Repositório Digital

A- A A+

A hipermodernidade e a clínica psicanalítica

.

A hipermodernidade e a clínica psicanalítica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A hipermodernidade e a clínica psicanalítica
Outro título Hypermodernity and the psychoanalytic clinic
Autor Laskoski, Pricilla Braga
Gastaud, Marina Bento
Goi, Júlia Domingues
Bassols, Ana Margareth Siqueira
Machado, Diogo
Costa, Camila Piva da
Torres, Mariana
Costa, Felipe Bauer Pinto da
Eizirik, Claudio Laks
Resumo A partir do conceito de hipermodernidade proposto por Lipovetsky, discute-se acerca das possíveis repercussões psíquicas dos movimentos e transformações sociais identificados pelo filósofo, bem como sobre os desafios que essas mudanças propõem à psicanálise nos dias atuais. Compreender as vicissitudes da cultura em que o sujeito está inserido instrumentaliza o terapeuta para analisar, com seu paciente, a forma como ele integra as demandas coletivas e próprias do seu tempo com suas necessidades individuais. O paciente hipermoderno nos interroga acerca das condições de intervenção psicanalítica possíveis nos dias de hoje. Suas queixas são diferentes daquelas direcionadas a Freud. É, portanto, fundamental que psicoterapeutas estejam em contato com essas novas construções sociais e mantenham uma postura continente e não apocalíptica.
Abstract From the hypermodernity concept proposed by Lipovetsky there can be placed some discussions on possible psychological repercussions of movements and social changes identified by the philosopher as well as the challenges that they propose to psychoanalysis today. Understanding culture events in which the individual is inserted tools up the therapist and let him along with its patient analyze a way to integrate current collective and their demands with their personal needs. The hypermodern patient interrogates us regarding the current possible psychoanalytic intervention conditions. Patient’s worries are different compared to the ones related to Freud. Therefore it is vital that psychotherapists are in contact with these new social constructions and maintain a containing behavior which is not apocalyptic.
Contido em Revista brasileira de psicoterapia. Porto Alegre. Vol. 15, n. 2 (2013), p. 14-24
Assunto Psicanálise
[en] Philosophy
[en] Psychoanalysis
[en] Psychotherapy
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/117281
Arquivos Descrição Formato
000939948.pdf (212.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.