Repositório Digital

A- A A+

May polyester with collagen coating mesh decrease the rate of intraperitoneal adhesions in incisional hernia repair?

.

May polyester with collagen coating mesh decrease the rate of intraperitoneal adhesions in incisional hernia repair?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título May polyester with collagen coating mesh decrease the rate of intraperitoneal adhesions in incisional hernia repair?
Outro título Pode a tela de poliéster coberta com colágeno diminuir as taxas aderências intraperitoneais na correção de hérnia incisional?
Autor Lambert, Bárbara
Grossi, João Vicente Machado
Manna, Bibiana Borges
Montes, Juliano Hermes Maeso
Bigolin, André Vicente
Cavazzola, Leandro Totti
Abstract Background - Among meshes used in incisional hernias in open technique repair, the polypropylene is the most commonly used due to flexibility, cellular growth stimulation, satisfactory inflammatory response, easy manipulation and low price. However, it induces adhesions formation when in contact with the intra-abdominal contents. Aim - To evaluate the formation of adhesions after polypropylene and collagen coated polyester mesh with intraperitoneal placement. Methods - Twenty six female Wistar rats were randomized in three groups. In the group 0 (sham) there was no prosthesis placement, in the polypropylene (group 1) the prosthesis was placed at the peritoneal surface and in the group 2, collagen coated polyester mesh was placed. The rats were killed on postoperative day 21 to evaluate adhesions regarding its degree, mesh percentage of involvement, bowel involvement and strength needed to cause rupture. Results - There was no difference in weight between groups. The group 0 did not develop any adhesions. The groups 1 and 2 developed prosthetic mesh surface adhesions, mostly in the omentum. There was no difference in adhesion degree and percentage of surface involvement between groups. The collagen coated mesh did not develop adhesions. The adhesions occurred at the free edge of the mesh, in contact with the polyester. The Polypropylene group presented 80% of the surface involved with adhesions, while the collagen coated polyester group presented 10% (p<0,005). Conclusion - There was no difference between adhesion, degree of adhesion and strength needed to cause rupture. However, the polypropylene mesh presented significantly higher surface of adhesion when compared to the collagen coated polyester mesh
Resumo Racional - Entre as telas utilizadas na reparação de hérnias incisionais na técnica aberta, a de polipropileno é a mais utilizada devido à flexibilidade, estimulação do crescimento celular, resposta inflamatória satisfatória, fácil manipulação e baixo preço. No entanto, induz a formação de aderências, quando em contato com os conteúdos intraabdominais. Objetivo - Avaliar as aderências formadas após a colocação intraperitoneal da tela de polipropileno e a tela de poliéster coberta com colágeno. Método - Foram utilizadas 26 ratas Wistar fêmeas, randomizadas em três grupos. No grupo 0 (sham) não houve colocação de prótese, apenas laparotomia; no grupo 1 foi implantada a prótese de polipropileno na superfície peritoneal; e no grupo 2, a prótese composta por poliéster coberta por colágeno. Todos os animais foram mortos 21 dias após o procedimento e avaliados quanto às vísceras envolvidas nas aderências, grau das aderências, percentual da tela acometimento por aderências e a força necessária para a sua ruptura. Resultados - Não houve diferença de peso entre os grupos. O grupo 0 não apresentou aderência. Os grupos 1 e 2 apresentaram aderências na superfície da prótese, predominante no omento. O grau de aderências, superfície acometida não teve diferença representativa entre os grupos. A cobertura de colágeno não demonstrou aderências. As aderências ocorreram na borda livre da tela, em contato com a face de poliéster. Análise do tipo de superfície comprometida por aderências, o grupo polipropileno teve 80% e o grupo poliéster com colágeno apenas 10% (p<0,005). Conclusão - Para os parâmetros avaliados aderência, grau e força máxima de ruptura não houve diferença. No entanto, a tela de polipropileno teve superfície acometida pela aderência significativamente maior em relação à tela de poliéster protegida com colágeno
Contido em ABCD : arquivos brasileiros de cirurgia digestiva = ABCD : brazilian archives of digestive surgery. São Paulo. Vol. 26, n. 1 (jan./mar. 2013), p. 13-17
Assunto Aderências teciduais
Aderências teciduais
Colágeno
Colágeno
Hérnia
Hérnia
Telas cirúrgicas
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/119110
Arquivos Descrição Formato
000956082.pdf (372.8Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.