adherence to treatment necessary to ensure virologic suppression is high, requiring adequate monitoring to detect potential nonadherent patients and plan interventions. The use of medication dispensing records can be a simple and feasible method to identify potential non-adherent patients. Pharmacist interventions can increase adherence and get favorable outcomes. Objectives: The aim of this study is to evaluate whether the dispensing drugs records and pharmaceutical interventions may help in assessing and improving adherence to antiretroviral treatment and other relevant clinical outcomes through two systematic reviews. Methods: Two systematic reviews were performed, with the search strategies performed in MEDLINE, Cochrane registration of clinical trials, EMBASE, IBECS, CINAHL, IPA, SCOPUS, Web of Science, LILACS, SciELO and Clinical Trials database. To evaluate the prescription refill records treatment adherence, were selected studies that had measures treatment adherence by records of antiretrovirals dispensing and compared with clinical outcomes (viral load, CD4 count, viral resistance or death) or alternative method to estimate adherence. To evaluate pharmaceutical interventions on ART, randomized clinical trials in which there was participation of pharmacists in the intervention were selected, and the main outcome measures were treatment adherence, viral load and CD4. Results: 3551 studies were found for the first review, of which 92 were selected. The selected studies were heterogeneous, with cohort studies the most frequent, the period most frequent used to calculate adherence were six months and the cutoff for adherence were 95%. Study results indicate good relationship between adherence estimated by pharmacy data, viral load and other methods, with best results of the association between adherence and viral load as measured temporally. For the review of pharmaceutical care in ART 681 studies were found, of which four met the inclusion criteria. Adherence to treatment was estimated in all studies, and summarized odds ratio was 1.47 (95% CI 0.81 to 2.65). Virological suppression was estimated in three studies, getting summarized odds ratio of 1.95 (95% CI 0.61 to 6.25). Conclusions: The study results indicate that the pharmacy claim data can be useful in assessing adherence to antirretroviral treatment, correlating with clinical outcomes such as viral load and CD4. The results of the meta-analyzes suggest that there was no difference between treatment adherence and virologic suppression in intervention group with pharmacist and the control group, despite overall results being favorable to pharmaceutical intervention. In populations with low compliance and vulnerability, pharmaceutical interventions may be more effective.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/104139
Arquivos Descrição Formato
000937751.pdf (538.8Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.