Repositório Digital

A- A A+

O domínio da terra : conflitos e estrutura agrária na campanha rio-grandense oitocentista

.

O domínio da terra : conflitos e estrutura agrária na campanha rio-grandense oitocentista

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O domínio da terra : conflitos e estrutura agrária na campanha rio-grandense oitocentista
Autor Garcia, Graciela Bonassa
Orientador Osório, Helen
Data 2005
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História.
Assunto Campanha, Região (RS)
Conflitos no campo
Estrutura agrária
História do Rio Grande do Sul
Resumo O objetivo deste trabalho é abordar, de forma relacionada, os conflitos de terra e as transformações na estrutura agrária da Campanha rio-grandense, entre 1830 e 1880. Para essa investigação foram utilizados, entre outras fontes, inventários post-mortem, Registros Paroquiais de Terras, Ações Possessórias e Processos de Despejo. Pôde-se verificar, através de sua análise, que esta sociedade não era composta apenas por estancieiros e peões, mas também por uma expressiva camada de homens livres pobres e escravos. Constatou-se que a existência de produtores rurais “sem-terra” remonta à origem do latifúndio, e ambos são decorrentes de um processo profundamente desigual, e muitas vezes violento, de apropriação da terra na Campanha rio-grandense. O aumento vertiginoso do preço da terra na região, a partir de meados do século XIX, dificultou ainda mais o acesso a ela por parte das camadas mais pobres da população, no mesmo momento em que a mão-de-obra escrava, fundamental na pecuária, se tornava escassa. Essa conjuntura acirrou a disputa pela terra, e diferentes foram as estratégias adotadas por cada grupo social, de acordo com suas possibilidades, frente a um universo rural em rápida transformação.
Resumen El objetivo de este trabajo es abordar, de forma relacionada, los conflictos de tierra y las transformaciones en la estructura agraria de la Campaña de la provincia de Rio Grande do Sul, Brasil, entre 1830 y 1880. Para esta investigación se utilizaron, entre otras fuentes, inventarios post mortem, Registros Parroquiales de Tierras, Acciones Posesorias y Procesos de Desahucio. Se pudo verificar, a través de su análisis, que esta sociedad no se componía sólo por estancieros y peones, sino también por una expresiva capa de hombres libres pobres y esclavos. Se constató que la existencia de productores rurales “sin tierra” remonta al origen del latifundio, y ambos son decurrentes de un proceso profundamente desigual — y muchas veces violento —, de apropiación de la tierra en la Campaña riograndense. El aumento vertiginoso del precio de la tierra en la región, a partir de mediados del siglo XIX, dificultó todavía más el acceso a la misma por parte de las capas más pobres de la población, en el mismo momento en que la mano de obra esclava, fundamental en la pecuaria, se escaseaba. Esta coyuntura estimuló la disputa por la tierra y distintas fueron las estrategias adoptadas por cada grupo social, de acuerdo con sus posibilidades frente a un universo rural en rápida transformación.
Abstract The object of this paper is to address in a related manner, the land conflicts and the transformations in the agrarian structure of the Campanha rio-grandense (Rio Grande do Sul Lowland), between 1830 and 1880. In order to carry out this investigation, post-mortem inventories, Parochial Land Registers, Proprietary Law Suits and Eviction Processes were utilized, among other sources. One can verify, through its analysis that this society was not only made up of ranch owners and farm hands, but also of an expressive number of free-living poor men and slaves. It was also observed that the existence of “landless” rural producers dates back to the origin of latifundia, and both derive from a deeply unequal process and a very often violent one, of land appropriation in the Rio Grande do Sul Lowland. The vertiginous increase in land prices in the region as of the middle of the XIX century, made access to land even more difficult for part of the poorer layers of the population, at the same time when slave labor, which was fundamental in animal farming, was scarce. This coming together of circumstances worsened land disputes and different strategies were adopted by each social group in accordance with their possibilities, in the face of a rural universe in rapid transformation.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/11393
Arquivos Descrição Formato
000613729.pdf (999.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.