Repositório Digital

A- A A+

Estudo da natureza do prejuízo na fluência e nomeação de verbos na doença de Alzheimer e na afasia progressiva primária não-fluente

.

Estudo da natureza do prejuízo na fluência e nomeação de verbos na doença de Alzheimer e na afasia progressiva primária não-fluente

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estudo da natureza do prejuízo na fluência e nomeação de verbos na doença de Alzheimer e na afasia progressiva primária não-fluente
Autor Beber, Bárbara Costa
Orientador Chaves, Marcia Lorena Fagundes
Data 2014
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Afasia primária progressiva
Cognição
Doença de Alzheimer
Linguagem
[en] Alzheimer’s disease
[en] Cognition
[en] Language
[en] Primary progressive aphasia
Resumo Introdução: Indíviduos com danos cerebrais podem apresentar dissociação na produção de verbos e substantivos. Há uma maior diversidade de transtornos neurológicos que apresentam prejuízo na produção de verbos do que de substantivos, e esses transtornos normalmente apresentam danos em circuitos cerebrais frontais. No entanto, pouco se sabe sobre a natureza do prejuízo na produção de verbos em cada transtorno neurológico. Objetivo: A presente tese de doutorado teve como objetivo investigar a produção de verbos em diferentes doenças neurodegenerativas e no envelhecimento normal através das tarefas de fluência e nomeação de verbos. Métodos: para atingir o objetivo geral, foram realizados três estudos que originaram três artigos científicos. O primeiro artigo realizou uma adaptação da tarefa de fluência de verbos para o português brasileiro, obteve a performance de 62 brasileiros idosos saudáveis para esta tarefa e a influência de fatores demográficos, clínicos e da aplicação de outras tarefas de fluência verbal previamente à fluência de verbos. O segundo artigo investigou a natureza dos déficits da produção de verbos na doença de Alzheimer (DA). Para isso 35 pacientes com DA em fase leve e moderada foram avaliados para as tarefas de fluência e nomeação de verbos, assim como 35 idosos saudáveis (controles). Também analisou-se a influência da frequência das palavras nas tarefas estudadas. O terceiro artigo, investigou a natureza dos déficits na produção de verbos na Afasia Progressiva Primária (APP) não-fluente. Foram avaliados 12 pacientes com APP não-fluente e 9 sujeitos controle. Todos partcipantes foram avaliados através de tarefas de nomeação e fluência de verbos e de substantivos. Um efeito de manipulabilidade foi estudado na tarefa de nomeação. Correlatos neurais foram investigados utilizado a técnica de Voxel Based Morphometry (VBM) a partir de imagens de ressonância magnética (RM) estrutural dos pacientes. Resultados: No primeiro artigo obteve-se a performance dos idosos saudáveis na fluência de verbos (11,73±5,80), a correlação com a escolaridade (r=0,616), MEEM escore total (r=0,399), MEEM Atenção e Cálculo (r=0,393), e MEEM Linguagem (r=0,322). Não houve influência da aplicação prévia de tarefas de fluência verbal na fuência de verbos. No segundo artigo, os pacientes com DA mostraram prejuízo tanto na tarefa de nomeação de verbos (p<0,000; F=36,983) quanto na fluência de verbos (p<0,000; F=21,460), porém a primeira foi mais comprometida que a segunda. A performance dos pacientes com DA na nomeação de verbos foi influenciada pela severidade da doença e pela frequência das palavras. No terceiro artigo, os pacientes com APP não-fluente foram comprometidos em todas tarefas de nomeação e de fluência verbal, porém foram significativamente piores em verbos do que em substantivos. Não houve efeito de manipulabilidade. As áreas atróficas Broadmann 44 (p<0,001) e giro pré-central (p<0,001) se correlacionaram com o prejuízo na nomeação de verbos, enquanto as áreas atróficas 44 e 45 de Broadman (p<0,001, ambas) se correlacionaram com o prejuízo na fluência de verbos. Conclusões: Nossos achados indicam que o prejuízo na produção de verbos parece ter uma natureza predominantemente semântica na DA e prodominantemente gramatical na APP não fluente. As evidências levantam questões importantes também para a neurobiologia da linguagem.
Abstract Background: Individuals with brain damage may show dissociation in the verb and noun production. There is a larger diversity of neurological disorders that show impairment in verbs rather in nouns, and these disorders use to present damage in the frontal brain circuits. However, little is known about the nature of the verb production impairment in each one of these neurological disorders. Objective: The current doctoral thesis had the aim of investigating the verb production in different neurodegenerative diseases and in the normal elderly, using verb fluency and verb naming tasks. Methods: to reach the main aim, we carried out three studies that resulted in three articles. In the first article we adapted the verb fluency task for Brazilian Portuguese, we obtained the performance of 62 healthy elderly people for this task, and we verified the influence of demographic and clinical factors as well as of the previous application of other verbal fluency tasks. The second article investigated the nature of the verb production deficits in the Alzheimer’s disease (AD). Thirty-five mild and moderate AD patients and 35 healthy controls were evaluated for verb fluency and verb naming tasks. It also analyzed the influence of word frequency in the used tasks. The third article investigated the nature of verb production deficits in the nonfluent variant of Primary Progressive Aphasia (nfPPA). Twelve patients with nfPPA and 9 healthy controls were evaluated for verb and noun fluency and naming tasks. A manipulability effect was studied in the naming task. Neural correlates were investigated by Voxel Based Morphometry (VBM) of structural Magnetic Ressonance Imaging (MRI) of the patients. Results: The first article obtained the healthy elderly people performance for verb fluency (11.73±5.80), a correlation with education (r=0.616), MMSE total score (r=0.399), MMSE Attention and Calculation (r=0.393), and with MMSE Language (r=0.322). There was no influence of previous application of verbal fluency tasks on the verb fluency. In the second article, the AD patients showed deficits in the verb naming (p<0.000; F=36.983) and in the verb fluency (p<0.000; F=21.460), however the first task was more impaired than the second one. The AD patients performance in the verb naming was influenced by the disease severity and by word frequency. In the third article, the nfPPA patients were impaired in all naming and fluency tasks, however they were significantly worse in verbs than in nouns. There was no effect of manipulability. Atrophy on BA 44 (p<0.001) and on precentral gyrus (p<0.001) correlated with impairment in verb naming. Atrophy on BA 44 and 45 (p<0.001 for both) correlated with impairment in verb fluency. Conclusions: Our findings indicate the verb production deficits seem to have a more predominant semantic nature in AD and more predominant grammatical nature in nfPPA. This evidence brings up important questions for the neurobiology of language.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/110232
Arquivos Descrição Formato
000949876.pdf (2.447Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.