Repositório Digital

A- A A+

Microbiota fúngica isolada da pele de suínos hígidos procedentes de diversos municípios do Estado do Rio Grande do Sul.

.

Microbiota fúngica isolada da pele de suínos hígidos procedentes de diversos municípios do Estado do Rio Grande do Sul.

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Microbiota fúngica isolada da pele de suínos hígidos procedentes de diversos municípios do Estado do Rio Grande do Sul.
Autor Carregaro, Fabiano Bonfim
Orientador Ferreiro, Laerte
Co-orientador Barcellos, David Emilio Santos Neves de
Data 2006
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Veterinária. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias.
Assunto Microbiota mesófila aeróbia
Suinocultura
[en] Candida spp
[en] Filamentous fungi
[en] Fungi flora
[en] Swine
[en] Yeasts
Resumo A suinocultura brasileira encontra-se atualmente em um nível técnico de destaque no contexto mundial. Entretanto, diversas estratégias são utilizadas para restringir a compra dos produtos brasileiros por países estrangeiros, em especial barreiras sanitárias. Os objetivos desse trabalho foram determinar a microbiota fúngica da pele de suínos sem lesões aparentes e estabelecer os possíveis agentes micóticos de importância nesta espécie. Foram obtidas 261 amostras de animais com 20 a 120 dias de idade, provenientes de 11 granjas do Rio Grande do Sul. As amostras foram obtidas apenas dos animais com ausência de qualquer patologia. Essas foram semeadas em Agar Sabouraud com cloranfenicol. Obteve-se o crescimento de 509 culturas, sendo 305 (59,92%) fungos filamentosos e 204 (40,08%) leveduras. A distribuição do número de diferentes colônias isoladas por amostra demonstra uma predominância de monocultura no grupo 1 (animais de 20 a 60 dias de idade) em relação ao grupo 2 (animais acima de 60 dias de idade). Dentre os fungos filamentosos septados, ocorreu predominância dos hialohifomicetos (43,03%) em relação aos feohifomicetos (10,41%), enquanto que observou-se apenas 6,48% de filamentosos asseptados. O Aspergillus (22,90%) foi o gênero de hialohifomiceto mais isolado, com predominância do A. flavus (5,70%). Dentre os feohifomicetos, o gênero Cladosporium foi o mais prevalente (9,04%). No que concerne os zygomicetos, o gênero mais isolado foi Mucor (4,13%). Em relação às leveduras, o gênero Candida foi o mais isolado (14,73%), sendo a distribuição de freqüência das espécies: C. albicans (13,56%), C. parapsilopsis (0,59%), C. famata (0,20%), C. tropicalis (0,20%) e outras espécies de Candida (0,20%). A reduzida quantidade de diferentes fungos isolados por amostra nos animais do grupo 1, em relação ao grupo 2, pode ter sido influenciada pela menor quantidade de grãos utilizada na fabricação de ração nos animais mais novos, maior freqüência de limpeza e desinfecção das instalações, bem como a não mistura de animais provenientes de diferentes origens. A alta prevalência do gênero Candida observada em suínos, um gênero normalmente comensal do trato gastrintestinal, se torna importante quando esses animais são acometidos por doenças imunossupressoras. Estudos clínicos longitudinais e/ou infecções experimentais talvez possam definir a importância destes agentes em suínos.
Abstract Brazilian pig production has reached a technical and techological level that stands out in international pig production. However, several strategies have been used to limit access of Brazilian pig products to international market, including health barriers. The objective of our work was to determine the fungal flora of the healthy pig skin and to determine possible micotic agents important for this animal species. 261 samples from 20-120 day old pigles were obtained from 11 pig farms from the State of Rio Grande do Sul, Brazil. All sampled animals were negative for any skin lesions. The samples were cultured in Sabouraud agar and cloranfenicol. Cultures were obtained from 509 materials, with 305 (59,95%) filamentous fungi and 204 (40,08%) yeasts. The distribution of different fungi isolated each simple shows a high prevalence on group 1 (20-60 days old) in relation to group 2 (more than 60 days old). Among septated filamentous fungi, there was a great preponderance of hialohifomycetes (43,03%) in relation to feohifomycetes (10,41%), while only 6,48% were aseptated filamentous. Aspergillus (22,90%) was the most isolated genus of hialohifomycetes and A. flavus (5,70%) was the more prevalent specie isolated. As to zygomycetes, the most isolated genus was Mucor (4,13%). Regarding yeasts, the genus Candida was the most prevalent (14,73%) and the species distribution was: C. albicans (13,56%), C. parapsilopsis (0,59%), C. famata (0,20%), C. tropicalis (0,20%) and other Candida species (0,20%). The little quantity isolated per sample could have been influenced by quantity of grains used in pig feed in these different stages of production, types of facilities, stress and environmental changes could be important to imbalance the flora, as well as favoring diffusion of mycosis in the herds. The limited number of different fungi isolated from animal flora on group 1 may have been influenced by the smaller use of grains in the feed mill in this stage, a better cleaning and disinfection of premises, as well as avoiding mixing pigs of different source. Clinical longitudinal studies and/ or experimental infections perhaps may help to define the importance of these fungi to that species.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/10837
Arquivos Descrição Formato
000602359.pdf (243.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.