Repositório Digital

A- A A+

Análise da microestrutura óssea de Clevosaurus brasiliensis (Lepidosauria, Rhynchocephalia) do triássico superior do Rio Grande do Sul (Sequência Candelária)

.

Análise da microestrutura óssea de Clevosaurus brasiliensis (Lepidosauria, Rhynchocephalia) do triássico superior do Rio Grande do Sul (Sequência Candelária)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise da microestrutura óssea de Clevosaurus brasiliensis (Lepidosauria, Rhynchocephalia) do triássico superior do Rio Grande do Sul (Sequência Candelária)
Autor Mattiello, Bianca Silveira
Orientador Soares, Marina Bento
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Bacharelado.
Assunto Clevosaurus brasiliensis
Ossos : Histologia
Resumo A Paleohistologia Óssea - análise da microestrutura óssea - é uma ferramenta que pode fornecer informações substanciais sobre a paleobiologia dos animais fósseis, como, por exemplo, idade individual, maturidade sexual, taxas e padrões de crescimento. Com estes dados, é possível deduzir vários aspectos da fisiologia, ontogenia, filogenia dos vertebrados fósseis e, ainda, aspectos sobre o seu ambiente de vida. Esta monografia apresenta a descrição da microestrutura óssea de Clevosaurus brasiliensis, única espécie de Rhynchocephalia presente no Brasil, e um dos registros mais antigos para o grupo (Neotriássico). Apesar de haver alguns estudos analisando a microestrutura óssea de rincocefálios fósseis e atuais, este é o primeiro analisando o táxon brasileiro. Os materiais descritos neste trabalho consistem de três fêmures de indivíduos diferentes (UFRGS-PV-0752-T; 0754-T; 1067-T), uma tíbia (UFRGS-PV-0754-T) e um rádio (UFRGS-PV-0757-T). Como padrão geral, observou-se um córtex pouco vascularizado, com deposição de um tecido paralelo-fibroso a lamelar caracterizado pela presença de osteócitos bastante organizados, depositados paralelamente uns aos outros. Linhas de crescimento (LAGs), que interrompem o córtex em toda a sua extensão, foram encontradas em dois fêmures (UFRGS-PV-0754-T; 0752-T) e na tíbia. Deposição de tecido lamelar ocorre, também, na região perimedular do fêmur UFRGS-PV-0754-T, o mostrando que esta espécie apresenta um crescimento reverso. Além disso, a presença do osso endosteal poderia indicar uma condição adulta para o indivíduo UFRGS-PV-0754-T. Não foram encontrados ósteons secundários que demonstrariam remodelação do tecido. As linhas de crescimento mostram a ocorrência de ciclos de deposição de tecido ósseo, marcados por interrupções no crescimento. Padrão semelhante é encontrado em outro rincocefálio do Jurássico Inferior, Gephyrosaurus, e na espécie atual Sphenodon sp., o que corrobora a ideia de que Rhynchocephalia é um dos grupos de amniotas mais conservativos em sua biologia. Este estudo atesta que os rincocefálios têm mantido seus padrões anatômicos e fisiológicos desde o Triássico.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/117617
Arquivos Descrição Formato
000967843.pdf (5.717Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.