Repositório Digital

A- A A+

Aproximações e distanciamentos entre a afetividade e o "querer bem", a partir das concepções de professoras de turmas de alfabetização para educação de jovens e adultos

.

Aproximações e distanciamentos entre a afetividade e o "querer bem", a partir das concepções de professoras de turmas de alfabetização para educação de jovens e adultos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Aproximações e distanciamentos entre a afetividade e o "querer bem", a partir das concepções de professoras de turmas de alfabetização para educação de jovens e adultos
Autor Souza, Mariana Ferrão de
Orientador Della Libera, Aline Lemos da Cunha
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Pedagogia: Licenciatura.
Assunto Afetividade
Educação de jovens e adultos
Relação professor-aluno
Resumo Este trabalho tem como tema as aproximações e os distanciamentos entre o conceito de “querer bem” e a prática pedagógica de professoras de turmas de alfabetização de jovens e adultos. Na relação entre professores e estudantes da Educação de Jovens e Adultos, a afetividade é entendida como um sentimento facilitador dos processos de aprendizagens, tornando o ambiente da sala de aula mais acolhedor (CORREIA, HEIDRICH e RATEKE, 2007; GAZOLI, 2013; LAFFIN, 2007; MENDES, 2003; MONTEIRO, 2008). Para Paulo Freire, o “querer bem aos educandos” significa a manutenção de um espaço de afetividades e convivências, mas, sobretudo, de trocas e de aprendizagens. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, inspirada na pesquisa-formação (JOSSO, 2004), realizada por meio de entrevistas com questões orientadoras, proposta a quatro (04) professoras: duas (02) de escolas públicas municipais e duas (02) de escolas públicas estaduais da cidade de Porto Alegre. Pretendemos refletir sobre o “querer bem”, a partir das falas das professoras o qual, em alguns momentos, se contrapõe ao conceito de afetividade. As análises e reflexões permitem considerar as implicações ao processo de alfabetização de leitura e de escrita de alunos jovens e adultos, em decorrência do não aprofundamento do conceito do “querer bem” e do pensar a afetividade como justificativa das escolhas das professoras em seu trabalho docente. O conhecimento do “querer bem” pode ajudar os docentes a problematizarem a afetividade que dizem sentir pelos estudantes, produzindo mudanças significativas nos processos de alfabetização de leitura e escrita.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/115735
Arquivos Descrição Formato
000954155.pdf (717.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.