Repositório Digital

A- A A+

Avaliação dos efeitos do antígeno B de Echinococcus granulosus sobre células de mamíferos em cultura

.

Avaliação dos efeitos do antígeno B de Echinococcus granulosus sobre células de mamíferos em cultura

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação dos efeitos do antígeno B de Echinococcus granulosus sobre células de mamíferos em cultura
Autor Silva, Edileuza Danieli da
Orientador Zaha, Arnaldo
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Centro de Biotecnologia do Estado do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular.
Assunto Antígeno B
Echinococcus granulosus
Hidatidose cística
[en] Antigen B
[en] Echinococcus granulosus
[en] Endocytosis
Resumo A hidatidose cística é uma zoonose causada pelo estágio larval (cisto hidático) do Echinococcus granulosus. O cisto hidático desenvolve-se nas vísceras dos hospedeiros intermediários como uma estrutura unilocular preenchida pelo líquido hidático, que contém os produtos de excreção/secreção do parasito. O antígeno B (AgB) de E. granulosus, um dos principais componentes antigênicos do líquido hidático, é uma lipoproteína oligomérica composta por subunidades de 8 kDa. Em solução o AgB existe como distintos oligômeros e agregados em equilíbrio, contudo, os oligômeros de aproximadamente 160 kDa são predominantes. A função do AgB não é totalmente clara, mas dois papeis principais são sugeridos: de molécula imunomoduladora e de carreador de lipídios. Neste estudo, nós investigamos se o AgB é capaz de interagir com diferentes tipos celulares e afetar sua viabilidade. O AgB foi purificado por cromatografia de imunoafinidade a partir de líquido hidático coletado de cistos hidáticos individuais. A internalização do AgB pelas linhagens A549 (célula epitelial de pulmão), NIH/3T3 (fibroblasto), RH (hepatócito) e J774 (macrófago) foi avaliada por imunofluorescência. A viabilidade celular foi analisada pelo ensaio de redução do MTT após incubação com AgB por 24 h. As quatro linhagens celulares foram capazes de internalizar o AgB a 37°C. Para avaliar o envolvimento de endocitose na internalização, células RH foram incubadas com AgB a 4°C, condição que inibe processos de endocitose. Nessa condição, o AgB não foi observado no citoplasma celular, sugerindo que vias de endocitose poderiam estar envolvidas. Células RH e A549 mostraram maior sensibilidade no ensaio de MTT. A taxa de redução de MTT no tratamento com 100 μg/ml de AgB foi de 68% e 57% para RH e A549, respectivamente. Nas mesmas condições, células NIH/3T3 e J774 mostraram respostas similares, o nível de redução do MTT foi 80% e 78%, respectivamente. A sensibilidade observada para as células A549 e RH poderia estar relacionada ao organotropismo por pulmões e fígado reportado na hidatidose cística. A internalização pelas células pode ser uma etapa necessária para a função do AgB como carreador de lipídios ou molécula imunomoduladora e durante esse processo, o AgB poderia causar dano celular nos tecidos do hospedeiro.
Abstract Cystic hydatid disease is a zoonosis caused by the larval stage (hydatid cyst) of Echinococcus granulosus. The hydatid cyst develops in the viscera of intermediate host as a unilocular structure filled by the hydatid fluid, which contains parasitic excretory/secretory products. E. granulosus antigen B (AgB), one of the major antigenic component of hydatid fluid, is an oligomeric lipoprotein composed by small subunits with approximately 8 kDa. In solution, AgB exists as distinct oligomers and aggegates in equilibrium, however oligomers with approximately 160 kDa are prevalent. The AgB function is not completely clear, but two major roles are suggested: as an immunomodulatory molecule and as a lipid carrier. In this study, the ability of AgB to interact with different cell types and to affect cell viability was investigated. AgB was purified by immunoaffinity chromatography from hydatid fluid collected from individual hydatid cysts. The internalization of AgB by A549 (lung epithelial cell), NIH/3T3 (fibroblast), RH (hepatocyte) and J774 (macrophage) cells was evaluated by immunofluorescence. Cell viability was analyzed by MTT reduction assay after incubation with AgB by 24 h. The four cell lines tested were able to internalize AgB at 37°C. In order to evaluate the role of endocytosis in the internalization, RH cells were incubated with AgB at 4°C, condition that inhibits endocytosis processes. In this condition, AgB was not visualized on cell cytoplasm, suggesting that endocytosis pathways could be envolved. RH and A549 cells showed higher sensitivity on MTT assay. The MTT reduction level on the 100 μg/ml AgB treatment was 68% and 57% for RH and A549, respectively. In the same condition, NIH/3T3 e J774 cells showed similar responses, the MTT reduction level was 80% and 78%, respectively. The observed sensitivity on A549 and RH cells could be related to the organothropism by lungs and liver reported on cystic hydatid disease. The internalization by cells might be a necessary step to the AgB function as a lipid carrier or an immunomodulatory molecule and during this process, AgB could cause cell damage to the host tissues.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/104785
Arquivos Descrição Formato
000920930.pdf (961.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.