Repositório Digital

A- A A+

Associação entre consumo de frutose, resistência à insulina e diabetes mellitus 2

.

Associação entre consumo de frutose, resistência à insulina e diabetes mellitus 2

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Associação entre consumo de frutose, resistência à insulina e diabetes mellitus 2
Autor Caglioni, Jordana Alves
Orientador Luft, Vivian Cristine
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Diabetes mellitus tipo 2
Frutose
Resistência à insulina
Resumo Introdução: O consumo de frutose tem aumentado significativamente nos últimos anos, em grande parte devido a um aumento no consumo de refrigerantes, outras bebidas adoçadas com frutose e alimentos industrializados que contém grande quantidade de sacarose e xarope de milho rico em frutose (High Fructose Corn Syrup - HFCS). Evidências recentes têm sugerido que uma alta ingestão de frutose na dieta pode estar relacionada ao desenvolvimento de síndrome metabólica e resistência insulínica. No entanto, esta relação não está ainda completamente elucidada. Métodos: Foram revisados artigos originais, publicados de 1994 até agosto/2014, pesquisados através do PubMed, que relatavam a associação entre o consumo de frutose e resistência à insulina e/ou diabetes tipo 2 em humanos. Resultados: Inicialmente a busca retornou 669 artigos, sendo que 19 preencheram os critérios de elegibilidade para esta revisão. Dos 19 artigos selecionados, 4 mostravam associação inversa entre frutose e DM2, HOMA-IR e ácido úrico, 12 relataram uma associação positiva entre frutose e os desfechos de interesse, e em 3 estudos não houve associação significativa. Conclusões: A literatura reforça a dieta como um dos fatores modificáveis envolvidos no desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, entre elas o diabetes tipo 2. Efeitos potenciais da alta ingestão de frutose sobre parâmetros clínicos que podem culminar em resistência à insulina e DM2 têm sido demonstrados. No entanto, tais evidências ainda são controversas e possuem limitações. Estudos de intervenção bem controlados, com seguimento de médio a longo prazo, com quantidades de frutose que se assemelhem nas quantidades e nas formas como encontradas na ingestão habitual da população são ainda necessários para produzir conclusões mais consistentes sobre a contribuição do consumo de frutose na causalidade da crescente epidemia de diabetes.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/108995
Arquivos Descrição Formato
000949796.pdf (577.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.