Repositório Digital

A- A A+

Avaliação nutricional de pacientes portadores de Hepatite C crônica : perfil antropométrico, dietético e metabólico e seu impacto na presença de fibrose hepática

.

Avaliação nutricional de pacientes portadores de Hepatite C crônica : perfil antropométrico, dietético e metabólico e seu impacto na presença de fibrose hepática

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação nutricional de pacientes portadores de Hepatite C crônica : perfil antropométrico, dietético e metabólico e seu impacto na presença de fibrose hepática
Autor Bruch, Juliana Paula
Orientador Dall Alba, Valesca
Co-orientador Álvares-da-Silva, Mário Reis
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências em Gastroenterologia e Hepatologia.
Assunto Avaliação nutricional
Cirrose hepática
Hepacivirus
Resumo A Infecção pelo Vírus da Hepatite C (HCV) é caracterizada pela alta taxa de fibrose e cronicidade, além disso, muitos pacientes progridem para cirrose ou ainda, carcinoma hepatocelular. O HCV é considerado um grave problema mundial de saúde pública com um elevado impacto social e econômico. Diversos fatores podem influenciar na progressão da fibrose, tais como: idade superior a 40 anos, sexo masculino, esteatose hepática, resistência insulínica, imunossupressão, atividade necroinflamatória na primeira biópsia hepática entre outros. Estudos demonstram que pacientes com HCV que apresentam mudanças de estilo de vida através da manutenção do peso, alimentação equilibrada além da prática regular de atividade física tendem a melhorar o perfil metabólico, promover a redução da esteatose-hepática e incidência de doença hepática gordurosa não-alcoólica. Porém, ainda existem poucas informações na literatura sobre o estado nutricional e consumo alimentar de pacientes HCV crônicos. O maior entendimento sobre o papel da dieta no curso desta patologia e a sua associação com a presença de fibrose poderá nortear de forma mais precisa a conduta dietética para este grupo de pacientes. Desta forma os autores se propõem a descrever o consumo alimentar, perfil metabólico e o estado nutricional em pacientes portadores do vírus da hepatite C crônicos residentes no Rio Grande do Sul. Foram incluídos 58 pacientes portadores de hepatite C crônica, genótipo 1, 2 e 3, atendidos no Ambulatório de Gastroenterologia – Hepatites (GHE) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre no período de 2013 a 2014. Foram excluídos pacientes com cirrose, coinfectados com Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) ou Vírus da Hepatite B (HBV), gestantes e pacientes em tratamento farmacológico ativo. Os indivíduos foram selecionados pelo sistema de agendamento de consultas do hospital. De maneira geral, o grupo de pacientes estudados apresentou IMC (índice de massa corporal) elevado 27,29±3,98 Kg/m² e em contrapartida, os valores de força do aperto de mão estavam diminuídos 28,34±10,52 kgf. A partir do laudo da biópsia hepática pela classificação METAVIR, os pacientes foram divididos em dois grupos. Sem fibrose (F=0) e com fibrose (F=1 a 3). Dentre os 58 pacientes estudados, 39 (67,2%) apresentavam fibrose, sendo mais prevalente o grau F1. Quanto ao consumo alimentar, o grupo com fibrose apresentou valores maiores quanto à ingestão calórica 34,65±11,23 vs 28,84±34,65 Kcal/Kg, ingestão de lipídeos 1,40 (1,01-1,86) vs 1,10 (0,83-1,32) g/Kg e carga glicêmica 221,87 (168,91-307,80) vs 181,01 (140,55-223,45) g (p<0,05). Quanto ao perfil metabólico foram observados valores superiores no grupo que apresentava fibrose referente ao HOMA-IR 3,39(2,44-6,39) vs 2,18(1,60-3,34), Ferritina 378,84±200,13 vs 143,83±33,00 μg/mL, Hematócrito 42,80(39,30-45,80) vs 40,60(38,8-41,50) g/dL e Hemoglobina 14,80(13,90-15,80) vs 13,90(13,20-14,70) g/dL (p<0,05). Demais variáveis não houve diferença estatística (colesterol total, colesterol HDL, Colesterol LDL, triglicerídeos, AST, ALT e GGT). Em conclusão, na amostra estudada, observou-se que pacientes portadores de HCV crônicos, apesar de apresentarem sobrepeso, apresentam estado nutricional comprometido, uma vez que foi demonstrada redução da força do aperto de mão. Ainda, levando-se em consideração a presença de fibrose, pacientes com fibrose consomem mais calorias e gordura, além disso, apresentam pior perfil metabólico, com maiores taxas de resistência insulínica, tais fatores tendem a piorar ainda mais o prognóstico da doença hepática. As evidências que confirmam a associação da infecção crônica pelo HCV com o desenvolvimento de cirrose reforçam a necessidade do diagnóstico precoce da doença e do tratamento dos pacientes com elevado risco de complicações a fim de minimizar a morbidade e mortalidade.
