Repositório Digital

A- A A+

Caracterização estrutural de ortognaisses e granitoides na região de Butiá, RS

.

Caracterização estrutural de ortognaisses e granitoides na região de Butiá, RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Caracterização estrutural de ortognaisses e granitoides na região de Butiá, RS
Autor Silva, Stephanie Carvalho da
Orientador Bitencourt, Maria de Fatima Aparecida Saraiva
Co-orientador Nardi, Lauro Valentim Stoll
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências. Curso de Geologia.
Assunto Butiá (RS)
Granitoides
Ortognaisses
[en] Microstrutures
[en] Peraluminous
[en] Structural characterization
[en] Transpression
Resumo No Escudo Sul-rio-grandense (ESrg) verifica-se um intrincado arranjo tectono-estratigráfico, composto por associações de rochas metamórficas, ígneas e sedimentares de diferentes idades, origens e evoluções. Nesse contexto, são descritos na bibliografia cinco granitoides peraluminosos, cujo posicionamento foi controlado pelos estágios precoces da transcorrência pós-colisional neoproterozoica, desenvolvida ao longo do Cinturão de Cisalhamento Sul-brasileiro (CCSb). Este cinturão engloba zonas de cisalhamento anastomosadas de cinemática dominantemente transcorrente, dentre as quais se destacam, no Escudo Sul-rio-grandense, a Zona de Cisalhamento Transcorrente Dorsal de Canguçu e a Zona de Cisalhamento Quitéria-Serra do Erval. O presente trabalho propõe a caracterização estrutural de um ortognaisse peraluminosos e de um biotita granodiorito com diferentes graus de preservação das estruturas primárias, recentemente identificados entre as duas zonas citadas, em área atualmente mapeada como Complexo Arroio dos Ratos. Para tanto, realizou-se um detalhamento estrutural de seções selecionadas com a confecção de croquis em escala 1:50, coleta e tratamento de dados estruturais para melhor visualização das estruturas e determinação da cinemática de cada uma, bem como análise de microestruturas. A integração dos dados nas diferentes escalas permitiu determinar as condições tectono-termais da deformação às quais as duas rochas estavam submetidas. Ambas as unidades mostram o registro de uma trama L>S, na qual a foliação de baixo ângulo (S1) contém uma lineação de estiramento (Lx1) de alto rake. O dobramento da S1 permite o desenvolvimento de uma foliação plano axial de alto ângulo (S2a) e de uma lineação de estiramento oblíqua (Lx2a), também registradas em ambas as unidades. Uma terceira estrutura representada por zonas de cisalhamento discretas, cuja atividade foi sincrônica a S2a, foi denominada de S2b. As estruturas de baixo ângulo (S1 e Lx1) com registro de movimento de topo para NW, atestam a atividade de uma estrutura de encurtamento, enquanto as estruturas de alto ângulo (S2a e LX2a) podem estar relacionadas à transcorrência. A relação temporal entre a S2a e a S2b, bem como o ângulo de aproximadamente 60º que essas estruturas têm entre si remete a definição de um par conjugado. As características estruturais acima descritas e o caráter progressivo da deformação sugere que as unidades foram condicionadas a um regime transpressivo. A ausência de dados geocronológicos para estas unidades admite a concepção de duas hipóteses: I) Essas unidades sofreram deformações diacrônicas. Suas estruturas representam o registro de uma colisão paleoproterozóica superposta por pela transcorrência neoproterozoica; II) A deformação destas rochas tem caráter progressivo e suas estruturas são o registro de um evento colisional Neoproterozoico e de uma transcorrência que marca o declínio dessa colisão.O resultado do estudo detalhado das estruturas presentes nesta área permitirá balizar a evolução tectônica dos gnaisses e granitos peraluminosos do ESrg, contribuindo significativamente para a compreensão da evolução crustal do mesmo.
Abstract In the Sul-rio-grandense shield there is an intricate tectonic-stratigraphic arrangement composed by associations of metamorphic, igneous and sedimentary rocks of diferente ages, origins and evolutions. In this concept, it has been described in the literature five peraluminous granitoids which emplacement was controled by the early stages of post-colisional neoproterozoic transcurrence, developed along the Southern Brazilian Shear Belt. This belt encompasses anastomosed shear zones of dominantly transcurrent kinematics, among which stand out in the Sul-rio-grandense shield, the Dorsal of Canguçu Transcurrent Shear Zone and the Quitéria-Serra do Herval Shear Zone. The presente paper proposes the structural characterization of a peraluminous ortogneiss and a biotite-granodiorite with different degrees of preservation of primary structures, recently identified between the two cited zones, in an area currently mapped as Arroio dos Ratos Complex. For that, there was a structural detailment of selected sections with the making of sketches in 1:50 scale, collection and treatment of structural data for better visualization of structures and determining kinematics of each as well as microstructures analysis. The integration of data on diferente scales allowed to determine the tectonic and thermal conditions of deformation to which the two rocks were submitted. Both units show register of a L>S plot, in which the low angle foliation (S1) contains a high rake stretching lineation (Lx1). Folding in S1 allows the development of a high angle axial plane foliation (S2a) and an oblique stretching lineation (Lx2a). A third structure represented by discret shear zones, whose activity was synchronous to S2a, was called S2b. The low angle structures (S1 e Lx1) with top to NW motion record attest to to the activity of a shortening structure, while the high angle structes (S2a e LX2a) may be related to transcurrence. The temporal relation between S2a e a S2b, as well as the angle of about 60° that these structes have between each other, refer to a conjugated pair. The structural characterization described above and the progressive character of deformation suggest that the units were conditioned to a transpressive regime. The absence of geochronological data to these units admits the conception of two hypothesis: I) these units have suffered diachronic deformations. Their structures represent the register of a Paleoproterozoic collision superimposed by the Neoproterozoic transcurrence; II) the deformation of these rocks has a progressive character and its structures are the record of a Neoproterozoic collisional event and a transcurrence marking the decline of this collision. The result of the detailed study of structures present in this area will allow beaconing the tectonic evolution of the peraluminous granites and gneisses of the SrgS, contributting significantly to the understandind of its crustal evolution.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/114660
Arquivos Descrição Formato
000954908.pdf (6.148Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.