Repositório Digital

A- A A+

Associação entre temperamento e envolvimento com bullying com adolescentes

.

Associação entre temperamento e envolvimento com bullying com adolescentes

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Associação entre temperamento e envolvimento com bullying com adolescentes
Autor Nascimento, Bianca Peixoto
Orientador Heldt, Elizeth Paz da Silva
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Bullying
Saúde mental : Adolescente
Resumo Atitudes agressivas, tendo a prática de bullying como uma das apresentações, constituem-se como um problema de prevalência elevada nas escolas. A agressão que ocorre em resposta a algum estímulo ambiental é denominada de reativa. Em geral, a agressividade reativa está associada aos déficits em processar informações sociais, ao temperamento propenso a raiva e a desregulação emocional. O envolvimento com o bullying, seja como agressor e/ou como vítima, está associado a um pior ajustamento psicossocial e a dificuldades de aprendizagem. Entretanto, ainda são poucos os estudos que relacionam aspectos psicobiológicos, como o temperamento irritável e alterações de comportamento em adolescentes. Este trabalho tem como objetivo verificar a associação entre o envolvimento com o comportamento de bullying e as características psicobiológicas de adolescentes no ambiente escolar. Trata-se de um estudo transversal, com alunos matriculados do 5º ao 9º ano em uma escola da rede pública estadual, com idade entre 10 e 17 anos, de ambos os sexos. A avaliação do comportamento de bullying foi por meio da versão modificada do Questionário de Avaliação de Bullying - versão vítima e versão agressor. Para avaliação do temperamento irritável, foi utilizado o Índice de Reatividade Afetiva (ARI) e o Questionário de Capacidades e Dificuldades - versão criança (SDQ-C) para identificar problemas de saúde mental. O projeto foi aprovado pelo CEP-HCPA e os pais ou responsáveis autorizaram a participação dos adolescentes na pesquisa. Foram avaliados 297 alunos, sendo 165(55,6%) do sexo feminino, com média (desvio padrão) de idade de 12,7(DP=1,59) anos. Em relação a avaliação das escalas de bullying, a mediana geral do comportamento como agressor foi de 25(23-27) e como vítima foi de 26(24-30). Considerando os tipos de envolvimento, a frequência foi de que 134(45,1%) eram vítimas, 145(48,8%) eram agressores e 99(33,3%) eram vítimas-agressores. A média geral do ARI foi de 10,8(DP=3,70). Após a análise de regressão, a prevalência dos três tipos de comportamento de bullying foi maior nos adolescentes com temperamento mais irritável e do sexo masculino. Já as vítimas têm mais problemas de saúde mental de conduta e o agressor é mais prevalente entre os que já foram expulso ou suspenso da escola. Os resultados sugerem a associação entre o envolvimento com os diferentes tipos de bullying e o temperamento mais irritável. Entretanto, o delineamento transversal não permite verificar a relação de causalidade. Assim, novos estudos que investiguem determinantes de regulação emocional e de intervenção são necessários para prevenir o comportamento de bullying no ambiente escolar.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/112131
Arquivos Descrição Formato
000950769.pdf (1.742Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.