Repositório Digital

A- A A+

Alterações mitocondriais na resposta à quimioterapia em células de glioma

.

Alterações mitocondriais na resposta à quimioterapia em células de glioma

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Alterações mitocondriais na resposta à quimioterapia em células de glioma
Autor Silva, Mardja Mansur Bueno e
Orientador Chiela, Eduardo Cremonese Filippi
Lenz, Guido
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Bacharelado.
Assunto Autofagia
Mitocôndria
Temozolamida
Resumo Alterações no funcionamento de mitocôndrias e consequente acúmulo de dano oxidativo contribuem para a patogênese de diversas doenças, entre elas o câncer. Cada vez mais tem se atribuído um papel às mitocôndrias e ao metabolismo celular na resposta e resistência de células tumorais a terapias. A autofagia é o processo intracelular responsável pela degradação de organelas e proteínas envelhecidas ou danificadas com o objetivo de manter a qualidade dos componentes celulares e prover substratos energéticos e estruturais em condições adversas. Autofagia exerce um duplo papel na carcinogênese, podendo mediar a sobrevivência ou a morte das células tumorais. Considerando o papel central das mitocôndrias na homeostase celular, avaliamos as alterações mitocondriais em células de glioma em resposta ao tratamento com o quimioterápico Temozolomida (TMZ). O tratamento agudo com TMZ induziu alterações na massa mitocondrial, com o surgimento de uma população celular com aumento da massa mitocondrial e outra população com quantidades reduzidas de mitocôndrias. 3 dias após o tratamento com TMZ foi observada uma redução na proporção de mitocôndrias com potencial de membrana reduzido, mesmo período em que as células apresentam aumento dos níveis de espécies reativas de oxigênio. Essa queda no potencial de membrana mitocondrial é seguida por um aumento, quando ocorre redução dos níveis de ROS. Ao analisarmos células silenciadas para genes importantes no processo autofágico, constatamos que a autofagia parece não mediar os efeitos do tratamento com Temozolomida nas alterações mitocondriais. Com o intuito de entender como as alterações mitocondriais influenciam na resposta à quimioterapia, separamos diferentes populações celulares por sorting em citometria de fluxo para avaliar sua capacidade proliferativa, dinâmica mitocondrial e fenótipo. Resultados parciais sugerem que o fenótipo de aumento de massa mitocondrial não se mantém após 7 dias do tratamento com TMZ, sendo seguido de redução da quantidade de mitocondriais na célula.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/117630
Arquivos Descrição Formato
000968264.pdf (6.471Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.