Repositório Digital

A- A A+

Plasma seminal como terapia local em reprodução assistida

.

Plasma seminal como terapia local em reprodução assistida

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Plasma seminal como terapia local em reprodução assistida
Autor Pinheiro, Rafael Mota
Orientador Capp, Edison
Data 2007
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Sêmen
Técnicas reprodutivas assistidas
Resumo O plasma seminal é uma fração do ejaculado masculino, produzido por contribuição de várias glândulas acessórias masculinas. Deveria ser reconhecido, como ocorre em outras espécies, como agente necessário ao “condicionamento” do endométrio, favorecendo o processo de implantação do embrião. A composição e conseqüente atividade imunossupressora do plasma seminal parece estar relacionados com o favorecimento da viabilidade da gravidez. Nessa tese, em estudo em que foram comparadas amostras de plasma seminal de pacientes considerados férteis frente a amostras de homens considerados inférteis (com oligozoospermia ou astenozoospermia) não foi encontrada diferença estatística entre níveis de diversas citocinas envolvidas no processo implantação. Amostras de plasma seminal dos dois grupos estudados demonstraram ter o mesmo potencial em diminuir a secreção de fator de necrose tumoral (TNF)-alfa e estimular a secreção de interleucina (IL)-6 e IL-8 por células mononucleares periféricas (PBMC), comprovando a atividade imunomoduladora do plasma seminal. A habilidade do sistema imune materno em manter tolerância frente ao feto pode ser reflexo do ambiente criado nos tecidos envolvidos e não somente de citocinas liberadas exclusivamente por células do sistema imune. Em outro estudo aqui apresentado, demonstrou-se que o perfil de expressão gênica de células endometriais epiteliais cultivadas in vitro pode ser modulado pela ação de plasma seminal em cultura. Análises de ontologia gênica apontam a regulação negativa de genes envolvidos com a resposta imune e estimulação de agentes envolvidos com a quimiotaxia, podendo estar relacionados com a expansão de linfócitos T reguladores observados durante gestações bem sucedidas. Regulação positiva de 133 genes e resolução negativa de 12 genes endometriais epiteliais foram descritas pela primeira vez nesse trabalho de tese e podem contribuir para a compreensão do processo envolvido na simbiose materno-fetal. Em ensaio clínico apresentado nessa tese envolvendo pacientes submetidas à Fertilização in vitro (FIV) ou Injeção intracitoplasmática de espermatozóides (ICSI) voluntárias a participar do estudo piloto duplo-cego, observou-se que pacientes que recebiam plasma seminal intracervical e intravaginal no dia da coleta dos oócitos exibiam maior taxa de gravidez do que a do grupo controle (salina). Ainda permanece pouco esclarecido o exato mecanismo pelo qual o plasma seminal é capaz de levar a aumento relativo de 45% na taxa de gravidez em mulheres que receberam plasma seminal, por vias intracervical e intravaginal, no dia da coleta dos oócitos.
Abstract Seminal plasma (SP) is a fraction of the masculine ejaculate, produced by contribution of some masculine accessory glands. Seminal plasma must be recognized, as it occurs in other species, as a necessary agent for “conditioning” of the endometrium, favoring the embryo implantation process. The SP imunossupressor activity seems to be responsible for the viability of the pregnancy. In this thesis, we compared SP from fertile patients with samples from infertile (oligozoospermia or astenozoospermia) patients. There were no significant differences between levels of several cytokines in the different groups. SP samples of both groups had similar effects in inhibiting TNF-alpha secretion and stimulating the secretion of IL-6 and IL-8 from peripheral mononuclear cells (PBMC), indicating that SP displays imunomoduladory activity. The ability of the maternal immune system in keeping tolerance to the embryo, can be related to the environment created in surrounding tissues and not only to cytokines produced by immune cells. We also show the profile genomic change of epithelial endometrial cells cultivated in vitro, under SP stimulation. Gene ontology analysis pointed genes related to negative regulation of genes enrolled in the immune response. SP stimulatory effect, on gene expression in endometrial epithelial cells, notably of chemokines, could be related with the expansion of T reg cells observed during successful gestations. Up-regulation of 133 genes and down-regulation of 12 epithelial endometrial genes might contribute to a better understanding of the process involved in the maternal-fetal symbiosis. In a clinical trial involving patients submitted to the FIV/ICSI and volunteers to participate of a double-blind pilot study. We observed that patients receiving SP by intracervical and intravaginal routes at the time of oocyte retrieval, showed greater pregnancy rates when compared to the control group (saline). The molecular mechanisms underlying the conditioning effect of SP, which could explain the 45% relative increase in pregnancy rate in patients receiving local seminal plasma treatment, remain to be established.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/11409
Arquivos Descrição Formato
000612667.pdf (1.052Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.