Repositório Digital

A- A A+

Avaliação da atividade amebicida do extrato aquoso de própolis verde sobre trofozoítos e cistos de Acanthamoeba castellanii

.

Avaliação da atividade amebicida do extrato aquoso de própolis verde sobre trofozoítos e cistos de Acanthamoeba castellanii

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação da atividade amebicida do extrato aquoso de própolis verde sobre trofozoítos e cistos de Acanthamoeba castellanii
Autor Karusky, Carla de Magalhães
Orientador Rott, Marilise Brittes
Co-orientador Poser, Gilsane Lino von
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agrícola e do Ambiente.
Assunto Acanthamoeba castellanii
Amebicidas
Ceratite
Encefalite
Propolis
Resumo O gênero Acanthamoeba compreende protozoários que pertencem ao grupo das amebas de vida livre e estão amplamente dispersos na natureza. São conhecidos por causarem duas graves doenças, a Encefalite Amebiana Granulomatosa, em pacientes imunodeprimidos e a Ceratite Amebiana, principalmente em usuários de lentes de contatos imunocompetentes. A própolis verde é uma substância resinosa e balsâmica, conhecida na medicina alternativa por apresentar diversas atividades biológicas. Neste trabalho foi avaliada a atividade amebicida de um extrato aquoso de própolis verde contra trofozoítos e cistos de A. castellanii . Nas concentrações de 10 e 20 mg/mL, o extrato foi capaz de inativar 100% dos trofozoítos em 24 e 48 horas. A dose de 5 mg/mL inativou 100% dos trofozoítos em 72 horas. Os cistos foram inativados na concentração de 40 mg/mL após 24 horas de exposição ao extrato. O efeito citotóxico do extrato foi avaliado sobre células VERO e HCE através do ensaio MTT. O extrato não causou efeito citotóxico significativo nas concentrações 0,312, 0,625, 1,25 e 2,5 mg/mL sobre as células HCE e nas concentrações 2,5 e 5 sobre as células VERO. O ensaio de adesão realizado mostrou que a ligação de Acanthamoeba às células HCE possui comportamento dose-dependente em relação ao extrato de própolis verde. Assim, o presente estudo demonstrou a atividade antiparasitária da própolis verde frente a ambas às formas de Acanthamoeba, mostrando-se uma substância promissora para o desenvolvimento de fármaco alternativo, bem como para utilização na composição de soluções de limpeza de lentes de contato ou superfícies. Entretanto, mais estudos são necessários para compreender seus mecanismos de ação.
Abstract The genus Acanthamoeba comprises protozoa belonging to the group of free-living amoebas and it is widely scattered in nature. These protozoa are known to cause two serious diseases, Granulomatous Amebic Encephalitis in immunocompromised patients and amebic keratitis, especially in immunocompetent contact lens wearers. Green Propolis is a resinous and balsamic substance, known in alternative medicine because of its several biological activities. In this study we evaluated the amoebicide activity of an aqueous extract of propolis against trophozoites and cysts of A. castellanii. At concentrations of 10 and 20 mg/mL, the extract was able to inactivate 100% of trophozoites within 24 and 48 hours. The dose of 5 mg/mL inactivated 100% of trophozoites within 72 hours. The cysts were inactivated at a concentration of 40 mg/mL after 24 hours of exposure to the extract. The cytotoxic effect of the extract was evaluated on VERO and HCE cells by MTT assay. The extract had no significant cytotoxic effect at concentrations of 0.312, 0.625, 1.25 and 2.5 mg/ml about HCE cells and at concentrations of 2.5 and 5 on VERO cells. The adhesion test performed showed that the attachment of Acanthamoeba to HCE cells have dose-dependent behavior in relation to the propolis extract. Thus, this study demonstrated the antiparasitic activity of propolis against both forms of Acanthamoeba and proved to be a promising substance for the development of an alternative drug, as well as its use in the formulation of cleaning solutions for contact lenses or surfaces. However, more studies are needed to understand their mechanisms of action.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/117609
Arquivos Descrição Formato
000967555.pdf (914.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.