Repositório Digital

A- A A+

Aspectos biológicos de Sphyrna lewini (Griffith & Smith, 1834) no Litoral Norte do Rio Grande do Sul : subsídios para a identificação dos seus berçários

.

Aspectos biológicos de Sphyrna lewini (Griffith & Smith, 1834) no Litoral Norte do Rio Grande do Sul : subsídios para a identificação dos seus berçários

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Aspectos biológicos de Sphyrna lewini (Griffith & Smith, 1834) no Litoral Norte do Rio Grande do Sul : subsídios para a identificação dos seus berçários
Autor Horn, Tomaz Stumpf
Orientador Malabarba, Luiz Roberto
Co-orientador Quijano, Santiago M.
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Ênfase em Biologia Marinha e Costeira: Bacharelado.
Assunto Peixes elasmobrânquios : Hábitos alimentares
Peixes elasmobrânquios : Sphyrna lewini
Pesca : Elasmobrânquios
Rio Grande do Sul, Litoral norte
[en] Diet
[en] Elasmobranch
[en] Fishery
[en] Food habits
Resumo Área de berçário é definida como uma região onde ocorrem altas densidades de indivíduos jovens de uma determinada espécie, onde a predação é evitada com maior sucesso, o crescimento ocorre em uma taxa mais rápida que em outros habitats devido a vantagens ambientais como elevada disponibilidade de comida, e com isso provém uma contribuição maior para o recrutamento do que outras áreas. Nem todas as áreas onde ocorrem indivíduos na fase juvenil podem ser consideradas áreas de berçário, mas apenas aquelas que representam contribuição ao recrutamento maior do que a média de outras áreas. Beck et al.. (2001) sugeriram quatro fatores a serem levados em consideração ao avaliar uma área como berçário: densidade, crescimento, sobrevivência e movimentação da espécie. É sabido que as águas costeiras do Rio Grande do Sul abrigam neonatos e juvenis de Sphyrna lewini, com registros de captura para o litoral do estado, incluindo o litoral norte. Todavia estudos focados estritamente na investigação da região como uma área de berçário para S. lewini, com uso de ferramentas diversas para tal análise, ainda não foram realizados, resumindo-se a inferências a partir de dados de captura. Foram realizados 65 acompanhamentos (25 embarques e 40 desembarques) à pesca entre setembro de 2011 e abril de 2014, através dos quais foi feito um levantamento da composição de captura do tubarão-martelo-entalhado na região do litoral norte do Rio Grande do Sul (LNRS). Os S. lewini desembarcados foram dissecados, e seus estômagos coletados para o estudo da sua dieta. A população de tubarões martelo afetada pela frota pesqueira do LNRS esta composta principalmente por juvenis (CT médio = 55,7 cm), porém durante os meses de novembro e dezembro os neonatos foram mais comuns. Somado a este fato, a captura de fêmeas adultas prenhes na região durante este período, fortalece a hipótese da região como um berçário primário para a espécie. A dieta de S. lewini consistiu em teleósteos, cefalópodes e crustáceos, com diferenças na estratégia alimentar entre neonatos e juvenis, assim como entre machos e fêmeas. O Índice Trófico calculado para S. lewini foi 4, similar a outros estudos para a espécie. O modelo gráfico de Amundsen (1996) demonstrou uma dominância dos teleósteos na dieta, sendo esta mais evidente para os juvenis. Os crustáceos foram um grupo secundário para a dieta, mas para os neonatos tiveram uma importância maior na dieta. A análise do CT das presas dos tubarões-martelo mostrou a preferência dos juvenis por peixes sub-adultos, que ocorrem mais comumente nas zonas entre 30-100 m de profundidade. Esta diferença na dieta evidencia uma segregação entre neonatos e juvenis, separando assim o berçário primário do secundário em função da profundidade. A riqueza e abundância de espécies providas pela região do LNRS, fortemente associado à proximidade de dois estuários, parece ser a mais importante vantagem para o uso da região como berçário por S. lewini. Adicionalmente aos itens alimentares encontrados nos estômagos analisados que estão associados a esta região, a captura de alguns indivíduos dentro do estuário fortalece essa hipótese.
Abstract A nursery is defined as a region where high densities of newborn animals are observed, the predation is avoided more successfully, the rates of growth are increased due to environmental advantages, such as abundance of food, which provides more contribution to the adult recruitment than other areas. Not all areas where the newborn individuals occur can be considered as nurseries, only those which represent a recruitment contribution higher than the average of other areas. Beck et al.. (2001) suggest four factors to be considered when evaluating an area as a nursery: density, growth, survival and the movements of the species. It is known that the coastal waters of Rio Grande do Sul state hosts newborn and young individuals of Sphyrna lewini, with fishing records in the state’s littoral, including the northern shore. However, studies focused strictly in the investigating the area as a nursery for S. lewini, with the use of different analysis hasn’t been developed yet, summarizing it’s inferences from fishing data. Sixty five fisheries monitoring were made (25 embarkments, and forty disembarkments) between September 2011 and April 2014, from which an assessment of the fishery composition of the scalloped hammerhead shark in the region of the north shore of Rio Grande do Sul state (LNRS) was made. The S. lewini were dissected, and their stomachs collected to study it’s diet. The population of scalloped hammerhead shark affected by the fishing fleet of the LNRS is mainly composed of juveniles (mean CT = 55, 7 cm), but during the months of November and December the newborns were more common. In addition, the capture of pregnant adult females in the region during this period reinforces the hypothesis of the region as a primary nursery area to the species. The diet of S. lewini consisted of fishes, cephalopods and crustaceans, with differences in the feeding strategy between newborns and juveniles, and between males and females. The standardized trophic level calculated for S. lewini was 4, similar to other studies for the species. The graphical model of Amundsen (1996) demonstrates the dominance of fishes in the diet, which was more evident in the juveniles. The crustaceans were a secondary group in the diet, but to the newborns diet they had a higher importance. The analysis of the total length of the prey of the scalloped hammerhead shark showed a preference of the juveniles for sub-adult fishes, which occurs mainly in the depths between 30-100m. That difference in the diet shows a segregation between newborns and juveniles, dividing the primary nursery area from the secondary nursery area by depth. The richness and abundance of species provided by the region of the LNRS, highly associated with the proximity of two estuaries, seems to be the more important advantage to the use of the area as a nursery by S. lewini. Besides the prey items found in the diet, which are associated with the estuaries, the capture of a few individuals inside the estuary strengthens this hypothesis.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/107649
Arquivos Descrição Formato
000933747.pdf (1.191Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.