Repositório Digital

A- A A+

O gestor coletivo : psicodinâmica grupal em empresas assumidas por trabalhadores

.

O gestor coletivo : psicodinâmica grupal em empresas assumidas por trabalhadores

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O gestor coletivo : psicodinâmica grupal em empresas assumidas por trabalhadores
Autor Meira, Fábio Bittencourt
Resumo Este artigo sumariza os resultados de uma pesquisa sobre o processo de organização das Empresas Assumidas por Trabalhadores (EAT) – empresas convencionais em processo falimentar que acabam administradas por ex-trabalhadores. A questão central é de que maneira o grupo de trabalhadores recria os vínculos, interações sociais e práticas administrativas herdadas? A resposta fundamenta-se na psicossociologia dos grupos e propõe um construto teórico designado gestor coletivo: nome dado ao conjunto de mecanismos operantes na elaboração subjetiva do grupo humano ao longo do processo de auto-organização. O construto é apresentado por meio de um estudo de caso, numa proposta expositiva de diálogo entre teoria e campo empírico. Os resultados corroboram o entendimento de que o trabalho de auto-organização é correlato ao trabalho de autolimitação do grupo humano. No caso das EAT, o processo parece orientar-se pelo ajuste seletivo e permanente de uma práxis transformadora – gestada pelo grupo – às restrições e contradições do entorno.
Abstract This paper summarizes the results of a research on Companies Assumed by Workers (CAW) – firms that go into bankruptcy and end up managed by ex-employees. The main question is how do the workers recreate bonds, social interactions and inherited management practices? The answer is based on group Psychosociology to propose a theoretical construct named collective manager: a reference to the ensemble of group subjective mechanisms that operate throughout their self-organizing process. This construct is presented in a case study, in which theoretical considerations dialog with the field research findings. The outcomes strengthen the understanding that group self-organizing is correlated to the group subjective work of self-limitation. In the case of CAW, the process seems to be leaded by the selective and permanent adjustment of group creative and transformative praxis to environmental constraints and contradictions.
Contido em Organizações e sociedade. Salvador. Vol. 21, n. 70 (jul./set. 2014), p. 425-442
Assunto Autogestão
Gestão cooperativa
Práticas organizacionais
Psicossociologia
[en] Collective management
[en] Human groups
[en] Psychosociology
[en] Recovered companies
[en] Worker’s self-management
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/104545
Arquivos Descrição Formato
000922790.pdf (967.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.