Repositório Digital

A- A A+

Pilocytic astrocytoma of sellar/suprasellar region determining endocrine manifestations

.

Pilocytic astrocytoma of sellar/suprasellar region determining endocrine manifestations

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Pilocytic astrocytoma of sellar/suprasellar region determining endocrine manifestations
Outro título Astrocitoma pilocítico da região selar/suprasselar determinando manifestações endócrinas
Autor Cambruzzi, Eduardo
Pêgas, Karla Lais
Silveira, Luciano Carvalho
Abstract Pilocytic astrocytoma (PA) is a grade I glial neoplasm arising mainly in the cerebellum of children. Herein, the authors report a case of PA in a 21 year-old male patient, who presented headache, vomiting and delayed pubertal development. Serum level of cortisol and testosterone corresponded to 32.8 ug/dl and 0.19 ng/ml, respectively. The computed tomography/magnetic resonance (CT/RM) imaging showed an expansive process compromising suprasellar/hypothalamic region and determining hydrocephalus. The patient underwent resection of the process. Histological evaluation revealed a glial neoplasm constituted by loose glial tissue, small microcysts, areas of dense piloid tissue and Rosenthal fibers. The neoplastic cells were immunoreactive for glial fibrillary acidic protein (GFAP) and negative for chromogranin and synaptophysin. The diagnosis of PA was then established.
Resumo O astrocitoma pilocítico (AP) é uma neoplasia glial grau I encontrada principalmente no cerebelo de crianças. Os autores relatam um caso de AP em paciente masculino, 21 anos de idade, que apresenta cefaleia, vômitos e retardo do desenvolvimento puberal. Os níveis séricos de cortisol e testesterona corresponderam a 32,8 ug/dl e 0,19 ng/ml. A tomografia computadorizada/ressonância magnética (TC/RM) identificaram um processo expansivo que comprometia a região suprasselar/hipotalâmica e determinava hidrocefalia.O paciente foi submetido à ressecção do processo. À microscopia, foi identificada uma neoplasia glial constituída por tecido glial frouxo, pequenos microcistos, áreas de tecido piloide denso e fibras de Rosenthal. As células neoplásicas foram imunopositivas para glial fibrillary acidic protein (GFAP) e negativas para cromogranina e sinaptofisina. O diagnóstico de AP foi, então, estabelecido.
Contido em Jornal brasileiro de medicina e patologia laboratorial. Rio de Janeiro. Vol. 49, n. 2 (abr. 2013), p. 139-142
Assunto Astrocitoma
Doenças do sistema endócrino
Neoplasias encefálicas
[en] Brain neoplasms
[en] Central nervous system neoplasms
[en] Endocrine diseases
[en] Pathology
[en] Pilocytic astrocytoma
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/111897
Arquivos Descrição Formato
000922664.pdf (162.1Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.