Repositório Digital

A- A A+

Atenção à saúde de gestantes, puérperas e bebês : o agir em competência de equipes de saúde na atenção primária à saúde

.

Atenção à saúde de gestantes, puérperas e bebês : o agir em competência de equipes de saúde na atenção primária à saúde

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Atenção à saúde de gestantes, puérperas e bebês : o agir em competência de equipes de saúde na atenção primária à saúde
Autor Gomes, Janice Castilhos
Orientador Warmling, Cristine Maria
Data 2014
Nível Mestrado profissional
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde.
Assunto Atenção primária à saúde
Equipe de assistência ao paciente
Gravidez
Período pós-parto
Recém-nascido
Saúde da família
[en] Competences
[en] Ergology
[en] Family health
[en] Healthcare
Resumo Introdução Apesar dos esforços dispensados pelas equipes de saúde para o cuidado às gestantes, puérperas e bebês, questiona-se efetivas transformações nas práticas de saúde da família em direção a um modelo de atenção em saúde pautado na integralidade e longitudinalidade. Objetivo Este estudo propõe-se a analisar o agir em competência na produção do cuidado às gestantes, puérperas e bebês de Equipes de Saúde da Família com Equipes de Saúde Bucal implantadas e que atuam em Unidades Básicas de Saúde de municípios da Região Sete de Saúde - Vale dos Sinos pertencentes a 1ª Coordenadoria Regional de Saúde da Secretaria Estadual de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul. Metodologia Trata-se de um estudo de caso com abordagem metodológica predominantemente qualitativa. Os dados foram produzidos através da realização de sete grupos focais em sete equipes de saúde da família com saúde bucal de seis municípios da região analisada. Todas as equipes do estudo passaram pela avaliação no primeiro ciclo do Programa de Melhoria de Acesso e Qualidade (PMAQ) no ano de 2012. Foram ouvidos 19 trabalhadores, entre médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas. O estudo valeu-se também dos dados secundários produzidos na avaliação do PMAQ. Os dados produzidos pelo estudo foram analisados com a ajuda do programa de análise qualitativa Nvivo. A base referencial teórica de produção e análise dos dados baseia-se em Schwartz (2010) e nos fundamentos epistemológicos da Análise do Discurso. Resultados e discussão A convivência de maneira desintegrada das equipes de saúde da família com médicos especialistas afeta o cuidado produzido pelas equipes e desvirtua o modelo de atenção da estratégia de saúde da família praticado. As equipes relatam sobrecarga de trabalho, com depoimentos de ausência de profissionais na equipe mínima de saúde, alta rotatividade e precariedade dos vínculos empregatícios. Isto produz entraves nos agires em competência das equipes no que se refere ao reconhecimento e uso dos protocolos, mas principalmente com relação a adequação dos protocolos com as realidades apresentadas ─ a renormalização do cuidado. Se por um lado, as equipes de saúde, demonstram conhecer as objetividades das realidades nos contextos sociais de vida e saúde das gestantes, puérperas e bebês as quais são responsáveis pelo cuidado, por outro, possuem dificuldades em apresentar interpretações mais complexas sobre os conceitos de saúde e doença que circundam a questão da gestação e nascimento apresentados pela população. Não se evidenciaram, nos relatos produzidos, vivências de práticas de educação permanente em saúde problematizadoras dos processos de trabalho que visem mudar as formas de produzir o cuidado. Os espaços de debates de valores, em direção ao que aponta Schwartz (2010), enquanto ingrediente que estimula o trabalhador ao "uso de si por si" no agir em competência, parece estar mais presente nos momentos de integração das equipes ou no próprio trabalho em equipe. Considerações finais O estudo dos processos de trabalho das equipes de saúde da família possibilitou ampliar a compreensão sobre o agir em competência para a produção do cuidado às gestantes, puérperas e bebês. As contradições apresentadas pelo estudo quando se comparou os dados quantitativos da avaliação do PMAQ com os resultados qualitativos produzidos pelos grupos focais, levam a constatação da importância de realização de estudos que produzam a complementaridade das perspectivas quantitativas e qualitativas no sentido de compreender com maior consistência os processos de trabalho relacionados com a atenção à saúde que as equipes estão produzindo em seus espaços no SUS.
Abstract Introduction: Despite efforts from teams to envolve themselves in the care of pregnant women, puerperium women and babies, the real transformations in the practices of family health teams towards a health care model ruled by integrality and longitudinality are questioned. Objectives: This study aims to analyze the care given to pregnant women, puerperium women and babies by the Family Health teams that have Oral Health teams that work in Basic Health Units. These Units are located in the Vale dos Sinos region, in the state of Rio Grande do Sul, Brazil, and are coordinated by the Health Department of the state. Methodology This is a case study with a predominantly qualitative method. The data was obtained through seven focal groups belonging to seven family oral health teams from six cities of the region that was studied. All teams in the study were the evaluation of first cycle Improvement Program Access and Quality (PMAQ) in the year 2012. Were heard nineteen workers, including physicians, nurses and dentists. The study also took advantage of secondary data in the evaluation of PMAQ. The data obtained in this study were analyzed using the Nvivo software for qualitative analysis. The theoretical framework used for production and data analysis was based on Schwartz (2010) and on Discourse Analysis. Results and Discussion The disintegrated relationship between family health doctors and specialists affects the care given by the teams and distorts the model of family health care. The teams report a work overload. There are testimonies of abscense of professionals in the teams, high turnover of employees and precarity of job security. This produces obstacles for the care given by the teams in respect to recognizing and using protocols, but mainly in relation to their adequation to the local reality – renormalization of care. If on the one hand the teams show objective knowledge about the reality and life conditions of the women and babies under their care, on the other they have difficulty presenting more complex interpretation about the concepts of health and disease that accompany pregnancy and birth in this population. The reports did not show experience with practices of permanente education in health that aimed to change they way care was given. Spaces for debating values, according to Schwartz (2010) an ingredient that stimulates the worker, seem to be more presente during moments of integration of the teams – when working in teams. Final considerations: The study of the work processes of the family health teams enabled the increase of comprehension about the care given to pregnant women, puerperium women and babies. The contradictions presented by the study when comparing the qualitative data from government testing with the data obtained from the focal groups leads to the verification of the importance of studies which use qualitative and quantitative methods for comprehending more consistently the work the teams are doing in public health care.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/108321
Arquivos Descrição Formato
000944957.pdf (1.355Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.