Repositório Digital

A- A A+

Aplicação da Teoria da Resposta ao Item ao escore NESSCA de avaliação da progressão da Doença de Machado Joseph

.

Aplicação da Teoria da Resposta ao Item ao escore NESSCA de avaliação da progressão da Doença de Machado Joseph

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Aplicação da Teoria da Resposta ao Item ao escore NESSCA de avaliação da progressão da Doença de Machado Joseph
Autor Maciel, Tássia Henkes
Orientador Torman, Vanessa Bielefeldt Leotti
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Matemática. Departamento de Estatística. Curso de Estatística: Bacharelado.
Assunto Doença de Machado-Joseph
Estatística médica
Abstract A escala NESSCA (Neurological Examination Score for Spinocerebellar Ataxia) foi criada para medir o comprometimento de pacientes com ataxias spinocerebrais, entre elas a ataxia spinocerebral tipo 3, conhecida como Doença de Machado Joseph (DMJ). A escala é baseada em exames neurológicos e o escore pode estar entre 0 e 40. Nosso objetivo foi avaliar a NESSCA através da Teoria da Resposta ao Item (TRI). Este trabalho foi dividido em duas etapas: na primeira se avaliou o escore NESSCA obtido por diferentes modelos da TRI e em seguida foram aplicados os modelos calibrados na etapa anterior em outro conjunto de dados. Os resultados mostraram que os itens Câimbra e Vertigem não ajudam a medir o comprometimento com a DMJ e poderiam ser retirados da NESSCA. Outra melhoria proposta foi em relação ao agrupamento de categorias de resposta para alguns itens. Entre os modelos de resposta gradual de Samejima ajustados, um deles se destacou por ter altas correlações com a NESSCA (0,911, p-valor<0,05), alta consistência interna (Alfa de Cronbach 0,81), ser composto apenas por 12 itens e perder pouca informação em relação ao modelo completo (6,5%). A utilização da TRI em estudos futuros para avaliar o comprometimento com DMJ é recomendada, pois este método apresentou vantagens em relação ao método atualmente utilizado, especialmente em relação ao menor número de itens necessários para medir o traço latente e o ganho em discriminação ao utilizar uma escala contínua.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/104368
Arquivos Descrição Formato
000940621.pdf (2.975Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.