Repositório Digital

A- A A+

A (re)construção da identidade nacional em "A correspondência de fradique Mendes", de Eça de Queirós, e "Nação crioula : a correspondência secreta de Fradique Mendes", de José Eduardo Agualusa

.

A (re)construção da identidade nacional em "A correspondência de fradique Mendes", de Eça de Queirós, e "Nação crioula : a correspondência secreta de Fradique Mendes", de José Eduardo Agualusa

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A (re)construção da identidade nacional em "A correspondência de fradique Mendes", de Eça de Queirós, e "Nação crioula : a correspondência secreta de Fradique Mendes", de José Eduardo Agualusa
Autor Rodrigues, Iara Regina Franco
Orientador Silva, Márcia Ivana de Lima e
Data 2003
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Agualusa, José Eduardo
Identidade nacional
Literatura angolana
Literatura comparada
Literatura portuguesa
Queiroz, Eça de 1845-1900.
[en] Dialogism
[en] Identity
[en] Intertextuality
[en] Nationalism
[en] Parody
Resumo A questão da identidade nacional é um dos problemas que marcaram as literaturas dos países desenvolvidos e dos periféricos. Na segunda metade do século XIX, as literaturas de Portugal e de Angola detiveram-se na (re)construção da identidade através da retomada da voz e da desconstrução de antigos paradigmas. Assim, escolhemos centrar nossas reflexões nas obras A correspondência de Fradique Mendes, de Eça de Queirós, e Nação Crioula: A correspondência secreta de Fradique Mendes, de José Eduardo Agualusa, com o propósito de, através de uma leitura comparativa, chegar ao modo como se deu a (re)construção da identidade nacional nas obras citadas. De acordo com os pressupostos teóricos, trabalhamos com a intertextualidade para verificar de que forma o texto de Eça de Queirós é absorvido pelo texto de José Eduardo Agualusa; através da análise do discurso e do dialogismo observamos como acontece o processo de transformação social em ambos os contextos. Sendo o discurso romanesco polifônico, rastreamos na análise deste, manifestações do “verdadeiro” ser português ou angolano, destruindo antigos estereóticos. No confronto das duas obras, trabalhamos o recurso da paródia em que os autores, através do sarcasmo e da ironia, demonstram como a relação com o Outro contribui para a (re)descoberta da identidade. Concluímos que, em ambas as obras, a busca da (re)afirmação da identidade acontece através de revisitação do passado histórico como forma de resgatar os elementos da cultura própria abafada pelo Liberalismo Europeu, no caso de Portugal, e pelo Colonialismo, no caso de Angola. No entanto, enquanto o Fradique de Eça envolve o espaço de Portugal e da outra Europa, o Fradique de Agualusa faz uma extensão do espaço, envolvendo Angola, Portugal e Brasil.
Abstract The subject of national identity is one of the problems that have marked the literature of developed countries and of the peripheral ones. In the second half of the 19th century, the literature of Portugal and of Angola held themselves in the (re)construction of identity through the retaking of the voice and from the deconstruction of old paradigms. In this way, we have chosen to center our reflections in the works A correspondência de Fradique Mendes, by Eça de Queirós, and Nação Crioula: A correspondência secreta de Fradique Mendes, by José Eduardo Agualusa, with the purpose through a comparative reading, of arriving at the way of how the (re)construction of the national identity was made in the mentioned works. In greement with the theoretical pre-suppositions, we worked with the intertextuality to verify in which form the text of Eça of Queirós is absorbed by José Eduardo Agualusa’s text; through the analysis of the speech and the dialogism we observed how the process of social transformation occurs in both contexts. Being polyphonic romance speech, we traced in the analysis of this, manifestations of the "true" Portuguese or Angolan being, destroying old stereotypes. In the confrontation of the two works, we worked with the resource of parody in which the authors, through sarcasm and irony, demonstrate how the relationship with the other contributes to the (re)discovery of identity. We concluded that, in both works, the search for the (re)affirmation of identity occurs through revisiting the historical past as a form of rescuing the elements of one’s own culture oppressed by European Liberalism in the case of Portugal, and by Colonialism in the case of Angola. However, while Fradique by Eça involves the space of Portugal and the other of Europe, Fradique by Agualusa makes an extension of the space, involving Angola, Portugal and Brazil.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/12098
Arquivos Descrição Formato
000618956.pdf (638.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.