Repositório Digital

A- A A+

Fibrose pulmonar induzida por bleomicina intratraqueal em ratas wistar : descrição do modelo experimental de Síndrome de angústia respiratória do adulto e uso do polissulfato de pentosan

.

Fibrose pulmonar induzida por bleomicina intratraqueal em ratas wistar : descrição do modelo experimental de Síndrome de angústia respiratória do adulto e uso do polissulfato de pentosan

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Fibrose pulmonar induzida por bleomicina intratraqueal em ratas wistar : descrição do modelo experimental de Síndrome de angústia respiratória do adulto e uso do polissulfato de pentosan
Autor Ferreira Filho, Antonio Fabiano
Orientador Rigatto, Mario
Co-orientador Schwartsmann, Gilberto
Data 1996
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Pós-Graduação em Pneumologia.
Assunto Bleomicina
Fibrose pulmonar
Induzido quimicamente
Modelos animais de doenças
Poliéster sulfúrico de pentosana
Ratos Wistar
Síndrome do desconforto respiratório do adulto
Resumo A despeito dos avanços ocorridos na área de medicina intensiva nos últimos vinte anos, a síndrome da angústia respiratória do adulto ( SARA ) permanece como uma importante causa de mortalidade e morbidade em doentes criticamente enfermos. Novas abordagens experimentais são claramente necessárias para que o prognóstico desses pacientes seja melhorado. o presente estudo tem como objetivos: a) Reproduzir um modelo experimental de SARA no qual uma única instilação intratraqueal de 1,5 unidades de bleomicina intratraqueal em ratas WISTAR reproduz o quadro histológico encontrado na SARA em humanos. b) Avaliar se o heparinóide polissulfato de pentosan, um inibidor do fator básico de crescimento dos fibroblastos e da angiogênese é capaz de bloquear a fibrose pulmonar induzida por bleomicina intratraqueal. No primeiro experimento foram utilizadas 36 ratas da raça Wistar, divididas em grupos de 6. Cada grupo constou de três animais controle e três animais que receberam o tratamento. Os grupos foram sacrificados nos seguintes intervalos após as instilações intratraqueais: 1 hora, 6 horas, 24 horas, 7 dias, 15 dias e 30 dias. Os achados histopatológicos foram os seguintes: li Os grupos controle possuem arquitetura pulmonar normal. li Nos animais tratados, na primeira hora existe um quadro de mastocitose difusa nos espaços intraalveolares. li Na sexta hora o quadro histopatológico é idêntico ao grupo anterior. li Na vigésima-quarta hora existe uma alveolite mononuc1ear, quebra da barreira alvéolo-capilar, presença de inúmeros macrófagos intraalveolares, vasculite mononuc1ear e lesões em endotélio vascular. li No sétimo dia inicia-se o processo de fibrose intersticial, com intenso processo de reepitelização alveolar. • No décimo-quinto dia a fibrose pulmonar toma-se mais evidente, com áreas de distorção da arquitetura alveolar e áreas de retração pleural. • No trigésimo dia ocorre uma diminuição do infiltrado mononuc1ear intersticial. Existem áreas de faveolamento e de pontes entre as áreas de fibrose. Em uma segunda etapa avaliou-se, através de análise de imagem, o efeito do polissulfato de pentosan por via subcutânea, na dose de 25 mglkgldia, por 15 dias, sobre a fibrose pulmonar induzida por bleomicina intratraqueal. Nesta etapa foram utilizadas 40 ratas da raça W/STAR, assim distribuídas em 4 grupos de 10 animais cada. Grupo 1- Salina intratraqueal Grupo Salina intratraqueal + bleomicina Grupo 3- Salina intratraqueal + PPS Grupo 4- Salina intratraqueal + bleomicina + PPS De uma maneira inesperada as ratas do grupo 4 apresentavam uma maior percentagem de fibrose pulmonar quando comparados aos ratos do grupo 2 ( p< 0,05 ). As ratas dos grupos 1 e 3 não apresentavam fibrose pulmonar. Além disso as ratas do grupo 4 perderam peso ( - 59,3g em média ), em discordância com os outros grupos deste estudo que ganharam peso (p< 0,05). Concluímos que o modelo animal descrito neste estudo possui, em todas as suas etapas, claras semelhanças histopatológicas com a síndrome da angustia respiratória do adulto encontrado em humanos. O polissulfato de pentosan por via subcutânea na dose de 25 mg/kg/dia, por 15 dias, não protege contra a fibrose pulmonar induzida por bleomicina intratraqueal e induz um quadro de caquexia.
Abstract In spite of the advances in criticaI care medicine, over the Iast twenty years, the acute respiratory distress syndrome (ARDS) remains an important cause of morbidity and mortality in critically ill patients. New therapeutic altematives are c1early necessary in order to improve the prognosis of these patients. The purposes ofthis study are: a) To Reproduce an experimental modeI in which one sigle instillation of 1,5 units of bleomycin reproduces the histologicaI features observed in humans with the acute respiratory distress syndrome. b) To evaluate if the heparinoid pentosan polyssulfate, an inhibitor of basic fibroblast growth factor and of angiogenesis, is abIe to bIock the puImonary fibrosis induced by intratraqueal bIeomycin. In the first experiment, thirty-six female WISTAR rats were divided in groups of six each. Each group contained three controI animaIs and three animaIs that received the treatment. The groups were sacrified in the following intervaIs after the intratraqueaI instiIattions: one hour, six hours, twenty-four hours, seven days, fifteen days and thirty days. The histopathological findings were: • The control groups had normal pulmonary architecture. • In the first hour there is a diffuse mastocitosis in the alveolar spaces. • In the sixth hour the histopathological findings are identical to the above rnentioned. • In the twenty-fourth hour there is a mononuclear alveolitis, the presence of innumerable intralveolar macrophages, a mononuclear vasculitis and lesions in the vascular endothelium. • In the seventh day the process of pulrnonary fibrosis begins, with na intense process of reepithelization ofthe alveolar walls. • In the fifteenth day the pulmonary fibrosis is more evident and there are areas of scarring ofthe alveolar architecture and areas of pleural retraction. • In the thirtieth day there is a decrease in the intensity of the mononuclear infiltrate. Areas of "honey combing" and the formation of bridges joining the areas of fibrosis, were also seen. In a second phase, the action of subcutaneous pentosan polyssulfate , in the dose of of 25 mg/kg/day, for fifteen days, on the pulmonary fibrosis induced by bleomycin was studied. In this phase, forty female WISTAR rats were divided in the following groups often each. Group 1- Intratracheal saline Group 2- Intratracheal saline + bleomycin Group 3- Intratracheal saline + PPS Group 4- Intratracheal saline + bleomycin + PPS Quite unexpectedilly the rats of group four had a greater percentage of fibrosis when compared to group 2 (p< 0.05). Groups 1 and 3 had no evidence ofpulmonary fibrosis. Besides this, the animaIs of group 4 lost weight ( mean of 59.3 g), a fact In discordance with the other groups ofthis study ( p< 0,05). We conclude that the animal model described in this study has a similar histopathological picture when compared with the acute respiratory distress syndrome in humans. Subcutaneously infused pentosan polysulfate in the dose of 25 mg/kg/day, for fifteen days, does not inhibit the pulmonary fibrosis induced by intratracheal bIeomycin and induces cachexia in these animals.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/115320
Arquivos Descrição Formato
000249665.pdf (11.30Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.