Repositório Digital

A- A A+

Avaliação da atividade anti-inflamatória do bromidrato de galantamina

.

Avaliação da atividade anti-inflamatória do bromidrato de galantamina

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação da atividade anti-inflamatória do bromidrato de galantamina
Autor Blum, Gabriela Brendel
Orientador Xavier, Ricardo Machado
Co-orientador Spies, Fernanda Sá
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Bacharelado.
Assunto Artrite reumatóide
Atividade anti-inflamatória
Galantamina
Resumo A resposta inflamatória aguda evolui a partir de uma fase vascular iniciada pelas células residentes no tecido imediatamente após o dano. A artrite reumatoide (AR) é uma doença sistêmica inflamatória de etiologia desconhecida caracterizada por sinovite crônica, simétrica e erosiva. Os tratamentos utilizados em pacientes com AR ainda apresentam limitações e significativos efeitos adversos, salientando a necessidade de novas estratégias terapêuticas. A Galantamina é um alcaloide extraído da planta Galanthus woronowi, e pode ter um papel anti-inflamatório pois é capaz de interagir especificamente com o receptor nicotínico alfa sete. Com o objetivo de avaliar a eficácia do bromidrato de galantamina como terapia anti-inflamatória, foram testados o modelo de: monoartrite induzido por mBSA in vivo; peritonite induzida por LPS in vivo; viabilidade e invasão de células de fibroblastos sinoviais isolados de camundongo in vitro. Nos modelos in vivo, camundongos Balb/c tiveram inflamação induzida por mBSA através de desafio intra-articular ou por injeção intraperitoneal de LPS, respectivamente. Os animais foram divididos em grupos e receberam os seguintes tratamentos: bromidrato de galantamina, dexametasona ou salina. Em ambos os modelos a migração celular para o local da inflamação foi avaliada e a nocicepção das patas traseiras foi medida somente no modelo de mBSA. No modelo de viabilidade celular, as linhagens de fibroblastos receberam bromidrato de galantamina ou Reminyl em diferentes concentrações para avaliar se esses provocam citotoxicidade. A maior concentração testada que não provocou morte celular foi utilizada para o experimento de invasão, que compara a capacidade dos fibroblastos sinoviais tratados e não-tratados de invadir uma membrana de colágeno atraídas por quimiotaxia. No modelo de mBSA, não houve diminuição da nocicepção nem da migração celular dos tratados em comparação aos que receberam salina. No experimento peritonite, pode-se observar que o número médio de células presentes no líquido peritoneal é maior no grupo que recebeu salina em relação aos grupos que receberam os tratamentos, mas não estatisticamente significante. No modelo de viabilidade, o bromidrato de galantamina e o Reminyl não apresentaram efeito citotóxico nas linhagens e concentrações testadas. Já no experimento de invasão, observou-se a diminuição de 11 a 31% na quantidade de células que invadiram a matriz de colágeno na presença do tratamento, em relação ao controle. Mais estudos precisam ser feitos para que o papel anti-inflamatório e possível uso frente a artrite reumatóide do bromidrato de galantamina seja confirmada.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/117659
Arquivos Descrição Formato
000967941.pdf (786.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.