Repositório Digital

A- A A+

Envelhecimento no meio rural : condições de vida, saúde e apoio dos idosos mais velhos de Encruzilhada do Sul - RS

.

Envelhecimento no meio rural : condições de vida, saúde e apoio dos idosos mais velhos de Encruzilhada do Sul - RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Envelhecimento no meio rural : condições de vida, saúde e apoio dos idosos mais velhos de Encruzilhada do Sul - RS
Autor Morais, Eliane Pinheiro de
Orientador Rodrigues, Rosalina Aparecida Partezani
Data 2007
Nível Doutorado
Instituição Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Curso de Doutorado em Enfermagem Fundamental.
Assunto Condições de vida
Envelhecimento
Idoso de 80 anos ou mais
Saúde da população rural
Saúde do idoso
[en] Aged, 80 and over
[en] Aging
[en] Health of the elderly
[en] Rural health
[en] Social conditions
[es] Ancianos de 80 años y más
[es] Condiciones sociales
[es] Envejecimiento
[es] Salud del anciano
[es] Salud rural
Resumo O envelhecimento populacional é um fenômeno de abrangência mundial, traduzido pela diminuição progressiva das taxas de fecundidade, mortalidade e aumento da expectativa de vida. Dentre a população envelhecida (60 anos ou mais), são os idosos mais velhos (80 anos ou mais), a parcela que mais cresce, e com eles também aumentam as demandas sociais, de saúde e de infra-estrutura, para comportar e assegurar a qualidade de vida dessa “elite”. Os idosos que vivem em áreas rurais, 60% em todo o mundo, devem ter especial atenção, pois as doenças que apresentam podem ser diferentes, em função das condições do ambiente, da falta de serviços de ajuda e de saúde disponíveis, e das características socioeconômicas. Trata-se de um estudo transversal que teve por objetivo descrever e analisar as condições de vida e saúde dos idosos com 80 anos ou mais residentes no meio rural do município de Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul (Brasil). A população constituiu-se de 137 idosos (87 mulheres e 50 homens), que estão distribuídos em 24 microáreas definidas no Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Os dados foram coletados utilizando-se um instrumento multidimensional, em entrevistas domiciliares, entre março e maio de 2006, conduzidas pelos Agentes Comunitários de Saúde que atuam no meio rural, previamente treinados pela pesquisadora. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da USP. A idade média das idosas foi de 84,1 (±3,8), e dos idosos, de 85,3% (±3,5), sendo que 58,3% encontram-se na faixa etária de 80-84 anos; 30,7%, na de 85-89 anos; 9,5%, na de 90-94 e 1,5% têm mais de 95 anos. A maioria, 83,9%, dos idosos define-se como brancos. Quanto ao estado civil e à escolaridade, existe diferença significativa entre homens e mulheres, pois, do total da população, 80,0% são idosas e viúvas (p<0,001), e 77,2%, analfabetas (p=0,013). Do total dos idosos, 94,2% recebem aposentadoria rural. A média dos escores do Mini Exame do Estado Mental (MEEM), foi de 19,01 (±6,81) nas idosas, de 21,86 (±6,10) nos idosos, e de 17,78 (±5,63) nos analfabetos, mais baixa que dos escolarizados. O comprometimento cognitivo está presente em 22,5% dos analfabetos e em 14,6% dos escolarizados. A maioria, 91,2%, tem a posse das propriedades onde vivem. As moradias são de alvenaria em 76,6% dos casos; 89,1% possuem água encanada; e 74,5% possuem luz elétrica. A maioria (88,3%) dos idosos vive acompanhada. Houve diferença significativa (p<0,001) entre homens e mulheres quanto às pessoas que os acompanham, pois 75% das idosas vivem com familiares e 65,6% dos idosos vivem com as esposas. Quanto à auto-avaliação de saúde, 46,7% consideram-na regular, e 32,8%, boa; e, quando comparada com de outras pessoas da mesma faixa etária, 47,1% referem boa saúde. A maioria, 78,8%, faz uso de medicações. Do total dos idosos, 63,5% praticam alguma atividade física. Apenas 11,7% fumam, e 76,6% não consomem álcool. A maioria, 94,9%, faz mais de três refeições por dia. Problemas de audição são referidos por 40,9%, e 70,8% acusam problemas de visão. A maioria não possui nenhum dente e, destes, 29,2% não usam prótese dentária. O reumatismo é a principal patologia que interfere na vida diária, sendo a hipertensão arterial a mais relatada. Em 54,8% e em 15,3% os idosos têm as atividades básicas da vida diária e atividades instrumentais preservadas, respectivamente. O comprometimento das atividades é crescente com o avanço da idade. A procura por solução de problemas de saúde é prioritariamente dirigida a serviços particulares, em consultórios médicos. A maioria possui alguém que lhe preste cuidado em caso de doença, sendo as mulheres cuidadas pelos filhos, e os homens, pelas esposas. O grupo de idosos com comprometimento cognitivo tem maior possibilidade de apresentar sintomas de depressão clínica. Estudos como este, servem para dar maior visibilidade à parcela da população que, ao alcançar uma longevidade expressiva, pode contribuir para a compreensão da singularidade do processo de envelhecimento e da adequação das políticas públicas.
