Repositório Digital

A- A A+

Hibisco roxo e o “estereótipo” africano : uma outra história do imperialismo

.

Hibisco roxo e o “estereótipo” africano : uma outra história do imperialismo

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Hibisco roxo e o “estereótipo” africano : uma outra história do imperialismo
Autor Batista, Mirian do Nascimento
Orientador Brito Junior, Antonio Barros de
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Curso de Letras: Licenciatura.
Assunto Cultura
Identidade
Imperialismo
Literatura africana
Literatura nigeriana
Ngozi Adichie, Chimamanda
Pós-colonialismo
[en] Culture
[en] Identity
[en] Imperialism
[en] Postcolonialism
Resumo Após a sequência de emancipações das colônias britânicas, na segunda metade do século XX, o cânone literário, predominantemente europeu, alterou-se com a emergência de narrativas sob a perspectiva do colonizado. Este trabalho analisa a obra contemporânea Hibisco roxo, de autoria de Chimamanda Ngozi Adichie, que apresenta a história de uma família nigeriana de etnia Igbo, no contexto pós-república de Biafra, nos anos de 1960. O nosso objetivo é investigar o imperialismo do ponto de vista do colonizado e sua influência na representação do africano. Para isso, fazemos uma análise da obra literária a partir de reflexões seminais que embasam o campo dos Estudos Culturais, tais como Edward Said (1995), Stuart Hall (2006), Homi Bhabha (2003), entre outros. Essa abordagem explora questões sobre identidade cultural, sobretudo na modernidade tardia. Este estudo concluiu que a narrativa pós-colonial de Hibisco roxo apresenta marcas sutis do período colonialista na Nigéria e, ao mesmo tempo, desafia a representação da identidade africana através da personagem principal.
Abstract After the successive emancipations of the colonies from the British Empire, in the second half of the 20th century, the literary canon, predominantly Eurocentric, was altered by the emergence of narratives from the perspective of the colonized. This paper analyzes the contemporary work Purple Hibiscus by Chimamanda Ngozi Adichie, which presents the story of an Igbo Nigerian family in the post-Biafra context, in the 1960s. Our aim is to investigate imperialism from the colonized‟s point of view and its influence on the representation of the African. In order to achieve our goals, the research draws on a theoretical framework from Cultural Studies, such as Edward Said (1995), Stuart Hall (2006), Homi Bhabha (2003), and more. Such approach explores questions about cultural identity, especially in Post-modernity. This study concluded that the postcolonial narrative Purple Hibiscus reveals subtle marks of the colonialist period in Nigeria and, at the same time, it challenges the representation of African identity through its main character.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/105248
Arquivos Descrição Formato
000941628.pdf (487.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.