Repositório Digital

A- A A+

Dimensionamento de válvulas de segurança e alívio de pressão atuando com fluidos bifásicos

.

Dimensionamento de válvulas de segurança e alívio de pressão atuando com fluidos bifásicos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Dimensionamento de válvulas de segurança e alívio de pressão atuando com fluidos bifásicos
Autor Goulart, Adriana Karla
Orientador Soares, Rafael de Pelegrini
Co-orientador Fernandes, Patrícia Arrieche
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Química.
Assunto Engenharia química
Resumo As válvulas de segurança e alívio, do inglês Pressure Safety Valve (PSVs), protegem equipamentos que atuam nos processos cuja pressão de operação pode ultrapassar sua máxima pressão admissível de trabalho. As PSVs são utilizadas como um dos últimos dispositivos de segurança em uma planta, e, em caso de falha das mesmas, os equipamentos por elas protegidos podem ser danificados, oferecendo risco de morte para as pessoas que trabalham no local. Por isso, faz-se necessário o correto dimensionamento dessas válvulas. As normas existentes empregam diferentes metodologias para determinar o orifício de uma PSV atuando com fluidos bifásicos. Dada a dificuldade de se realizar testes em bancada, que simulam o processo real de uma planta nessas condições, nenhum método ainda é certificado. Assim, o presente trabalho estuda o dimensionamento do orifício de uma PSV, considerando a 7ª e a 8ª edição da norma API RP 520, por ser a mais utilizada no projeto desse tipo de válvula. As diferenças entre as metodologias são apresentadas e discutidas. O modelo do cenário de alívio da PSV foi construído no software Aspen Plus®, que gerou os parâmetros de processo necessários para a realização dos cálculos. Os dados de equilíbrio de fase, provenientes da expansão isentrópica pela válvula, foram determinados por meio do programa VLEFlash. Os resultados dos dimensionamentos indicaram que a 7ª edição da API apresentou o método mais conservativo. Porém, utilizar a 8ª edição da norma parece ser a opção mais sensata, uma vez que, somente esta edição considera a condição de escoamento bifásico no bocal. Diante disso, ressalta-se a necessidade de se desenvolver testes em bancada que comprovem a capacidade das válvulas calculadas por essas metodologias.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/110101
Arquivos Descrição Formato
000951720.pdf (930.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.