Resumen El envejecimiento poblacional es un fenómeno de cobertura mundial, traducido por la disminución progresiva de las tasas de fecundidad, mortalidad y aumento de la expectativa de vida. Entre la población envejecida (60 años o más), son los ancianos más viejos (80 años o más), la parcela que más crece, y con ellos también aumentan las demandas sociales, de salud y de infra-estructura, para comportar y asegurar la calidad de vida de esa “élite”. Los ancianos que viven en áreas rurales, 60% en todo el mundo, deben tener atención especial, debido a que las enfermedades que presentan pueden ser diferentes, en función de las condiciones del ambiente, de la falta de servicios de ayuda y de salud disponibles, y de las características socioeconómicas. Se trata de un estudio transversal y tuvo por objetivo discrever y analizar las condiciones de vida y salud de los ancianos con 80 años o más residentes de medio rural del municipio de Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul (Brasil). La población se constituyó de 137 ancianos (87 mujeres y 50 hombres), que están distribuidos en 24 micro-áreas definidas en el Programa de Agentes Comunitarios de Salud (PACS). Los datos fueron colectados utilizándose un instrumento multidimensional, en entrevistas domiciliares, entre marzo y mayo de 2006, conducidas por los Agentes Comunitarios de Salud que actúan en el medio rural, previamente entrenados por la entrevistadora. La entrevista fue aprobada por el Comité de Ética de la Escuela de Enfermería de Ribeirão Preto/USP. La edad media de las ancianas fue de 84,1 (±3,8), y de los ancianos, de 85,3% (±3,5), estando 58,3% dentro de un rango de edades entre 80 y 84 años; 30,7%, entre 85 y 89 años; 9,5%, entre 90 y 94 y un 1,5% con más de 95 años. La mayoría, 83,9%, de los ancianos se definen como blancos. En relación al estado civil y al grado de escolaridad, existe diferencia significativa entre hombres y mujeres, ya que, del total de la población 80,0% son ancianas y viudas (p<0,001), y 77,2%, analfabetas (p=0,013). Del total de los ancianos, 94,2% reciben pensión de jubilación rural. La media de los escores del Mini Examen del Estado Mental (MEEM), fue de 19,01 (±6,81) en las ancianas, de 21,86 (±6,10) en los ancianos, y de 17,78 (±5,63) en los analfabetos, más baja que la de los escolarizados. El comprometimiento cognitivo está presente en 22,5% de los analfabetos y en 14,6% de los escolarizados. La mayoría (88,3%) de los ancianos viven acompañados. Hubo diferencia significativa (p<0,001) entre hombres y mujeres en relación a las personas que los acompañan, ya que 75% de las ancianas viven con familiares y 65,6% de los ancianos viven con las esposas. En cuanto a la auto-evaluación de la salud, 46,7% la consideran regular, y 32,8%, buena; y, al ser comparada con la de otras personas del mismo rango de edad, 47,1% indican buena salud. La mayoría, 78,8%, hace uso de medicamento. Del total de los ancianos, 63,5% practican alguna actividad física. Apenas 11,7% fuman, y 76,6% no consumen alcohol. Problemas de audición son indicados por 40,9%, y 70,8% mencionan problemas de visión. La mayoría no posee ningún diente y, de estos, 29,2% no usan prótesis dentaria. El reumatismo es la principal patología que interfiere en la vida diaria, siendo la hipertensión arterial la más relatada. En 54,8% y en 15,3% los ancianos tienen las actividades básicas de la vida diaria y actividades instrumentales preservadas, respectivamente. El comprometimiento de las actividades es creciente con el avanzo de la edad. La búsqueda de soluciones a los problemas de salud es prioritariamente dirigida a servicios particulares, en consultorios médicos. La gran mayoría posee alguien que le presta cuidado en caso de enfermedad, estando las mujeres a cuidados de los hijos, y los hombres, por las esposas. El grupo de ancianos con comprometimiento cognitivo tiene mayor posibilidad de presentar síntomas de depresión clínica. Estudios como éste sirven para dar mayor visibilidad a la parcela de la población que, al alcanzar una longevidad expresiva, puede contribuir para la comprensión de la singularidad del proceso de envejecimiento y de la adecuación de las políticas públicas.
