Repositório Digital

A- A A+

Convenção ou conversação : evidências para a determinação da natureza do fenômeno pressuposicional

.

Convenção ou conversação : evidências para a determinação da natureza do fenômeno pressuposicional

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Convenção ou conversação : evidências para a determinação da natureza do fenômeno pressuposicional
Autor Oliveira, Tamara Melo de
Orientador Goldnadel, Marcos
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Linguística
Pragmática
Pressuposição
Resumo A pressuposição é um dos fenômenos pragmáticos que mais têm recebido atenção de linguistas nas últimas décadas. A maior parte dessa literatura dedica-se a descrever as pressuposições efetivas de enunciados que contenham gatilhos pressuposicionais, o que ficou conhecido como o problema da projeção de pressuposições. Grande parte dos trabalhos voltados para esse problema baseia-se na ideia de que a pressuposição é um fenômeno que surge de forma convencional. Apenas recentemente um grupo de autores passou a procurar explicar o surgimento das pressuposições baseados na ideia de que não existe, nos gatilhos, marcação convencional. Esses autores procuram explicar o surgimento das pressuposições supondo a existência de cálculos conversacionais. Este trabalho se inspira nesses últimos autores e se dedica a contribuir para o debate a respeito da correta caracterização da natureza do fenômeno pressuposicional, através da aplicação de testes tradicionalmente utilizados para verificar a natureza de outros fenômenos pragmáticos. Assim, esta dissertação, além de resenhar criticamente trabalhos representativos dessas duas vertentes, discute a eficácia dos testes e analisa o comportamento das pressuposições frente às testagens. Conclui-se que, diante dos dados analisados, pressuposições têm mais em comum com os fenômenos pragmáticos já reconhecidamente conversacionais do que com fenômenos pragmáticos convencionais.
Abstract Presupposition is among the pragmatic phenomena to which linguists have paid the most attention in recent decades. The bulk of this literature is devoted to the description of the actual presuppositions of utterances containing presuppositional triggers, which has been known as the projection problem for presuppositions. Many of the works dealing with this problem assume that presuppositions arise conventionally. Only recently a number of linguists have come to try to explain the generation of presuppositions based on the idea that there is no conventional marking on triggers. These authors seek to explain the emergence of presuppositions assuming the existence of conversational calculi. This work is inspired by this last group of linguists and is dedicated to contributing to the debate over the proper description of the nature of presupposition phenomena. This is done by means of the application of tests traditionally used to investigate the nature of other pragmatic phenomena. Thus, besides critically reviewing representative texts from these two traditions, this work discusses the effectiveness of these tests and studies the behavior of presuppositions when confronted with them. Given the data we analyze, we conclude that presuppositions have more in common with pragmatic phenomena that are generally accepted as conversational than with conventional pragmatic phenomena.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/117574
Arquivos Descrição Formato
000967436.pdf (938.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.