Repositório Digital

A- A A+

A influência da comunicação digital na mobilidade urbana

.

A influência da comunicação digital na mobilidade urbana

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A influência da comunicação digital na mobilidade urbana
Autor Magalhães, Clovis Garcez
Orientador Senna, Luiz Afonso dos Santos
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.
Assunto Mobilidade urbana
Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs)
[en] Cities
[en] Communication technologies
[en] Location theory
[en] Mobility
[en] Use of digital technologies
Resumo As cidades, como um laboratório cotidiano de relacionamentos e produção de renda são, sobretudo nos tempos atuais, elemento decisivo para a construção de soluções capazes de equacionar os grandes desafios do Planeta. Esses aglomerados de pessoas, produtos e atividades, configuram um enorme complexo de inputs desafiadores às questões da sustentabilidade. Os modelos espaciais, apoiados em zoneamento de atividades e acessibilidade física, predominantemente incentivadores da mobilidade com o uso intensivo de veículos automotores, produzem deseconomias sistêmicas, impactam o meio ambiente, retardam, segregam e deterioram a vida comunitária nas cidades. Neste processo de expansão contínua, principalmente as cidades das regiões de menor desenvolvimento econômico, como Ásia, África e América Latina/Caribe consolidam a conformação de Megacidades, requerendo uma nova interpretação para os modelos de mobilidade, capazes de restituir espaços públicos e possibilidades de promoção da vida comunitária. Nessa condição, o domínio das tecnologias de comunicação e informação e o uso cada vez mais frequente da internet pela população jovem incrementam a mobilidade virtual, proporcionam um ciclo de conectividade no espaço urbano e definem um novo modo de viver nas cidades – “o ir e vir, sem sair do lugar”. Este trabalho apresenta uma abordagem, baseada na teoria da localização, no princípio da acessibilidade como formação de valor da terra urbana e nos conceitos da microeconomia e teoria de consumidor, das potencialidades do uso da internet e da realização de deslocamentos virtuais, como elementos novos a serem considerados no planejamento da mobilidade das megacidades. É este novo desafio de como deslocar-se no meio urbano adensado que constituí a principal questão a ser solucionada no desenvolvimento das cidades do futuro. O que se busca observar é a percepção das variações refletidas no valor do tempo e na renda marginal dos usuários do sistema urbano, assim como, os reflexos comportamentais decorrentes desta percepção de utilidade produzida pelo uso e influência das tecnologias digitais na realização de deslocamentos.
Abstract Cities, as a daily relationship and income production laboratory, are nowadays a decisive element for building solutions capable of addressing the challenges of the planet. Clusters of people, products and activities constitute a large complex of challenging factors of sustainability issues. However, spatial models, supported by zoning activities and physical accessibility —predominantly mobility incentive-intensive vehicles—can produce systemic diseconomies, impact the environment, as well as delay, segregate and degrade the community life of cities. In this continuous expansion process, the cities in less developed regions, such as Asia, Africa, and Latin America / Caribbean, consolidate with the conformation of Megacities, requiring a new interpretation for models of mobility, that are able to restore public spaces and promote the possibilities of community life. Under these conditions, in the field of information and communication technologies, it can be observed an increasingly frequent use of the Internet by young populations. This increase impact virtual mobility and connectivity by providing a new cycle in the urban space. A new way of living is defined: “you go and come, without leaving your seat”. This paper presents an approach based on location theory and the principle of accessibility as a training value of urban landscapes and the concepts of microeconomics and consumer theory. It also considers the potential use of the Internet and the emergence of virtual displacement, as new elements to consider when planning the mobility of megacities. How to move in urban areas is a major issue that must be solved for the development of cities of the future. Basically, it is pursued the perception of the changes reflected in the value of time and marginal income users and behavioral consequences arising from this perception of usefulness and influence produced by the use of digital technologies in the realization of urban trips.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/118898
Arquivos Descrição Formato
000969833.pdf (1.341Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.