Repositório Digital

A- A A+

O futebol “de várzea” é “uma várzea”!? etnografia da organização no circuito municipal de Porto Alegre

.

O futebol “de várzea” é “uma várzea”!? etnografia da organização no circuito municipal de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O futebol “de várzea” é “uma várzea”!? etnografia da organização no circuito municipal de Porto Alegre
Outro título El fútbol de “canchita” ¿es desorganizado? etnografía de la organización en el Circuito Municipal de Porto Alegre
Outro título Is amateur football amateurish? ethnography of the Porto Alegre Municipal Circuit of Amateur Association Football
Autor Myskiw, Mauro
Stigger, Marco Paulo
Resumo Vencer e perder faz parte do drama esportivo. Resumo: Este estudo retrata a análise da relação entre a noção de organização quando aproximada “da várzea”. Fizemos isso tendo como base um estudo etnográfico multilocalizado realizado entre fevereiro de 2009 e dezembro de 2011, num circuito de futebol da cidade de Porto Alegre, reconhecido como “Municipal da Várzea”. Nesse circuito foram produzidas diferentes trajetórias de imersão, com o intuito de seguir pessoas, práticas e artefatos relacionados aos processos de organização das competições e dos times. Procuramos mostrar como a “organização varzeana” resulta da tensão entre dois modelos, aqui compreendidos a partir das categorias “mais próximo do profissional” e “aqui é a várzea”. Com base no exercício de análise do campo empírico, pudemos entender que a expressão “uma várzea”, no universo da organização futebolística estudado, não pode ser compreendida simplesmente como falta ou carência de organização, mas sim enquanto construções locais que não estão suscetíveis tão somente às lógicas de um universo simbólico, pois dependem do reconhecimento de dinâmicas e agenciamentos da vida cotidiana que vão para além do jogo propriamente dito.
Abstract This study is an analysis of the notion of organization when related to amateur association football, or soccer. This has been done based on a multi-location ethnic study carried out between February 2009 and December 2011 within the soccer circuit of the city of Porto Alegre, known as the “Municipality of Amateur Soccer”. Within this circuit different immersion trajectories have been produced in order to follow people, practices and artefacts related to the processes of the organization of the teams and the competitions. We have attempted to show how the “amateurish organization” results from the tension between two models, here understood as from the categories of “closest to professional” and “here it’s amateur”. Based on the analysis exercise of the empirical field, we can realize that the expression “amateurish”, within the universe of the soccer organization studied, cannot be simply understood as lack of, or need for, organization, but rather as local constructions that are not so susceptible to the logic of a symbolic universe, since they depend on the recognition of the dynamics and assemblages of everyday life that go beyond the game itself.
Resumen Este estudio trata el análisis de la relación entre la noción de organización cuando se aproxima al de la “canchita”. Nos basamos en un estudio etnográfico multisectorial, realizado entre febrero de 2009 y diciembre de 2011, en un circuito de fútbol de la ciudad de Porto Alegre, reconocido como “Municipal de Canchitas”. En ese circuito fueron producidas diferentes trayectorias de aproximación, con el intuito de seguir personas, prácticas e instrumentos relacionados a los procesos de la organización de las competiciones y de los equipos. Buscamos mostrar como la “organización de la canchita” resulta de la tensión entre dos modelos, aquí comprendidos a partir de las categorías: “más próxima al profesional” y “acá es la canchita”. Con base en el ejercicio de análisis del campo empírico, pudimos entender que la expresión “una canchita”, en el universo de la organización futbolística estudiado, no puede ser comprendido apenas como falta o escasez de organización, pero sí en cuanto construcciones locales que no están susceptibles solamente a las lógicas de un universo simbólico, porque dependen del reconocimiento de dinámicas y agendas de la vida cotidiana que van más allá del juego propiamente dicho.
Contido em Movimento, Porto Alegre, RS. Vol. 20, n. 2 (abr./jun. de 2014) p. 445-469.
Assunto Esportes : Organização & administração
Etnografia
Futebol
Sociologia do esporte
[en] Ethnography
[en] Management
[en] Organization
[en] Soccer
[es] Fútbol
[es] Gestión
[es] Organización
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/116119
Arquivos Descrição Formato
000954906.pdf (497.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.