Repositório Digital

A- A A+

Efeito da dexametasona veiculada por stent biodivysio DD PC sobre a hiperplasia neo-intimal em artéria coronária : uma avaliação ultra-sonográfica

.

Efeito da dexametasona veiculada por stent biodivysio DD PC sobre a hiperplasia neo-intimal em artéria coronária : uma avaliação ultra-sonográfica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeito da dexametasona veiculada por stent biodivysio DD PC sobre a hiperplasia neo-intimal em artéria coronária : uma avaliação ultra-sonográfica
Outro título Effect of dexamethasone driven by Stent Biodivysio DD PC on neo-intimal coronary artery hyperplasia: an ultrasonographic evaluation
Autor Garcia, Lazaro Claudovino
Orientador Zago, Alcides José
Data 2006
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares.
Assunto Dexametasona
Vasos coronários
Resumo A reestenose ainda é o principal problema da angioplastia coronária, como ficou evidente nas revisões angiográficas dos primeiros procedimentos feitos por Gruntzig. Desde então se procura a solução. Várias drogas administradas por via sistêmica foram testadas, mas com nenhuma se obteve êxito. Aterectomia, angioplastia com raios laser e braquiterapia foram introduzidas com a expectativa de solução, mas o percentual de reestenose pouco foi alterado, e a braquiterapia − que mostrara resultados melhores − veio adicionar outras complicações, entre elas a estenose de bordos (reestenose em “papel de bala”) e trombose aguda. Os stents introduzidos nesse arsenal terapêutico reduziram acentuadamente o processo reestenótico mas não o extinguiram. Recentemente embebidos com as drogas sirolimus e paclitaxel, vem apresentando excelentes resultados quando comparados com as próteses comuns. Stents com essas características representam o mais recente e eficiente avanço na terapêutica da reestenose intra-stent. O objetivo desta pesquisa foi testar uma droga com grande potencial antiinflamatório, portanto com mecanismo de ação diferente, e verificar sua ação bloqueadora na formação da hiperplasia neo-intimal, fator esse responsável pela reestenose intra-stent. Fez-se uma pesquisa duplo-cega randomizada, para a qual se selecionou uma amostra com 133 indivíduos distribuídos em dois grupos, num dos quais 49 indivíduos receberam Stent Biodivysio DD PC Stent impregnado com dexametasona, enquanto 51 receberam o mesmo tipo de stent, porém embebido com soro fisiológico. Antes e depois dos implantes os indivíduos foram examinados com ultra-som intracoronário. Em um período de tempo que variou de 6 a 18 meses, os pacientes foram reestudados com angiografia e ultra-som, para comparação das variáveis ultra-sonográficas de interesse, principalmente o volume de hiperplasia neo-intimal e a percentagem de obstrução do stent nos dois grupos. Os pacientes que receberam stent embebido com dexametasona mostraram grau de hiperplasia neo-intimal menor do que aqueles que receberam stent sem a droga (23,78±23,48 mediana 15,20 versus 35,12±30,50 mediana 27,75) (p=0,068); o grau de obstrução intra-stent também foi menor no grupo da dexametasona (15,91±13,46 mediana 13,02 versus 22,13±14,62 mediana 19,64) (p=0,024). Contudo esses dados foram maiores do que os que vêm sendo obtidos com o sirolimus e paclitaxel, o que permite concluir que o stent Biodivysio DD PC embebido com dexametasona não diminui a formação de hiperplasia neointimal; diminui a porcentagem de volume de obstrução e não diminuiu a taxa de reestenose intra-stent.
Abstract Restenosis is still the main problem concerning coronary angioplasty, as evidenced in the reviews of the first procedures made by Gruntzig. Since that, a solution has been searched. Several drugs systemically administrated were tested but none of them produced any successful results. Atherectomy, angioplasty using laser beams and brachytherapy were introduced expecting to succeed but the restenosis rates were insignificantly changed. Brachytherapy, which showed better results, added other complications – among them the candy wrapper effect (edge effect) and acute thrombosis. The use of stents in this process as part of therapeutic arsenal reduced significantly the restenosis process but they did not finish it. The use of stents coated in Sirolimus and paclitaxel has been showing excellent results when compared to ordinary prostheses. Stents presenting these characteristics represent the latest and most efficient advance in intra-stent restenosis therapeutics. The aims of this research is testing a drug with great anti-inflammatory power, therefore with a different action mechanism, and verify its blocking action in neo-intimal hyperplasia formation, which is responsible for intra-stent restenosis. A double-blinded randomized research was conducted. A sample of 133 individuals was divided into two groups. One of these groups containing 49 patients received Biodivysio DD PC Stents coated in dexamethasone whereas the other 51 patients received the stents coated in physiological saline solution. The patients were examined before and after the interventions with the use of intra-coronary ultrasound. After a period varying between 6 to 18 months, the same patients were reexamined through angiography and ultrasound to compare ultrasonographic variables, especially neo-intimal hyperplasia and the rate of stent blocking in both groups. The patients who received stents coated in dexamethasone presented a lower level of neo-intimal hyperplasia compared to those who received the stents only coated in physiological saline solution (23.78±23.48 median 15.20 versus 35.12±30.50 median 27.75 from the control group) (p=0.068); the level of intra-stent blocking was also lower than the dexamethasone group (15.91±13.46 median 13.02 versus 22.13±14.62 median 19.64 from the control group) (p=0.024). However these figures were bigger than those collected from Sirolimus and paclitaxel coated stents, which permits us to draw a conclusion that Biodivysio DD PC stents coated in dexamethasone do not lower the formation of neo-intimal hyperplasia; it lowers the rate in blocking volume and do not lower intra-stent restenosis rate.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/12120
Arquivos Descrição Formato
000620097.pdf (1.373Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.