Repositório Digital

A- A A+

Memória e fabulação em Henri Bergson : considerações sobre a experiência do tempo no ensino de história

.

Memória e fabulação em Henri Bergson : considerações sobre a experiência do tempo no ensino de história

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Memória e fabulação em Henri Bergson : considerações sobre a experiência do tempo no ensino de história
Autor Cunha, Gabriel Torelly Fraga Correa da
Orientador Pereira, Nilton Mullet
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Ensino
Filosofia da diferença
História
Memória
[en] Bergson, Henri
[en] Fabulation
[en] History teaching
[en] Memory
[en] Philosophy of difference
Resumo A dissertação apresenta rastros de um percurso filosófico e suas crises. Crises entendidas no sentido de um gesto criador, que leva o filósofo, no caso Henri Bergson, a passar de um conceito a outro. Da memória à fabulação é todo um plano de pensamento original que se insinua, suscitando uma nova modalidade de cálculo dos problemas filosóficos envolvidos no encontro radical entre a teoria do conhecimento, a metafísica e a experiência. Situada diante deste novo cálculo como um aluno que postado em frente a um quadro negro com alguns rabiscos começa a explorar o mundo estranho que se abre, a escrita da dissertação procura realizar aproximações problemáticas, entradas e saídas sinuosas, cujo objetivo é tensionar os limites éticos e estéticos da discursividade atual do ensino de História. Procura, ainda, ler Bergson ao modo de Deleuze, descolando a história da filosofia da sua mortalha museológica para apresentar-lhe de modo contemporâneo, intempestivo. Do ponto de vista de um virtualismo bergsoniano, postula um ensino menos afeito às estruturas significantes atuais e mais próximo de uma política expressiva aberta à expansão dos limites da significação.
Abstract This dissertation presents a trail of traces from a philosofical path and its crisis. Crisis interpreted as a 'gesture of creation', that takes the philosopher, in this case Henri Bergson, from one concept to another. From memory to fabulation it is a whole new plan of original thought that insinuates itself, bringing about a new modality of calculation to philosophical problems involved in the radical encounter of the Theory of Knowledge, the Metaphysics and the experience. Situated before this new modality of calculation like a student who stands in front of a blackboard drawing scribbles starts to explore and open up a new world, the writing of this dissertation aims to acomplish problematic approaches, winding inputs and outputs, whose objectives are to tension the ethical and aesthetical limits of the current historical discursivity used in the teaching of history. Furthermore, it intends to show and read Bergson through Deleuzes way, separating the history of philosophy from its museological shroud to present it in a sudden contemporary manner. From a bergsonian virtualism point of view, it postulates an education less wonted to current significant structures and closer to an expressive policy open to the expansion of signification limits.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/104489
Arquivos Descrição Formato
000940018.pdf (661.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.