Abstract The infection from the Hepatitis C virus (HCV) is characterized by the high rate of fibrosis and chronicity, in addition, many patients progress to cirrhosis or even hepatocellular carcinoma. The HCV is considered a serious global public health problem with a high social and economic impact. Several factors may influence the progression of the fibrosis, such as, over 40 years old, male, hepatic steatosis, insulin resistance, immunosuppression, necroinflammatory activity in the first liver biopsy, among others. Studies show that patients with HCV, who demonstrate lifestyle changes through weight control, balanced diet as well as regular physical activity tend to improve the metabolic profile, reduce hepatic steatosis and incidences of non-alcoholic fatty liver disease. However, there exists very little information in the literature about the nutritional state and dietary intake of chronic HCV patients. A greater understanding of the role of diet in the course of this condition and its association with the presence of fibrosis could more accurately guide the dietetics for this group of patients. Thus, the authors propose to describe the dietary intake, metabolic profile and nutritional state of patients carrying the chronic hepatitis C virus in Rio Grande do Sul. Fifty-eight patients carrying chronic hepatitis C were included, genotypes 1, 2 and 3, outpatients at the Gastroenterology – Hepatitis Clinic (GHE) at Hospital de Clínicas in Porto Alegre in 2013 to 2014. Patients with cirrhosis, co-infected with Human Immunodeficiency virus (HIV) or Hepatitis B virus (HBV), pregnant women and patients on active drug treatment were excluded. The individuals were selected by the appointment scheduling system of the hospital. In general, the patients studied showed and elevated Body Mass Index (BMI) 27.29 ±3.98 Kg/m² and in contrast, the values for handgrip strength were reduced to 28.34 ±10.52. From the liver biopsy report using the METAVIR classification, the patients were divided into two groups. Without fibrosis (F=0) and with fibrosis (F=1-3). Within the 58 patients studied, 39 (67.2%) presented fibrosis, most commonly being of F1 degree. Regarding the dietary intake, the fibrosis group showed values greater intake of calories 34.65 ±11.23 vs 28.84 ±34.65 Kcal/Kg, lipid intake 1.40 (1.01 – 1.86) vs 1.10 (0.83 – 1.32) g/Kg and glycemic load 221.87 (168.91 – 307.80) vs 181.01 (140.55 – 223.45) g (p<0,05). Regarding the metabolic profile, high values were observed in the group with presented fibrosis related to HOMA-IR 3.39 (2.44 – 6.39) vs 2.18 (1.60 – 3.34). Ferritins 378.84 ±200.13 vs 143.83 ±33.00 μg/mL, Hematocrit 42.80 (39.30 – 45.80) vs 40.60 (38.8 – 41.50) g/dL and hemoglobin 14.80 (13.90 – 15.80) vs 13.90 (13.20 – 14.70) g/dL (p<0.05). All other variables showed no statistical difference (cholesterol HDL, cholesterol LDL, triglycerides, AST, ALT and GGT). In conclusion, patients carrying the chronic HCV, despite being overweight, presented a compromised nutritional state, once a reduction in handgrip strength was demonstrated. Additionally, patients with fibrosis had an increased energy and fat intake, as well, a poor metabolic profile, with higher rates of insulin resistance; these factors tend to further worsen the prognosis of liver disease. The evidence confirming the link between the chronic infection of HCV with the development of cirrhosis reinforced the need for early diagnosis and treatment of patients with a high risk of complications in order to minimize morbidity and mortality.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/110308
Arquivos Descrição Formato
000949767.pdf (575.2Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.