Repositório Digital

A- A A+

Caracterização molecular da talassemia ß em pacientes atendidos no Ambulatório de Hematologia do HCPA

.

Caracterização molecular da talassemia ß em pacientes atendidos no Ambulatório de Hematologia do HCPA

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Caracterização molecular da talassemia ß em pacientes atendidos no Ambulatório de Hematologia do HCPA
Autor Bonazzoni, Joyce Bulcão
Orientador Castro, Simone Martins de
Co-orientador Dornelles, Cláudia Maria
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Curso de Farmácia.
Assunto Hemoglobinopatias
Polimorfismo
Talassemia beta
Resumo Introdução: Talassemia β é uma anemia hemolítica hereditária, causada por redução ou ausência na produção de cadeias de β globina e, consequentemente um aumento de hemoglobina A2 (Hb A2) e Fetal (Hb F). Até o momento mais de 200 tipos diferentes de mutações relacionadas a esta patologia já foram descritas, sendo resultantes em sua maioria, de mutações de ponto caracterizadas pela troca de um único nucleotídeo na sequência gênica. O objetivo principal deste estudo foi realizar a caracterização molecular e laboratorial em indivíduos heterozigotos e homozigotos da β talassemia e em portadores da interação hemoglobina S/β talassemia. Materiais e Métodos: Foram analisados 25 pacientes procedentes do ambulatório de Hematologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), com suspeita de β talassemia. Os casos incluídos neste estudo tiveram diagnóstico prévio compatível com a possível presença de um alelo β talassêmico, através da quantificação de Hb A2 e Hb F, por HPLC. Foram incluídos pacientes que tiveram valores de Hb A2 igual ou superior a 3,5%, VCM inferior a 80 fL e HCM inferior a 24 pg. Alguns pacientes apresentavam um quadro de anemia. Para a análise molecular foi realizado PCR e sequenciamento genético. Resultados: Foram encontrados fenótipos β talassêmicos (β+/β+), traço talassêmicos (β+/β e β°/β) e interação S/β talassemia (S/β). Foram identificadas as mutações IVSI-6 (n=8), IVSI-110 (n=7) e Cd 39 (n=7), o polimorfismo do códon 2 (n=5) e o polimorfismo IVSII-16 associado ao polimorfismo de códon 2 (n=15). Discussão: O presente estudo identificou a mutação IVSI-6 (T>C), como a mais frequente, seguida da IVSI-110 (G>A) e Cd 39 (C>T). As freqüências de mutações encontradas neste estudo foram diferentes das frequências encontradas em estudos anteriores realizados na população do Rio Grande do Sul. Também foi possível identificar os polimorfismos IVSII-16 (G>C) e o polimorfismo do códon 2 (C>T), do éxon 1 da β globina. Ainda não se tem dados na literatura sobre a relação do polimorfismo do códon 2, do éxon 1 com a β talassemia. Não houve significância estatística nos índices hematimétricos dos pacientes que apresentaram mutação, polimorfismos e associação de mutação com polimorfismo (p>0,05).
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/107976
Arquivos Descrição Formato
000937526.pdf (278.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.