Repositório Digital

A- A A+

A globalização e as transformações produtivas : conseqüências para o mercado de trabalho e para as relações trabalhistas no setor de autopeças do Rio Grande do Sul

.

A globalização e as transformações produtivas : conseqüências para o mercado de trabalho e para as relações trabalhistas no setor de autopeças do Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A globalização e as transformações produtivas : conseqüências para o mercado de trabalho e para as relações trabalhistas no setor de autopeças do Rio Grande do Sul
Autor Rübenich, Nilson Varella
Orientador Piccinini, Valmiria Carolina
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Programa de Pós-Graduação em Administração.
Assunto Administração de recursos humanos
Cadeia automotiva
Mercado de trabalho
Relações de trabalho
Relacões trabalhistas
Sindicalismo
Trabalho : Reestruturação produtiva
Resumo Com a abertura econômica brasileira e a conseqüente inserção do país no processo de globalização, as empresas nacionais como um todo tiveram que se adaptar à nova realidade. Nas empresas que compõem a cadeia automotiva em seus mais diversos níveis, o processo foi ainda mais rigoroso. Isso porque as montadoras, de um modo geral, formam o segmento da indústria que mais rapidamente se inseriu neste processo, aproveitando a vantagem de para reduzir seus custos, podendo ter fornecedores em qualquer parte do globo. Em conseqüência, as empresas nacionais de menor porte tiveram que rapidamente apresentar condições de competitividade global. Para verificar como se deram as transformações que permitiram este salto de competitividade, com especial ênfase nas mudanças ocorridas no mercado de trabalho, o presente trabalho trata de um estudo no setor de autopeças do estado do Rio Grande do Sul. O estudo foi eminentemente qualitativo, realizando-se entrevistas com tomadores de decisão (representantes de empresas privadas do setor), além de entidades de classe e sindicatos patronais e de trabalhadores. Ficou evidenciado que o setor de autopeças gaúcho é composto por empresas de todos os portes e origens de capital, mas que predominam empresas de pequeno e médio porte de capital nacional. Essas empresas hoje enfrentam concorrência global, de empresas localizadas nas mais diversas partes do mundo. Por isso, a maior mudança que teve de ser enfrentada pelas empresas gaúchas foi a necessidade de qualificação do parque fabril e da mão-de-obra, com a inserção de novas tecnologias produtivas e de gestão. Isso porque a concorrência global exigiu produtos com padrões de excelência também globais. Essa exigência recaiu diretamente na mão-de-obra empregada, exigindo a qualificação dos profissionais em todos os níveis, alterando o perfil do mercado de trabalho. Este ainda apresentou desigualdade de disponibilidade de pessoal qualificado nos níveis operacionais nos diferentes pólos automotivos. Na região de Porto Alegre há maior satisfação quanto à disponibilidade de mão-de-obra qualificada, enquanto no pólo de Caxias do Sul as empresas ressentem-se com a insuficiência de pessoal mais qualificado. Quanto às relações trabalhistas, este trabalho explanou sobre a evolução histórica dessas relações no país, culminando com o “próximo passo”, que seria a reforma no marco legal que rege o sistema de relações de trabalho nacional. Na pesquisa empírica, porém, os tomadores de decisão mostraram-se à parte das discussões, sem apresentarem opiniões mais definidas a respeito. As entidades sindicais, por outro lado, mostram posicionamento negativo às novas propostas.
Abstract The Brazilian economic opening and the insertion of the country in the globalization process, the national companies had to adapt themselves to the new reality. For the companies which compose the automotive chain in its diverse levels, the process had been even more rigorous. It happens because the assembly plants, in a general way, is the segment of the industry that has quickly enter into the global economy, using suppliers from any part of the world to reduce their costs. In this process, national capital companies, smaller than multinationals, had to quickly transform themselves into global competitive companies. To verify how these transformations had happened, specifically at work market, this study will present the autoparts sector of Rio Grande do Sul. The study was eminently qualitative, fulfilled with interviews with managers (representative of private companies from the sector), beyond companies and workers unions. It has been evidenced that the sector of Rio Grande do Sul’s autoparts (gaucho) is composed of companies of all sizes and capital origins, but the small and medium size companies are predominate. These companies nowadays had to concur with others form all over the world. In consequence, the biggest change that had to be done was the qualification of the factories and of the man power, using newest productive and management technologies. It is because the global concurrence demands products in global partners. This requirement fell again directly into the man power, demanding the qualification of the professionals in all levels, modifying the profile of the work market. It presents inequality of available qualified staff in the operational levels in different production regions. In Porto Alegre’s region has greater satisfaction in the availability of qualified man power, while Caxias do Sul’s regions the companies complains of insufficiency qualified staff. About the industrial relations, this work explains the historical evolution of these relations in the country, culminating with the "next step", which would be the reform in the legal norms of industrial relations system. In the empirical research, however, the managers show themselves apart of those discussions, without presenting more consistent opinions about it. The unions, on the other hand, show negative positioning about the new proposals.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/10679
Arquivos Descrição Formato
000600599.pdf (747.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.