Repositório Digital

A- A A+

Canine papillomatosis: A retrospective study of 24 cases (2001-2011) and immunohistochemical characterization

.

Canine papillomatosis: A retrospective study of 24 cases (2001-2011) and immunohistochemical characterization

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Canine papillomatosis: A retrospective study of 24 cases (2001-2011) and immunohistochemical characterization
Outro título Papilomatose em cães: estudo retrospectivo de 24 casos (2001-2011) e caracterização imuno-histoquímica
Autor Bianchi, Matheus Viezzer
Casagrande, Renata Assis
Watanabe, Tatiane Terumi Negrão
Wouters, Angélica Terezinha Barth
Wouters, Flademir
Boss, Gisele Silva
Menegat, Mariana Boscato
Driemeier, David
Abstract A retrospective study of 24 cases of papillomas in dogs was performed from January 2001 to March 2011. Additionally, immunohistochemistry (IHC) was used to characterize and evaluate the samples. We found that disease was observed more in mixed breed dogs, ages ranging from 6 months to 10 years (mean 3.1 years), and there was no gender predilection. The main lesion sites were the skin (75%), lips (16.7%), and eyelids (8.3%). Upon histological evaluation, we observed papillary exophytic proliferation of squamous epithelium and papillary endophytic proliferation (inverted) in 87.5% and 12.5% of cases, respectively. The tumors were characterized by spinous layer hyperplasia (87.5%) with koilocytes (70.8%) and intranuclear pale basophilic inclusions bodies (8.3%), prominent granular layer with large amounts of keratohyalin granules (95.8%), and hyperkeratosis in the stratum corneum (100%). Positive immunostaining for Papillomavirus was found in 83.3% of cases, which were distributed between the granular layer and the stratum corneum. These indings indicate the following: that papillomas in dogs are caused by Papillomavirus, the viral cytopathic effect induces epithelial lesions, viral particles are found inside the cell nuclei, and inclusions bodies are rare
Resumo Foi realizado um estudo retrospectivo de 24 casos de papilomas em cães diagnosticados no período de janeiro 2001 a março de 2011, bem como a sua caracterização imuno-histoquímica (IHQ). Cães sem raça de inida foram os mais afetados, a idade média foi de 3,1 anos, com variação de 6 meses a 10 anos e não houve predileção sexual. Quanto à localização das lesões, 75,0% estavam na pele, 16,7% no lábio e 8,3% em pálpebra. Na avaliação histológica havia proliferação papilar exo ítica do epitélio escamoso em 87,5% e papilar endo ítica (invertido) em 12,5%. O tumor era caracterizado por hiperplasia do estrato espinhoso (87,5%) com coilócitos (70,8%) e inclusões intranucleares baso ílicas pálidas (8,3%); o estrato granular estava proeminente com grande quantidade de grânulos de querato- -hialina (95,8%); e havia hiperqueratose do estrato córneo (100%). Na avaliação IHQ para Papillomavirus houve marcação nos estratos granuloso e córneo em 83,3%. Estes achados indicam que os papilomas em cães são causados por Papillomavirus, as lesões epiteliais são decorrentes do efeito citopático viral, as partículas virais estão no núcleo das células e corpúsculos de inclusão são raros
Contido em Pesquisa veterinária brasileira. Rio de Janeiro, RJ. V. 32, n. 7 (jul., 2012), p. 653-657
Assunto Caes : Patologia veterinaria
cão
doença de pele
imuno-histoquímica
Imunohistoquimica : Virus
Papiloma
papilomatose
Papilomatose
Pele : Doenca animal
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/118502
Arquivos Descrição Formato
000950358.pdf (835.9Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.