Repositório Digital

A- A A+

Weird sisters : adaptação shakespeariana e sua fixação no polisssistema cultural ocidental

.

Weird sisters : adaptação shakespeariana e sua fixação no polisssistema cultural ocidental

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Weird sisters : adaptação shakespeariana e sua fixação no polisssistema cultural ocidental
Autor Oliveira, Lucas Demingos de
Indrusiak, Elaine Barros
Resumo Partindo de uma abordagem dos fenômenos adaptativos como essencialmente tradutórios e, nesse sentido, análogos à própria compreensão (Steiner, 1975), o presente trabalho destaca a interdependência e interpenetração de textos em diferentes linguagens e sistemas semióticos e, em última instância, seu impacto sobre os polissistemas culturais e literários (Even- Zohar, 2010). Demonstra-se, assim, que a própria natureza dos polissistemas literários é intrinsicamente convergente e transmidiática (Jenkins, 2006). A partir de uma abordagem sistêmica e tomando tais conceitos por aporte teórico, este trabalho tem como objeto de estudo a representação personificada do Destino por meio das Weird Sisters, ou As Três Bruxas, da peça Macbeth, de William Shakespeare (1623), a qual adapta a figura clássica das Moiras, divindades que tecem o destino. Sendo ele próprio um comparatista avant la lettre, uma vez que boa parte de seus enredos e personagens são apropriações de textos anteriores, Shakespeare configura-se como catalisador dessa nova representação do Destino personificado. Dada a relevância e centralidade do texto shakespeariano no cânone literário ocidental, no entanto, essa representação teatral firma-se, ela própria, como a imagem canônica e como corporificação do arquétipo da divindade tripla. Ao sedimentar e universalizar tal caracterização, o texto shakespeariano empresta a essas descendentes das Moiras um aspecto sinistro, diferentemente daquele registrado em representações plásticas clássicas, bem como um tom de parcialidade em relação à humanidade, contrastando com a imparcialidade das divindades na mitologia clássica. Uma vez consolidado no texto shakesperiano, esse processo adaptativo seria, posterior e paulatinamente, transposto para o cinema, onde se fixa a representação visual do arquétipo em associação com a imagem de bruxas.
Abstract The present work is part of the research project The Impact of Film Adaptations in Literary Polysystems, which aims to demonstrate the relevance and impact of adaptations on cultural and literary polysystems (Even-Zohar, 2010). Stemming from an approach to the adaptive phenomena as essentially translational and, in this sense, similar to comprehension itself (Steiner, 1975), the research highlights the interdependence and interpenetration of texts of different natures and codes. As a result, is the research demonstrates that the nature of literary polysystems is intrinsically convergent and transmedia (Jenkins, 2006). The following work is part of the research project The Impact of Based on a systemic approach and partially supported by the same theoretical support, this paper has as object of study Destiny’s anthropomorphic representation through the Weird Sisters, also known as the Three Witches, from Shakespeare’s Macbeth (1623), which adapts the classic Moirae figure, deities who weave men’s destinies. A comparatist avant la lettre, since great part of his plots and characters appropriate from previous texts, Shakespeare works as a catalyst in a new anthropomorphic representation of Destiny. Given the relevance and centrality of the Shakespearean text within the Western canon, however, this theatrical representation consolidates itself as the canonical image of the triple deity archetype. While consolidating and widely scattering this characterization, the Shakespearean text adds to these descendants of the Moirae sinister features, unlike those registered in classic representations, as well as a note of partiality in relation to humanity, contrasting with the classic deities’ impartiality. Having been solidified in the Shakespearean text, this adaptive process would later be gradually transposed to cinema, where it establishes itself as the archetypal visual representation in association with the image of witches.
Contido em Translatio : revista do Núcleo de Estudos de Tradução Olga Fedossejeva. Porto Alegre, RS. N. 6 (2013), p. 162-169
Assunto Adaptação
Polissistema cultural
Shakespeare, William 1564-1616. Macbeth
[en] Adaptation
[en] Moirae
[en] Polissystems
[en] Weird Sisters
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/104449
Arquivos Descrição Formato
000929406.pdf (546.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.