Abstract Population aging is a worldwide phenomenon, derived from the progressive decrease of fecundity and mortality rates, and from higher life expectancy. Among the elderly population (60 years of age or older), the highest increase is observed in the older elderly (80 or older) segment, which also results in higher social, health, and infrastructure demands to supply and to ensure the quality of life of this “elite”. 60% of the world elderly population lives in rural areas. These individuals deserve special attention, as they may suffer different diseases due to environmental conditions, lack of available aid and health care services, and social-economic conditions. This transversal study aimed at assessing the social-demographic and health conditions of elderly people (80 years of age or older) living in the rural area of the municipality of Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul, Brazil. The population included 137 elderly individuals (87 females and 50 males), distributed in 24 micro-areas, as defined by the Community Health Agents Program (PACS). Data were collected using a multidimensional tool in household interviews, performed by Community Health Agents, previously trained by the researcher, between March and May of 2006. The study was approved by the Ethics Committee of the School of Nursing of Ribeirão Preto/USP. Mean female and male ages were 84.1(±3.8), and 85.3% (±3.5), respectively, with age range distribution of 58.3% (80-84 years), 30.7% (85-89 years), 9.5% (90-94 years), and 1.5% were older than 95 years of age. In general (83.9%), individuals defined themselves as Caucasians. As to marital status and education level, there were significant gender differences: out of the total population, 80.0% were elderly women and widows (p<0.001), and 77.2% of the females were illiterate (p=0.013). Most elderly males (94.2%) received rural retirement pension. Mean scores in Mental Status Mini-Examination (MSME) were 19.01(±6.81) for females and 21.86(±6.10) for males, and 17.78(±5.63) for illiterates, which was lower as compared to literate subjects. Cognition was impaired in 22.5% and 14.6% of illiterate and literate individuals, respectively. Most of the elderly (88.3%) lived with someone. There was a significant difference (p<0.001) between males and females as to whom they lived with: 75% of females lived with relatives, whereas 65.6% of males lived with their wives. As to health self-assessment, 46.7% considered themselves reasonably healthy, and 32.8%, healthy, and as compared to people of the same age range, they considered themselves healthy. Most subjects (78.8%) used medicines, 63.5% practiced some physical activity, only 11.7% smoked, and 76.6% did not drink alcoholic beverages. Hearing and vision problems are reported by 40.9% and 70.8% of the individuals, respectively. Most did not have any teeth, and 29.2% of these individuals did not wear dentures. Rheumatism is the main pathology interfering with daily life activities, and high blood pressure is the most frequent reported condition. Basic daily life and instrumental activities were preserved in 54.8% and 15.3% of the cases, respectively. Activity impairment increased with age. Health problems resolution was mainly sought in private medical clinics. Most individuals had someone to care for them in case of illnesses, with females being cared by their children, and males by their wives. The elderly group with cognitive impairment has a greater possibility to present symptoms of clinical depression. This kind of study provides higher visibility to a part of the population that reaches significant longevity, and may contribute to the understanding of the singularity of the aging process and to the establishment of public policies.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/11193
Arquivos Descrição Formato
000610014.pdf (2.977Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.