Repositório Digital

A- A A+

Análise filogenética e revisão de Sphaerocysta (HEMIPTERA, HETEROPTERA, TINGIDAE)

.

Análise filogenética e revisão de Sphaerocysta (HEMIPTERA, HETEROPTERA, TINGIDAE)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise filogenética e revisão de Sphaerocysta (HEMIPTERA, HETEROPTERA, TINGIDAE)
Autor Soares, Marcus Rodrigo Guidoti
Orientador Ferrari, Augusto
Co-orientador Barcellos, Aline
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal.
Assunto Filogenética
Sphaerocysta
Resumo O gênero de percevejo de renda Sphaerocysta (Heteroptera, Tingidae), é composto por 12 espécies com distribuição exclusiva para a América do Sul, sendo que apenas S. nosella não é registrada para o Brasil. Ele pode ser caracterizado por: capuz esférico; presença de carenas pronotais (uma ou três); cisto na projeção posterior do pronoto (com exceção de S. egregia); área discoidal com a parte posterior elevada. Somente duas espécies possuem informações sobre imaturos, S. angulata e S. inflata, e somente o quinto ínstar destes táxons foram descritos. O histórico taxonômico do gênero não possui muitos atos nomenclaturais, contando com apenas 4 sinonímias. Duas novas espécies foram aqui propostas, S. ruthae n. sp. e S. costai n. sp., sendo a última descrita junto com sua ninfa de quinto ínstar. As informações dos imaturos das espécies de Sphaerocysta foram adicionadas a uma matriz morfológica previamente publicada (Guilbert, 2004), para o teste das hipóteses de evolução de caracteres ninfais propostas pelo autor da matriz. Com a adição destes novos táxons à matriz, as hipóteses defendidas na literatura não foram corroboradas. A marcante diferença intragenérica observada na morfologia das ninfas de quinto ínstar das espécies de Sphaerocysta, após a descrição do imaturo de S. costai n. sp., foi jamais observada em outro gênero da família. A análise filogenética do gênero recuperou a monofilia do mesmo, sendo este grupo irmão de Dicysta, um gênero majoritariamente Neotropical. O grupo irmão de ambos foi Galeatus spinifrons, uma espécie Paleártica. A revisão taxonônima resultou na proposição de uma sinonimia (S. maculata como sinônimo júnior de S. propria), com discussão sobre o status taxonômico de S. propria e S. brasiliensis, e também S. globifera e S. stali. Os novos dados de ocorrência reportados no trabalho permitiram a expansão do registro geográfico do gênero para a América Central (S. fumosa, registrado pela primeira vez no Panamá) e computou novos registros para cinco espécies, sendo elas: S. angulata, S. fumosa, S. globifera, S. inflata e S. nosella. Sphaerocysta fumosa e S. nosella tiveram primeiros registros para, respectivamente: Panamá e Venezuela; Brasil. Com este novo dado geográfico de S. nosella, todas as espécies do gênero ocorrem no Brasil, com exceção de S. costai n. sp., exclusiva da Argentina.
Abstract The lacebug genus Sphaerocysta (Heteroptera, Tingidae comprises twelve species, exclusive to South America, all registered to Brazil with the exception of S. nosella. Sphaerocysta can be identified by the following characters: spherical hood; presence of pronotal carina (one or three); presence of a cyst on the pronotal posterior projetion (except S. egregia); posterior region of discoidal area elevated. Immatures were described for only two species, S. angulata and S. inflata, both fifth instar nymphs. The taxonomic history has only a few taxonomic acts, including four synonymies. Two new species are here described: S. ruthae n. sp. e S. costai n. sp., the last described together with its fifth instar nymph. These immature data of the species of Sphaerocysta were added to a matrix used in a phylogenetic analysis (Guilbert, 2004), to test the hypoteses regarding the evolution of the morphological immature features proposed by the matrix author. The analyses after the addition of these new data do not corroborate with those hypotheses. The remarkable morphological difference observed within the Sphaerocysta immatures described so far was never noticed in any other Tingidae genera. The phylogenetic analysis recovered the genus as monophyletic, with Dicysta, a mostly Neotropical genus, as its sister-group. The sister-group of this clade was Galeatus spinifrons, a Paleartic species. The taxonomic review led to a synonomy: S. maculata is now considered junior synonym of S. propria. Besides this nomenclatural act, comments on the status of S. propria and S. brasiliensis, as well as on the status of S. globifera and S. stali are available. The new geographical data presented in this work expands the distributional range of the genus to the Central America (S. fumosa, reported for the first time in Panama). A total of five species have new distributional records: S. angulata, S. fumosa, S. globifera, S. inflata and S. nosella. Sphaerocysta fumosa and S. nosella have some first country records, as follows: Panama and Venezuela; Brazil, respectively. With this new geographical data of S. nosella, all the species of Sphaerocysta occur in Brazil, with the only exception of S. costai n. sp., exclusive to Argentina.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/104752
Arquivos Descrição Formato
000930786.pdf (291.7Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.