Repositório Digital

A- A A+

Comparação entre critérios para determinação de hidrogramas de ruptura de barragens

.

Comparação entre critérios para determinação de hidrogramas de ruptura de barragens

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Comparação entre critérios para determinação de hidrogramas de ruptura de barragens
Autor Saraiva, Lorena Silva
Orientador Marques, Marcelo Giulian
Co-orientador Teixeira, Eder Daniel
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo Este trabalho versa sobre a comparação dos critérios utilizados para a obtenção de hidrogramas de ruptura de barragens de pequeno porte (altura menor que 10 m), por meio da análise de formulações matemáticas encontradas na literatura para a determinação do processo de formação de brechas nas barragens, do hidrograma de ruptura e da vazão de pico. Este estudo visa compreender a relação entre a entrada de dados e o hidrograma de ruptura correspondente, uma vez que esse é sensível a variações de diversos parâmetros, tais como: tipo de barragem, causa de ruptura, cenário de ruptura utilizado, mecanismo e tempo de formação de brecha, etc. O rompimento de uma barragem ou de alguma de suas partes constituintes é um evento raro de pequena probabilidade de ocorrência, mas existe. Nesses casos as consequências podem ser catastróficas, uma vez que a onda de cheia resultante do esvaziamento parcial ou total do reservatório possui grande potencial de destruição devido a sua altura e velocidade elevadas. Entre as consequências estão à perda de vidas humanas, destruição da fauna e da flora locais, diminuição da eficiência ou interrupção da finalidade do aproveitamento (geração de energia, fornecimento de água para abastecimento humano ou irrigação, entre outros) e danos a propriedades, instalações e a outras barragens a jusante que podem gerar um efeito cascata. O objetivo deste trabalho foi verificar quais são as variações nos hidrogramas de ruptura de barragens de pequeno porte, utilizando diferentes critérios para a configuração dos mesmos de maneira a contribuir para o estabelecimento de padrões e procedimentos para a análise da ruptura de barragens de pequeno porte. Neste trabalho foi observado que o método que resultou na maior vazão de pico foi o de Wetmore e Fread (1981) em função do tempo de pico calculado pelo Bureau of Reclamation (1988) e da brecha, proposta por Wahl (1998), e o método que resultou no maior tempo de esvaziamento foi o do Soil Conservation Service (1981).
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/110148
Arquivos Descrição Formato
000951994.pdf (2.044Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.