Repositório Digital

A- A A+

Efetividade de estatinas em dose alta, moderada e baixa na prevenção de eventos vasculares no SUS

.

Efetividade de estatinas em dose alta, moderada e baixa na prevenção de eventos vasculares no SUS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efetividade de estatinas em dose alta, moderada e baixa na prevenção de eventos vasculares no SUS
Outro título Cost-effectiveness of high, moderate and low-dose statins in the prevention of vascular events in the Brazilian Public Health System
Autor Ribeiro, Rodrigo Antonini
Duncan, Bruce Bartholow
Ziegelmann, Patricia Klarmann
Stella, Steffan Frosi
Vieira, Jose Luiz da Costa
Restelatto, Luciane Maria Fabian
Polanczyk, Carisi Anne
Resumo Fundamento: Estatinas tem eficácia comprovada na redução de eventos cardiovasculares, mas o impacto financeiro de seu uso disseminado pode ser substancial. Objetivo: Conduzir análise de custo-efetividade de três esquemas de doses de estatinas na perspectiva do SUS. Métodos: Foi desenvolvido modelo de Markov para avaliar a razão de custo-efetividade incremental (RCEI) de regimes de dose baixa, intermediária e alta, em prevenção secundária e quatro cenários de prevenção primária (risco em 10 anos de 5%, 10%, 15% e 20%). Regimes com redução de LDL abaixo de 30% (ex: sinvastatina 10 mg) foram considerados dose baixa; entre 30-40% (atorvastatina 10 mg, sinvastatina 40 mg), dose intermediária; e acima de 40% (atorvastatina 20-80 mg, rosuvastatina 20 mg), dose alta. Dados de efetividade foram obtidos de revisão sistemática com aproximadamente 136.000 pacientes. Dados nacionais foram usados para estimar utilidades e custos (expressos em dólares internacionais – Int$). Um limiar de disposição a pagar (LDP) igual ao produto interno bruto per capita nacional (aproximadamente Int$11.770) foi utilizado. Resultados: A dose baixa foi dominada por extensão nos cenários de prevenção primária. Nos cinco cenários, a RCEI da dose intermediária ficou abaixo de Int$10.000 por QALY. A RCEI de dose alta ficou acima de Int$27.000 por QALY em todos os cenários. Nas curvas de aceitabilidade de custo-efetividade, dose intermediária teve probabilidade de ser custo-efetiva acima de 50% com RCEIs entre Int$9.000-20.000 por QALY em todos os cenários. Conclusões: Considerando um LDP razoável, uso de estatinas em doses intermediárias é economicamente atrativo, e deveria ser intervenção prioritária na redução de eventos cardiovasculares no Brasil.
Abstract Background: Statins have proven efficacy in the reduction of cardiovascular events, but the financial impact of its widespread use can be substantial. Objective: To conduct a cost-effectiveness analysis of three statin dosing schemes in the Brazilian Unified National Health System (SUS) perspective. Methods: We developed a Markov model to evaluate the incremental cost-effectiveness ratios (ICERs) of low, intermediate and high intensity dose regimens in secondary and four primary scenarios (5%, 10%, 15% and 20% ten-year risk) of prevention of cardiovascular events. Regimens with expected low-density lipoprotein cholesterol reduction below 30% (e.g. simvastatin 10 mg) were considered as low dose; between 30-40%, (atorvastatin 10mg, simvastatin 40 mg), intermediate dose; and above 40% (atorvastatin 20-80 mg, rosuvastatin 20 mg), high-dose statins. Effectiveness data were obtained from a systematic review with 136,000 patients. National data were used to estimate utilities and costs (expressed as International Dollars – Int$). A willingness-to-pay (WTP) threshold equal to the Brazilian gross domestic product per capita (circa Int$11,770) was applied. Results: Low dose was dominated by extension in the primary prevention scenarios. In the five scenarios, the ICER of intermediate dose was below Int$10,000 per QALY. The ICER of the high versus intermediate dose comparison was above Int$27,000 per QALY in all scenarios. In the costeffectiveness acceptability curves, intermediate dose had a probability above 50% of being cost-effective with ICERs between Int$ 9,000-20,000 per QALY in all scenarios. Conclusions: Considering a reasonable WTP threshold, intermediate dose statin therapy is economically attractive, and should be a priority intervention in prevention of cardiovascular events in Brazil.
Contido em Arquivos brasileiros de cardiologia. São Paulo. Vol. 104, n. 1 (2015), p. 32-44
Assunto Análise custo-benefício
Doenças cardiovasculares
Inibidores de Hidroximetilglutaril-CoA Redutases
Sistema Único de Saúde
[en] Cardiovascular diseases
[en] Cost-benefit analysis
[en] Hydroxymethylglutaryl-CoA reductase inhibitors
[en] Prevention
[en] Unified health system
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/118036
Arquivos Descrição Formato
000956640.pdf (1.108Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.