Repositório Digital

A- A A+

Tráfico interno e criminalidade escrava em Pelotas (1874-1884)

.

Tráfico interno e criminalidade escrava em Pelotas (1874-1884)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Tráfico interno e criminalidade escrava em Pelotas (1874-1884)
Autor Ramos, Amanda Ciarla
Orientador Xavier, Regina Célia Lima
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Curso de História: Licenciatura.
Assunto Criminalidade
Escravidão
Rio Grande do Sul
Tráfico de escravos
Resumo O objetivo deste trabalho de conclusão de concurso é problematizar de que forma o processo de intensificação do tráfico interprovincial entre 1874 e 1884 afetou a criminalidade escrava em Pelotas. Para tanto, foram utilizados 32 processos crime nos quais os réus eram escravos, que foram analisados com o intuito de observar a agência escrava diante do contexto de intensificação do tráfico interno, e compreender o padrão de criminalidade escrava neste período, quantificando os tipos de crimes mais frequentes cometidos por escravos, assim como identificando o perfil dos réus e vítimas. Estando inseridos e tendo consciência deste contexto frequentemente instável, os cativos parecem ter encontrado diferentes formas de lidar com a situação que lhes era imposta, seja fazendo pressão para serem vendidos, cometendo furtos para tentarem acumular pecúlio para a compra de sua liberdade, se revoltando em função do aumento no ritmo de trabalho (principalmente nos períodos de safras) ou brigando entre si em função dos poucos recursos que tinham e que gostariam de manter.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/115884
Arquivos Descrição Formato
000964173.pdf (710.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.