Repositório Digital

A- A A+

Impacto do trabalho em turnos e cronotipo na qualidade de vida de profissionais de enfermagem

.

Impacto do trabalho em turnos e cronotipo na qualidade de vida de profissionais de enfermagem

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Impacto do trabalho em turnos e cronotipo na qualidade de vida de profissionais de enfermagem
Autor Medronha, Aline Caldeira
Orientador Souza, Sônia Beatriz Cócaro de
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Cronobiologia
Pessoal de saúde : Trabalho
Qualidade de vida
Trabalho em turnos
Resumo Estudo com abordagem quantitativa e delineamento transversal. O objetivo foi verificar a influência do turno de trabalho e cronotipo na qualidade de vida dos profissionais de enfermagem que trabalham em unidades de internação hospitalar. Participaram do estudo, profissionais de enfermagem que atuam em unidades de internação abertas no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, entrevistados no período de agosto a novembro de 2014. Para a coleta de dados, utilizou-se instrumento elaborado para a caracterização dos participantes, escala de classificação econômica e questionários validados: o WHOQOL-breve para avaliação da qualidade de vida e para identificação do cronotipo, o Questionário de Matutinidade e Vespertinidade de Horne e Östberg. Todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Este projeto foi aprovado pela Comissão Científica e Comitê de Ética em Pesquisa do HCPA, sob número 05-165. Os dados foram organizados no Programa Excel-2010 da Microsoft Windows e analisados no programa SPSS “Statistical Package for the Social Sciences”, versão 18.0. Os 124 profissionais de enfermagem participantes do estudo foram entrevistados durante sua jornada laboral, em seus respectivos turnos de trabalho. Entre os 124 profissionais de enfermagem participantes do estudo, 82 sujeitos são do turno da noite, 27 do turno da manhã e 15 do turno da tarde. Houve predomínio do sexo feminino e de única jornada de trabalho. Observou-se associação significativa entre a distribuição dos cronotipos e os turnos de trabalho (p=0,024). Houve diferença estatisticamente significativa na distribuição da concordância entre os turnos de trabalho (p=0,007). Não foi encontrada associação significativa entre o turno de trabalho e os escores dos domínios do WHOQOL-breve: físico (p=0,342); psicológico (p=0,784); relações sociais (p=0,541); e meio ambiente (p=0,136). Entretanto, o turno da noite apresentou escores maiores em todos os domínios, quando comparados com o turno da manhã. Os indivíduos com cronotipo discordante com o turno de trabalho apresentaram melhores escores em todos os domínios da qualidade de vida. Conclui-se que apesar da associação significativa entre turno de trabalho e cronotipo, não houve evidência do suposto fator protetor do cronotipo sobre os efeitos da qualidade de vida. A hipótese gerada não foi confirmada, uma vez que os indivíduos alocados em turnos discordantes com seu cronotipo apresentaram melhor qualidade de vida do que os concordantes. O resultado encontrado pode estar associado a outros fatores não investigados.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/112132
Arquivos Descrição Formato
000950724.pdf (576.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.