Repositório Digital

A- A A+

Ultraestrutura cuticular de duas espécies simpátricas de Hyalella smith 1874 (Crustacea, Amphipoda, Dogielinotidae)

.

Ultraestrutura cuticular de duas espécies simpátricas de Hyalella smith 1874 (Crustacea, Amphipoda, Dogielinotidae)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Ultraestrutura cuticular de duas espécies simpátricas de Hyalella smith 1874 (Crustacea, Amphipoda, Dogielinotidae)
Autor Zimmer, Adriane Ramos
Orientador Bond-Buckup, Georgina
Co-orientador Araujo, Paula Beatriz de
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal.
Assunto Antas, Rio das (RS)
Hyalella castroi
Hyalella pleoacuta
Taxonomia animal
Resumo Os crustáceos límnicos do gênero Hyalella contam com 51 espécies amplamente distribuídas pelas regiões Neártica e Neotropical. Na América do Sul o Brasil apresenta a segunda maior diversidade para o gênero que é apenas superada pela diversidade encontrada no lago Titicaca. São 13 espécies distribuídas pelos estados do sul e sudeste. A identificação das espécies de Hyalella é um processo complexo que exige muita experiência no conhecimento do grupo. Além disto faltam informações sobre morfologia, ecologia e comportamento para a maioria das espécies. Este estudo teve como objetivo descrever a ultraestrutura cuticular de H. castroi e H. pleoacuta. Ambas as espécies foram coletadas em tanques de cultivo de peixes (trutas) próximo à nascente do Rio das Antas no município de São José dos Ausentes, RS, Brasil (28º 47’ 00’’S 49º 50’ 53’’W). A superfície cuticular de espécimes das duas espécies foi examinada em microscopia eletrônica de varredura e observações complementares foram realizadas em microscopia óptica. Os resultados mostraram que uma grande diversidade de estruturas está presente na cuticula de ambas as espécies, entre elas 30 tipos de setas, sendo dois destes exclusivos de machos, quatro tipos de microtríquia, dois tipos de poros e uma grande variedade de sétulas e dentículos. O tipo distribuição a morfologia e a ornamentação destas estruturas não difere entre as duas espécies. Muitas das estruturas observadas são semelhantes àquelas registradas para Amphipoda e Isopoda com alguma variação em sua ornamentação. O padrão de inserção da seta plumosa nas duas espécies de Hyalella difere daquele observado para crustáceos decápodos, e foi considerado uma característica importante na separação dos grupos de Malacostraca. O padrão de distribuição das microtríquias na superfície dorsal das duas espécies difere daquele encontrado para outros anfípodos e foi considerado uma característica exclusiva do gênero Hyalella. Os apêndices bucais concentram a maior diversidade de setas e demais microestruturas, e não diferem entre as duas espécies. Diferenças encontradas na ornamentação do lobo carpal dos gnatópodos 1 e 2 em ambas as espécies, na ornamentação do bordo anterior dos gnatópodos das fêmeas e o número de setas no télson foram consideradas características diagnósticas importantes no nível específico. Estes resultados mostraram que as microestruturas constituem ferramentas importantes para a separação das espécies do gênero.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/11268
Arquivos Descrição Formato
000600656.pdf (2.130Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.